42º Festival Sesc Melhores Filmes – Mad Max e Whiplash de volta aos cinemas

42º Festival Sesc Melhores Filmes Confira agora a programação completa do 42º Festival Sesc Melhores Filmes que acontece em São Paulo, capital, até o dia 27 de abril. São...

42º Festival Sesc Melhores Filmes

Confira agora a programação completa do 42º Festival Sesc Melhores Filmes que acontece em São Paulo, capital, até o dia 27 de abril. São filmes nacionais e estrangeiros escolhidos pela crítica e pelo público como os melhores de 2015.

Ao longo do festival serão exibidos 47 filmes, sendo 29 estrangeiros e 18 nacionais. Abaixo a programação completa!

Festival Sesc Melhores Filmes 2016

Exibição dos filmes vencedores pela votação de crítica e público
De 6 a 27 de abril de 2016
CineSesc (244 lugares)
End.: Rua Augusta, 2075
Tel: 11 3087-0500
sescsp.org.br
Ingressos: R$ 3,50 | R$ 6 | R$ 12

PROGRAMAÇÃO:

Whiplash – Em busca da perfeição (DCP, Dir.: Damien Chazelle, EUA, 2014, 107 min., 12 anos)

O solitário Andrew é um jovem baterista que sonha em ser o melhor de sua geração e marcar seu nome na história da música, como seu ídolo Buddy Rich. Após chamar a atenção do reverenciado e impiedoso mestre do jazz Terence Fletcher, Andrew entra para a orquestra principal do conservatório de Shaffer, a melhor escola de música dos Estados Unidos. Entretanto, a convivência com o abusivo maestro fará Andrew transformar seu sonho em obsessão, fazendo de tudo para chegar a um novo nível como músico, mesmo que isso coloque em risco seus relacionamentos com sua namorada e sua saúde física e mental.

Quinta-feira, 7/4, 19h30. Terça-feira, 26/4, 16h30.

Perdido Em Marte 3D (DCP, Dir.: Ridley Scott, EUA/Reino Unido, 2015, 144 min., 12 anos)

Um grupo de astronautas está em uma missão de exploração no planeta Marte. Dentre eles, está o biólogo Mark Watney que, depois que o grupo é atacado por uma severa tempestade, é dado como morto. A fim de salvar a si e a sua nave, o grupo deixa Watney para trás. Algum tempo depois, o biólogo desperta em meio ao deserto marciano. Vendo-se sozinho no planeta desconhecido, ele precisa usar de seu conhecimento para sobreviver e se comunicar com a Terra. Quando a NASA descobre indícios de que ele está vivo, dá início a um processo de resgate que pode demorar anos para se concretizar. Baseado no romance de Any Weir.

Quinta-feira, 7/4, 21h. Terça-feira, 19/4, 21h.

Cássia (DCP, Dir.: Paulo Henrique Fontenelle, Brasil, 2014, 120 min., 12 anos)

Cássia Eller é uma figura icônica da música brasileira. Sua breve, porém marcante, passagem pelo cenário musical nos anos 1990 deixou uma marca inegável na cultura e na história musical do país. Sob um aspecto social, sua morte, teve uma repercussão nacional que segue até hoje, por conta da guarda de seu filho, que acabou ficando, surpreendentemente, com sua parceira Eugênia. Cássia foi uma figura que deixou um impacto tanto cultural quanto social, expondo tabus e demonstrando sua força como pessoa pública.

Sexta-feira, 8/4, 16h30. Quinta-feira, 21/4, 21h.

Tomie (DCP, Dir.:Hélio Goldsztejn, Brasil, 2015, 57 min., livre)

O filme reconta a história pessoal e profissional da pintora Tomie Ohtake desde os tempos em que ainda vivia no Japão, passando por sua chegada ao Brasil, na década de 1930, a permanência no país por conta da eclosão da Segunda Guerra Mundial, o início de uma nova vida no bairro da Mooca, em São Paulo, até o reconhecimento como uma grande artista, que marcou o cenário brasileiros das artes plásticas por mais de duas décadas. O documentário homenageia a artista, morta em fevereiro de 2015, aos 101 anos. O filme traz depoimentos de familiares e artistas que conheceram Ohtake, como Carmela Gross, Jac Leirner, Leda Catunda e Paulo Pasta.

Sexta-feira, 8/4, 19h. Segunda-feira, 18/4, 14h.

Adeus à Linguagem 3D (DCP, Dir.: Jean-Luc Godard, Suíça/França, 2014, 70 min., 16 anos)

A ideia é simples: uma mulher casada conhece um homem solteiro. Eles amam, eles discutem, punhos ao vento. Um cachorro vaga entre a cidade e o campo. As estações passam, o homem e a mulher se encontram novamente. O cachorro se encontra entre os dois. O outro está em um, o um está no outro e eles são três. O ex-marido quebra tudo. Um segundo filme começa, igual ao primeiro. E ainda assim não. A raça humana, nós passamos a metáfora. Isso termina em latidos e o choro de um bebê.

Sexta-feira, 8/4, 21h. Sábado, 23/4, 19h.

Império Dos Sentidos (DCP, Dir.: Nagisa Oshima, Japão/França, 1976, 90 min., 18 anos)

No Japão de 1936, Sada Abe, uma ex-prostituta, se envolve em um caso de amor obsessivo com o chefe de uma propriedade onde ela é contratada como empregada. O que começa como uma diversão inconseqüente transforma-se em uma paixão que ultrapassa todos os limites, onde dois amantes vivem uma relação absoluta, uma busca incessante pelo prazer, onde os seus desejos se confundem quando eles são envolvidos em uma delicada e sensual atmosfera de perigo. Inspirado em um caso real.  Melhor filme pelo voto da crítica em 1980.

Sexta-feira, 8/4, 23h59.

45 Anos (DCP, Dir.: Andrew, Reino Unido, 2015, 95 min., 12 anos)

Kate Mercer está planejando a festa de comemoração dos 45 anos de casada. Porém, cinco dias antes do evento, Geoff, seu marido, recebe uma carta o informando que o corpo de seu primeiro amor foi encontrado congelado no meio dos Alpes Suíços. Conservado pelo tempo, o cadáver manteve a beleza da juventude, enquanto Geoff agora está velho. A estrutura emocional dele é seriamente abalada e Kate já não sabe se vai ter o que comemorar durante a festa.

Sábado, 9/4, 14h. Domingo, 17/4, 19h.

Branco Sai Preto Fica (DCP, Dir.: Adirley Queirós, Brasil, 2014, 93 min., 12 anos)  

Dois homens negros, moradores da maior periferia de Brasília, ficam marcados para sempre graças a uma ação criminosa de uma polícia racista e territorialista da Capital Federal. Essa polícia invade um baile black . Tiros, correria e a consumação da tragédia: um homem fica para sempre na cadeira de rodas, o outro perde a perna após um cavalo da polícia montada cair sobre ele. Mas esses homens não se sentem confortados em contar a história de maneira direta e jornalística. Eles querem fabular, querem outras possibilidades de narrar o passado, abrindo para um presente cheio de aventuras e ressignificações, propondo um futuro.

Sábado, 9/4, 19h. Segunda-feira, 18/4, 16h30.

Mad Max – Estrada da Fúria 3D (DCP, Dir.: George Miller, Austrália/EUA, 2015, 120 min., 16 anos)  

Max Rockatansky é um guerreiro traumatizado que vaga pelas estradas de um mundo destruído. Ele é capturado por homens do exército de Immortan Joe, líder de uma comunidade que vive sob sua mão de ferro. Quando a Imperatriz Furiosa trai Immortan Joe e tenta salvar um grupo de garotas que o tirano usava como parideiras, Max se vê no meio de uma perseguição que não escolheu presenciar. Também tentando fugir, ele aceita ajudar Furiosa em sua luta contra Joe e se vê dividido entre mais uma vez seguir sozinho seu caminho ou ficar com o grupo. Quarto filme da série Mad Max, iniciada em 1979.

Sábado, 9/4, 21h. Domingo, 24/4, 16h30.

Força Maior (DCP, Dir.: Ruben Östlund, Suécia/França/Dinamarca/Noruega, 2014, 118 min., 12 anos)

Ebba e Tomas decidem passar cinco dias de férias esquiando nos Alpes franceses com seus dois filhos. Tomas deve passar mais tempo com a família, pois Ebba acha que ele trabalha demais. Quando os quatro almoçam num restaurante nas montanhas, uma avalanche se aproxima rapidamente e ameaça soterrar o local. Nenhum deles fica ferido, mas a atitude de Tomas durante o incidente pode causar danos irreparáveis, fazendo com que seja constantemente perseguido por seus erros.

Não recomendado para menores de 12.

Domingo, 10/4, 14h. Sábado, 23/4, 16h30. 

Orestes (DCP, Dir.: Rodrigo Siqueira, Brasil, 2015, 93 min., livre)

A filha de uma militante política traída e executada, um policial, uma defensora da pena de morte, um ex-preso político, pais que perderam seus filhos e uma enfermeira que lida diariamente com o resultado da violência são alguns dos personagens que se confrontam nesta reflexão sobre os mecanismos da justiça e as possibilidades de resgate das culpas e dívidas de várias gerações. Fantasmas da ditadura, posições antagônicas sobre responsabilidade, ética e punição e os próprios ritos, tanto dos tribunais como da tragédia grega, são passados no fio da navalha, num processo em que a objetividade se procura, mas escapa.

Domingo, 10/4, 19h. Quinta-feira, 21/4, 14h.

Star Wars – O Despertar da Força 3D (DCP, Dir.: J. J. Abrams, EUA, 2015, 136 min., 12 anos)

Três décadas depois da queda de Darth Vader e do Império, surge uma nova ameaça: a Primeira Ordem, uma organização sombria que busca minar o poder da República e que tem Kylo Ren, o General Hux e o Líder Supremo Snoke como principais expoentes. Eles conseguem capturar Poe Dameron, um dos principais pilotos da Resistência, que antes de ser preso envia através do pequeno robô BB-8 o mapa de onde vive o mitológico Luke Skywalker. Ao fugir pelo deserto, BB-8 encontra a jovem Rey, que vive sozinha catando destroços de naves antigas. Enquanto isso, Poe recebe a ajuda de Finn, um stormtrooper que decide abandonar o posto repentinamente. Juntos, eles escapam do domínio da Primeira Ordem.

Não recomendado para menores de 12.

Domingo, 10/4, 21h. Sexta-feira, 15/4, 21h.

As Sufragistas (DCP, Dir.: Sarah Gavron, Reino Unido, 2015, 106 min., 12 anos)

No início do século XX, após décadas de manifestações pacíficas, as mulheres ainda não tinham o direito de voto no Reino Unido. Um grupo militante decide coordenar atos de insubordinação, quebrando vidraças e explodindo caixas de correio, para chamar a atenção dos políticos locais à causa. Maud Watts, uma moça sem formação política, descobre o movimento e passa a cooperar com as novas feministas. Ela enfrenta grande pressão da polícia e dos familiares para voltar ao lar e se sujeitar à opressão masculina, mas decide que o combate pela igualdade de direitos merece alguns sacrifícios.

Segunda-feira, 11/4, 16h30. Sábado, 16/4, 14h.

Hamlet (DCP, Dir.: Cristiano Burlan, Brasil, 2014, 90 min., 12 anos)

A partir do assassinato de seu pai por seu tio, Hamlet é obrigado a enfrentar suas próprias contradições e as do mundo à sua volta. Em uma desconstrução de si mesmo, ele mergulha na eterna questão sobre o sentido da existência. Ambientado numa grande metrópole, o filme é uma livre adaptação da tragédia de William Shakespeare.

Segunda-feira, 11/4, 19h. Segunda-feira, 25/4, 14h 

O Sal Da Terra (DCP, Dir.: Juliano Ribeiro Salgado e Wim Wenders, França/Brasil/Itália, 2014, 110 min., 12 anos)

Em 40 anos de carreira, o fotógrafo Sebastião Salgado percorreu o mundo como testemunha de uma humanidade em plena transformação, registrando eventos trágicos de nossa história recente. Atualmente, dedica-se à descoberta de territórios virgens e suas grandes paisagens e ao encontro de uma fauna e de uma flora selvagens num gigantesco estudo fotográfico que contempla a beleza do planeta. O filme revela os bastidores desse novo projeto, intitulado Gênesis.

Segunda-feira, 11/4, 21h. Domingo, 24/4, 19h.

Sabor da Vida (DCP, Dir.: Naomi Kawase, Japão/França/Alemanha, 2015, 113 min., 10 anos) 

Sentaro dirige uma pequena padaria que serve dorayakis – panquecas recheadas com pasta de feijão vermelho doce. Quando uma senhora de idade, Tokue, se oferece para ajudar na cozinha, ele relutantemente aceita. Mas Tokue prova ter um toque de mágica quando se trata de fazer “an”. Graças à sua receita secreta, o pequeno negócio logo floresce e, com o tempo, Sentaro e Tokue abrem seus corações para revelar velhas feridas.

Terça-feira, 12/4, 14h. Sexta-feira, 22/4, 21h.

Califórnia (DCP, Dir.: Marina Person, São Paulo, 2015, 90 min., 14 anos)

São Paulo, 1984. Estela vive a conturbada passagem pela adolescência. O sexo, os amores, as amizades; tudo parece muito complicado. Seu tio Carlos é seu maior herói, e a viagem à Califórnia para visitá-lo, seu grande sonho. Mas tudo desaba quando ele volta magro, fraco e doente. Entre crises e descobertas, Estela irá encarar uma realidade que mudará definitivamente sua forma de ver o mundo.

Terça-feira, 12/4, 16h30. Quarta-feira, 27/4, 19h.

Ausência (DCP, Dir.: Chico Teixeira, Brasil, 2014, 87 min., 12 anos)

Serginho já não é mais menino e ainda não é um homem. Neste drama cotidiano, familiar, sexual e afetivo, seguimos seu dia a dia: o recém-adquirido papel de homem da casa cuidando de sua mãe e seu irmão mais novo; o trabalho na feira; sua amizade com Mudinho e Silvinha; e sua relação confusa, entre o sexo e o afeto, com o professor Ney. Um tecido de momentos da vida de um menino em transição.

Terça-feira, 12/4, 19h. Quarta-feira, 27/4, 16h30.

Que Horas Ela Volta? (DCP, Dir.: Anna Muylaert, Brasil, 2015, 114 min., 12 anos)

A pernambucana Val se mudou para São Paulo a fim de dar melhores condições de vida para sua filha Jéssica. Com muito receio, ela deixou a menina no interior de Pernambuco para ser babá de Fabinho, morando integralmente na casa de seus patrões. Treze anos depois, quando o menino vai prestar vestibular, Jéssica lhe telefona, pedindo ajuda para ir à São Paulo, no intuito de prestar a mesma prova. A princípio, os patrões de Val recebem a menina de braços abertos. Mas quando ela deixa de seguir certo protocolo, circulando livremente pela casa, a situação se complica.

Quarta-feira, 13/4, 16h30. Terça-feira, 19/4, 14h.

A Pele De Vênus (DCP, Dir.: Roman Polanski, França/Polônia, 2013, 96 min., 14 anos) 

Vanda é uma atriz que chega atrasada para o teste de elenco que o diretor Thomas está fazendo a fim de encontrar a protagonista de sua mais nova peça, inspirada em obra de Leopol Von Sacher Masoch. Thomas reluta em aceitar que ela faça o teste, pois está atrasado para um compromisso. Mas ele acaba cedendo às insistências de Vanda e em pouco tempo os dois se vêem em meio a uma discussão sobre os papéis do homem e da mulher na sociedade, a partir de reflexões sobre sofrimento e masoquismo.

Quarta-feira, 13/4, 19h. Segunda-feira, 25/4, 16h30.

Leviatã (DCP, Dir.: Andrey Zvyagintsev, Rússia, 2014, 142 min., 14 anos)

Kolia vive em uma pequena cidade próxima ao Mar de Barents, no norte da Rússia. Ele é dono de uma oficina, ao lado da casa onde vive com sua esposa e seu filho. Vadim Shelevyat, o corrupto prefeito da cidade, quer tirar o seu negócio, sua casa e sua terra. Primeiro ele tenta o suborno, mas Kolia não admite perder tudo o que tem. Não só a terra, mas também toda a beleza que o rodeia desde o dia em que nasceu. É então que o prefeito adota uma conduta mais agressiva para conseguir o que quer.

Quarta-feira, 13/4, 21h. Sábado, 23/4, 14h.

O Clube (DCP, Dir.: Pablo Larraín, Chile, 2015, 98 min., 16 anos)

Um grupo eclético de sacerdotes convive com Mónica, uma freira, em uma casa na costa chilena. Quando não estão orando e expiando seus pecados, eles treinam seu cachorro para a próxima corrida. O que será que os levou até ali, praticamente no meio do nada, onde o vento sopra com força? Quando um novo sacerdote se muda para lá, um homem começa a lhe fazer fortes acusações. Sua voz aumenta mais e mais até que um tiro soa. O padre evita as acusações dizendo ser suicídio. A igreja envia um investigador, mas será que ele realmente tem a intenção de descobrir a verdade ou apenas garantir que a aparência seja mantida?

Quinta-feira, 14/4, 14h. Sexta-feira, 22/4, 19h.

Últimas Conversas (DCP, Dir.: Eduardo Coutinho, Brasil, 2015, 85 min., 12 anos)

A partir de entrevistas com jovens estudantes brasileiros, o filme busca entender como pensam, sonham e vivem os adolescentes de hoje. Quando morreu, em fevereiro de 2014, o diretor Eduardo Coutinho deixou 32h de material gravado e um caderno com anotações iniciais a respeito desse material. Foi então que produtor João Moreira Salles e a montadora Jordana Berg levaram a diante a missão de terminar a obra. No corte final, tem-se nove entrevistas das 97 realizadas durante as filmagens, que aconteceram entre 2 e 12 de novembro de 2014 no Estúdio do Cais.

Quinta-feira, 14/4, 16h30. Sábado, 23/4, 21h.

Osvaldão (DCP, Dir.: Vandré Fernandes, Ana Petta, Fabio Bardella e André Michiles, Brasil, 2014, 79 min., 10 anos)

A vida de Osvaldo Orlando da Costa, comandante da Guerrilha do Araguaia que virou herói entre o povo local, por conta de sua coragem e generosidade. Muitos até o consideram como um ser mítico. Uma visão não só da lenda ao redor do nome de Osvaldão, mas também de suas aventuras humanas. Vindo de uma família de ex-escravos, uma trajetória onde um jovem campeão carioca de boxe na década de 1950 se transforma em um dos principais guerrilheiros do país.

Quinta-feira, 14/4, 19h. Quinta-feira, 21/4, 16h30.

Winter Sleep (DCP, Dir.: Nuri Bilge Ceylan, Turquia/Alemanha/França, 2014, 196 min., 12 anos)

Aydin é um ex-ator de teatro, dono de um pequeno hotel na Anatólia, região asiática da Turquia, que escreve para um jornal local artigos com mensagens altruístas. Mas, aos poucos, sua jovem esposa Nihal e sua irmã Necla vão mostrando que por trás dessa máscara se esconde um homem frio, egoísta e manipulador. No inverno, com a neve cobrindo pouco a pouco a paisagem da estepe, o hotel se torna um refúgio, mas também o teatro dos conflitos entre os três.

Quinta-feira, 14/4, 21h. Segunda-feira, 18/4, 19h.

Chatô – O Rei Do Brasil (DCP, Dir.: Guilherme Fontes, Brasil, 2015, 102 min., 14 anos)

O magnata das comunicações Assis Chateaubriand, o Chatô, é a estrela principal de um programa de TV chamado O julgamento do século, realizado bem no dia de sua morte. É nele que Chatô relembra fatos marcantes de sua vida, como os casamentos com Maria Eudóxia e Lola, a paixão não correspondida por Vivi Sampaio, como manipulava as notícias nos veículos de comunicação que comandava e a estreita e conturbada ligação com Getúlio Vargas, que teve início ainda antes dele se tornar presidente. Inspirado no livro de Fernando Morais.

Sexta-feira, 15/4, 14h. Quarta-feira, 20/4, 19h.

Birdman ou A Inesperada Virtude da Ignorância (DCP, Dir.: Alejandro González Iñárritu, EUA, 2014, 119 min., 16 anos)

Riggan Thomson é um ator que, no passado, fez muito sucesso interpretando Birdman, um super-herói que se tornou um ícone cultural. Hoje um cinquentão, esquecido por muitos, ele está montando uma adaptação de um conto de Raymond Carver na Broadway, que dirige e estrela. Entretanto, em meio aos ensaios, Riggan precisa lidar com seu agente, sua filha e seu elenco, formado por divas que querem toda a atenção. Além disso, ele ainda ouve uma estranha voz que se identifica como Birdman.

Sexta-feira, 15/4, 16h30. Domingo, 24/4, 14h.

Olmo e A Gaivota (DCP, Dir.: Petra Costa e Lea Glob,  Brasil/Dinamarca/Portugal/ França, 2015, 87 min., 12 anos)

A travessia pelo labirinto da psique de Olivia, atriz intempestiva que se prepara para atuar na peça A gaivota , de Tchekov. Quando o espetáculo começa a tomar forma, Olivia e seu companheiro Serge, que haviam se conhecido anos antes nos ensaios do Théâtre du Soleil, descobrem que ela está grávida. O filme tem uma nova virada quando o que parecia ser encenação revela-se como a própria vida. Ou seria o inverso? Esta investigação do processo criativo nos convida a questionar o que é real, o que é imaginário e o que celebramos e sacrificamos em nossas vidas.

Sexta-feira, 15/4, 19h. Terça-feira, 26/4, 14h.

A História Da Eternidade (DCP, Dir.: Camilo Cavalcante, Brasil, 2014, 120 min., 16 anos)

Em um pequeno vilarejo no sertão, três histórias de amor e desejo revolucionam a paisagem afetiva de seus moradores. Personagens de um mundo romanesco, no qual suas concepções da vida estão limitadas, de um lado pelos instintos humanos, do outro por um destino cego e fatalista. Alfonsina tem 15 anos e sonha conhecer o mar; Querência está na faixa dos 40; e Das Dores, já no fim da vida, recebe o neto após um passado turbulento.

Sábado, 16/4, 16h30. Segunda-feira, 25/4, 21h.

Party Girl (DCP, Dir.: Marie Amachoukeli, Claire Burger e Samuel Theis, França, 2014, 97 min., 14 anos)

Angélique é uma hostess de 60 anos que ainda gosta de festa e de homens. É a funcionária mais velha de um cabaré perto da fronteira franco-alemã e não abre mão de nada por conta da idade avançada. No entanto, por mais que continue sedutora e festeira como sempre foi, ela começa a ver a clientela tornar-se cada vez mais rara. Mas Michel, seu cliente regular que sempre foi apaixonado por ela, um dia a pede em casamento. É quando a vida de Angélique de sua família começa a tomar novos rumos.

Sábado, 16/4, 19h. Terça-feira, 19/4, 16h30. 

O Clã (DCP, Dir.: Pablo Trapero,  Argentina/Espanha, 2015, 110min., 10 anos)  

Baseado na história real que abalou a Argentina, o filme conta a história dos Puccio, uma família de classe média que tem por hábito sequestrar pessoas ricas, pedir o resgate e, ao receber o pagamento, matar as suas vítimas. O patriarca, Arquimedes, comanda as operações ao lado do filho Alejandro, enquanto sua esposa e as filhas fingem ignorar o que acontece à sua volta. Mas as coisas mudam de figura quando um filho distante volta da Austrália, criando novas tensões familiares.

Sábado, 16/4, 21h. Quinta-feira, 21/4, 19h.

Numa Escola De Havana (DCP, Dir.: Ernesto Daranas, Cuba, 2014, 108 min., 12 anos)

Chala, um garoto de 11 anos, vive com sua mãe viciada em drogas, Sonia. Para sustentar a casa, ele treina cães de briga, indiretamente ajudado por um homem que pode ser ou não seu pai biológico. As dificuldades de sua vida refletem na escola, onde é aluno de Carmela, por quem tem grande respeito. Mas quando ela fica doente e tem que se afastar, Chala não se adapta à nova professora, que sugere que ele seja transferido para um internato. Quando Carmela retorna, não aceita essa medida e outras imposições que aconteceram durante sua ausência. Enquanto a relação entre professora e aluno se intensifica, os dois passam a ser perseguidos na escola, levando a um conflito que reflete o complexo sistema contemporâneo de Cuba.

Domingo, 17/4, 14h. Terça-feira, 26/4, 21h.

Casa Grande (DCP, Dir.: Fellipe Gamarano Barbosa, Brasil, 2014, 117 min., 14 anos)

Jean é um adolescente rico que luta para escapar da superproteção dos pais, secretamente falidos. Quando o motorista de longa data é demitido, Jean tem a tão sonhada chance de pegar o ônibus público pela primeira vez. No ônibus, ele conhece Luiza, uma aluna da rede pública que começa a abrir seus olhos para as contradições de dentro e fora da casa grande.

Domingo, 17/4, 16h30. Sexta-feira, 22/4, 14h

Dois Dias, Uma Noite (DCP, Dir.: Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne, Bélgica/França /Itália, 2014 , 95 min., 12 anos)

Sandra perde seu emprego em uma fábrica depois que outros trabalhadores escolhem receber um bônus ao invés de mantê-la na equipe. Ela descobre que alguns de seus colegas foram persuadidos a votar contra ela. Mas Sandra tem uma chance de reconquistá-lo. Ela e Manu, seu marido, têm uma tarefa complicada para o final de semana: devem visitar cada um de seus colegas de trabalho e convencê-los a abrir mão de seus bônus, para que o casal possa manter o seu emprego.

Não recomendado para menores de 12.

Domingo, 17/4, 21h. Terça-feira, 26/4, 19h.

Homem Comum (DCP, Dir.: Carlos Nader, Brasil, 2013, 96 min., 10 anos)

Ao longo de quase 20 anos, o cineasta Carlos Nader conviveu com o caminhoneiro paranaense Nilson de Paula e sua família. Desde o início, havia o projeto de realizar um documentário, cujas intenções se transformam visceralmente, num processo também captado pela câmera. Durante esse período, transformam-se as vidas de Nilson, que adoece, de sua mulher, Jane, e de sua única filha, Liciane, assim como a do diretor, que passa a fazer parte deste círculo também afetivamente. Grandes questões, como o sentido da vida, incorporam-se à própria tessitura do filme, ao qual se contrapõem trechos do clássico ‘A Palavra’, de Carl Dreyer, evidenciando conexões estéticas e existenciais.

Terça-feira, 19/4, 19h. Quarta-feira, 27/4, 14h.

Chico, Artista Brasileiro (DCP, Dir.: Miguel Faria Jr., Brasil, 2015, 110 min., 10 anos)

Personagem fundamental da cultura brasileira nos últimos 50 anos, autor, dramaturgo e compositor de uma extraordinária coleção de canções que habitam o imaginário coletivo do país, Chico Buarque dialoga com a própria memória neste filme. O longa tem como um dos eixos a descoberta do irmão alemão de Chico. Guiado pela fala do próprio artista, o longa revisita a sua história do ponto de vista da maturidade.

Quarta-feira, 20/4, 14h. Sexta-feira, 22/4, 16h30.

Mia Madre (DCP, Dir.: Nanni Moretti, Itália/França, 2015, 107 min., 10 anos)

Margherita é cineasta e está no meio da produção de seu novo filme, cujo papel principal é desempenhado por um célebre – e insuportável – ator norte-americano de origem italiana. Durante as filmagens, as dúvidas e questões típicas da artista comprometida que é misturam-se a angústias de sua vida privada: a mãe de Margherita está no hospital, enquanto sua filha vive em plena crise de adolescência. Será que Margherita conseguirá desempenhar bem ambos os papéis?

Quarta-feira, 20/4, 16h30. Segunda-feira, 25/4, 19h.

A Gangue (DCP, Dir.: Miroslav Slaboshpitsky, Ucrânia/Holanda, 2014, 132 min., livre)

Sergey, um jovem surdo-mudo, começa a estudar num internato especializado que abriga secretamente uma rede de crime e prostituição entre seus estudantes, “a tribo”. Neste novo ambiente, ele é forçado a aceitar as duras regras da gangue e participa de vários assaltos, o que lhe garante o respeito dos colegas. Quando ele conhece Anna, uma das amantes do líder da gangue, acaba quebrando uma das regras veladas da tribo.

Quarta-feira, 20/4, 21h. Quarta-feira, 27/4, 21h.

ESPECIAL: RELEMBRANDO OS MELHORES

Ligações Perigosas (DCP, Dir.: Stephen Frears, EUA/Reino Unido, 1988, 119min., 16 anos)

França, final do século XIX. A Marques de Merteuil e o Visconde de Valmont formam uma dupla acostumada a perigosos jogos sexuais. Valmont mede seu sucesso pelo número de mulheres que já conquistou e Marteuil decide desafiá-lo a conquistar a jovem noiva Cecile de Volanges. Sua recompensa será passar uma noite com a própria Merteuil. Valmont conquista a jovem com facilidade, mas quem ele realmente quer seduzir é a Madame de Tourvel, por quem acaba se apaixonando. Quando Merteuil descobre, ela se nega a pagar a recompensa a Valmont. Não demora para que as artimanhas da dupla terminem em violência.

Melhor filme pelo voto da crítica em 1989.

Sexta-feira, 15/4, 23h59. 

Adeus Meninos (DCP, Dir.: Louis Malle, França/Alemanha/Itália, 1987, 104 min., 14 anos)

Durante a Segunda Guerra Mundial, a França está dividida entre invasores nazistas e colaboracionistas – cidadãos franceses que ajudam os alemães – e a resistência. Julien, filho de uma família rica, é enviado para o colégio interno a fim de ser educado por padres cristãos. Após as festas de Natal, ele volta para a tediosa rotina no internato. Suas aulas parecem sem novidades, até que chega um novo aluno, Jean, um menino inteligente e introspectivo. Não demora para que os dois criem um laço muito próximo de amizade. Até que Julien descobre que Jean tem um segredo perigoso para aquela época.

Melhor filme pelo voto da crítica em 1988.

Quinta-feira, 21/4, 23h59.

Gritos E Sussurros (DCP, Dir.: Ingmar Bergman, Suécia, 1972, 106 min., 18 anos)

Na Suécia da virada do século XIX para o XX, Agnes está morrendo de câncer, em sua isolada mansão rural, quando recebe a visita de suas irmãs Karin e Maria. A medida em que a dor e o sofrimento de Agnes se tornam incontroláveis, as irmãs são tomadas pelo medo e pela repulsa, mostrando-se incapazes de qualquer empatia; e Agnes só encontra consolo nos cuidados da empregada Anna. Com a morte cada vez mais próxima, surgem antigos ressentimentos, ciúmes, inveja e amargura entre as irmãs, desenterrando terríveis histórias familiares. Vencedor do Oscar de melhor fotografia e indicado em outras quatro categorias, incluindo melhor filme e direção.

Melhor filme pelo voto da crítica em 1974, primeira edição do festival.

Sexta-feira, 22/4, 23h59.

Pai Patrão (DCP, Dir.: Paolo Taviani e Vittorio Taviani, Itália, 1977, 114 min., 14 anos)

No interior da Sardenha, Itália, Gavino é um menino de seis anos oprimido pela ignorância e violência do pai, que o obriga a deixar os estudos e ir para o campo pastorar ovelhas. Com o tempo, Gavino entende que a sua única saída é conquistar aquilo que falta a seu pai: cultura. Baseado na autobiografia do escritor italiano Gavino Ledda, o filme mostra como o personagem principal consegue escapar de sua realidade quase barbárica ao se educar, apesar da violenta oposição de seu pai. Vencedor da Palma de Ouro no Festival de Cannes.

Melhor filme pelo voto da crítica em 1978.

Sábado, 23/4, 23h59.


CINECLUBINHO

Divertida Mente (DCP, Dir.: Pete Docter e Ronnie Del Carmen, EUA, 2015, 94 min., livre)

Após a jovem Riley se mudar para San Francisco, suas emoções (alegria, medo, raiva, nojinho e tristeza) entram em conflito sobre qual é a melhor forma de navegar em uma nova cidade, casa e escola.

Domingo, 10/4, 11h, grátis. Retirada de ingressos com 30 min. de antecedência.

O Pequeno Príncipe 3D (DCP, Dir.: Mark Osborne. EUA, 2014, 110 min., livre)

O Aviador apresenta sua nova amiga a um mundo extraordinário, no qual tudo é possível. Um mundo ao qual ele mesmo foi apresentado há muito tempo pelo Pequeno Príncipe. É aí que começa a jornada da pequena garota pela sua própria imaginação – e pelo universo do Pequeno Príncipe.

Domingo, 17/4, 11h, grátis. Retirada de ingresso com 30 min. de antecedência.

Kiriku, o Homens e as Mulheres (DCP, Dir.:  Michel Ocelot, França, 2012, 88 min., livre)   Kiriku é chamado para salvar sua aldeia de perigos sobrenaturais e humanos, o que ele faz com muita astúcia e humor, além de uma certa ingenuidade sobre o mundo. Contado pelo seu avô, o Homem Sábio que vive na Montanha Proibida, o filme entrelaça uma coleção de fábulas misturando narrativa tradicional e mitologia com pedaços de humor e sagacidade .

Domingo, 24/4, 11h, grátis. Retirada de ingressos com 30 min. de antecedência.

 

SEMINÁRIOS DA CRÍTICA

120 Anos de Cinema – Uma Invenção Sem Futuro

Profissionais do cinema discutem temas relevantes referentes a produção cinematográfica.

Quinta-feira, 7/4, 19h30. Retirada de ingressos com 1h de antecedência. Vagas limitadas.

 

Audiovisual Brasileiro: perspectivas

Profissionais do cinema discutem temas relevantes referentes a produção cinematográfica.

Sexta-feira, 8/4, 19h30. Retirada de ingressos com 1h de antecedência. Vagas limitadas.

 

CINEMA DA VELA

Balanço 2015 – Um olhar crítico sobre a produção cinematográfica do ano

Diretores e críticos de cinema se encontram com o público para uma conversa sobre a produção cinematográfica de 2015.

Quarta-feira, 13/4, 19h30, grátis.

 

O Documentário e seus gêneros

Como se dá o processo de feitura de um documentário? O contato com o outro, a pesquisa, os modos de apresentar, bem como a edição das falas são questões importantes que envolvem todo esse processo.

Quarta-feira, 20/4, 19h30, grátis.

Comente via Facebook!
Tatá Snow

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
CulturaEventos

Ver também