Arrow – Temporada 1 – Episódio 4 – An Innocent Man

Um dos grandes desafios de adaptar um universo de super herói para um drama televiso é garantir que além do protagonista, os personagens coadjuvantes também tenham algum apelo para...

Um dos grandes desafios de adaptar um universo de super herói para um drama televiso é garantir que além do protagonista, os personagens coadjuvantes também tenham algum apelo para a audiência, seja através de personalidades cativantes, histórias intrigantes ou a oportunidade de assistir estes personagens evoluírem como pessoas. Afinal, nos quadrinhos, os coadjuvantes só são utilizados para mover o enredo para frente e não tirar o foco do herói. Os primeiros episódios de Arrow sofreram deste problema, que além de explorar as origens de Oliver Queen e sua jornada que o transformou em “O Capuz” (ele não foi chamado de Arqueiro Verde ainda) tentam estabelecer histórias paralelas para os demais personagens.

Alguns personagens de Arrow, como o caso de Laurel Lance, representam ideais máximos, a promotora pública que se dedica inteiramente para a lei e tem fé plena no sistema, este episódio é o primeiro que foca em aspectos diferentes da personagem. Ao descobrir que um detento esperando a pena de morte foi falsamente acusado, Oliver terá de pedir a ajuda de Laurel para auxilia-lo em sua nova missão. Depois de uma cena de diálogo expositório meio farofa (“eu sempre acreditei no sistema, mas hoje aprendi que a lei blablablabla”), Laurel decide ajudar o arqueiro em sua missão. Infelizmente, ao testemunhar a fúria descontrolada e assassina do herói, a jovem heroína passa a temer o vigilante.

Pontos Fortes:

  • A cena de invasão da prisão foi bad-ass!
  • Incrivelmente, a série ousou e me pegou de surpresa, o episódio onde o pai de Laurel vagamente descobre quem é o vigilante e decidi prender Oliver foi totalmente inesperada.
  • Os primeiros sinais de que talvez Oliver corra o risco de perder sua humanidade durante sua missão começam a ficar mais evidentes.

Pontos Fracos:

  • Realmente colocaram uma cena do “Não consigo dormir. Você também não consegue dormir? Vamos ver TV de noite e conversar sobre amor.”? Ugh…
  • Quanto Stephen Amell faz a voz de herói braveza dele… realmente não passa seriedade…

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categories
Críticas

RELATED BY