Arrow – Temporada 1 – Episódio 13 – Betrayal

Após uma maratona de episódios bem comportados e insossos, o 12º episódio começa a direcionar a série a um rumo mais interessante. Um dos grandes problemas dos últimos episódios foi...

Após uma maratona de episódios bem comportados e insossos, o 12º episódio começa a direcionar a série a um rumo mais interessante. Um dos grandes problemas dos últimos episódios foi a total falta de ousadia na apresentação de conflitos: vilões são rapidamente derrotados e dilemas são resolvidos através de uma terceira escolha conveniente.

Em Betrayal, Cyrus Vanch, um perigoso criminoso volta às ruas de Starling City e espera tomar controle do vácuo de poder do submundo criminoso causado pelas ações do Capuz. Laurel corre contra o tempo para impedir que o criminoso cause danos. Enquanto isso, Oliver e Diggle entram em conflito sobre o papel da Moira Queen na grande conspiração.

Apesar de estar longe de uma narrativa impecável, o episódio teve mais momentos a favor do que contra. A narrativa flerta com a ideia que talvez, o pai do Oliver seja um criminoso e a missão de Oliver nada mais é do que “limpeza” de todos aqueles que possam estar em dívida com a família Queen. A busca obsessiva do Detetive Lance acaba colocando sua própria filha na linha de fogo quando esta é sequestrada por Cyrus. Lance que como sempre, tem alguns dos momentos mais interessantes da série , se vê num dilema complexo entre arriscar o amor de sua filha e precisar da ajuda do vigilante. Sua aliança frágil promete mudanças interessantes para Arrow.

Os flashbacks da ilha desta vez se amarram bem com a estrutura do episódio e as revelações do passado refletem bem os desafios no presente do herói. Sem contar que, o verdadeiro Slade Wilson, o Exterminador, surge e é um dos personagens mais legais até agora.

O episódio fecha com um grande momento de evolução do personagem quando Oliver finalmente confronta sua mãe com a verdade, agora é só rezar para o próximo episódio não resolver o cliffhanger nos primeiros 5 minutos sem resolver nada.

***

Pontos Fortes:

  • “Você é o policial. Eu sou o vigilante.” – A dinâmica do Capuz com Lance promete ser um dos pontos altos da série.
  • Slade Wilson como um soldado do SASR Australiano foi brilhante. Transformar um dos maiores vilões da DC em um australiano durão e viciado em facas ficou genial.

Pontos Fracos:

  • Cyrus Vanch surge como um ameaçador criminoso… com terno de manga enrolada estilo anos 80 e cabelo do Tin Tin… visual menos ameaçador de todos os tempos…

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categories
Críticas

RELATED BY