BLAME! – Novo mangá e filme original da NETFLIX

De autoria de Tsutomu Nihei, BLAME! chegou para mostrar que para ser um sucesso, um mangá não precisa “falar” muito MANGÁ BLAME! possui uma arte rica em detalhes e pouquíssimas falas,...

De autoria de Tsutomu NiheiBLAME! chegou para mostrar que para ser um sucesso, um mangá não precisa “falar” muito

MANGÁ

BLAME! possui uma arte rica em detalhes e pouquíssimas falas, mas o que o mangá não tem em palavras ele tem na sua arte belíssima e cheia de significado. Meio que honrando o jargão “uma imagem fala mais do que mil palavras.”

Ambientado em uma realidade distópica, futurista e obscura, aqui o ser humano foi quase extinto por uma tecnologia hostil à vida natural. O protagonista Killy é um solitário silencioso que vaga por um vasto mundo tecnológico conhecido como “A Cidade”.

“A Cidade” é um imenso volume de estrutura artificial, separada em “pisos” maciços por barreiras quase impenetráveis ​​conhecidas como “Megaestrutura”. Habitada por tribos humanas e “transhumanas” dispersas, bem como cyborgs hostis conhecidos como criaturas de silício.

Killy está à procura de seres humanos que possuam o gene “Terminal Net”, um extinto marcador genético que permite acessar o “Netsphere”, a rede que controla “A Cidade”. Ao terem o acesso, esses humanos seriam a chave para frear a expansão desordenada e caótica dessa estrutura e também uma maneira de parar a horda assassina, conhecida como a Salvaguarda, de destruir toda a humanidade.

A intenção de Nihei parece ser de nos mostrar como o mundo de BLAME! é desolado, antinatural e sem vestígios de humanidade. Isso, por muitas vezes, pode fazer com que a leitura seja um pouco confusa. Devido a ambientação ser em um uma megaestrutura metalizada, muitas vezes é preciso ter atenção para que se perceba as mudanças de ambiente. Isso se grava ainda mais com a falta de diálogos frequentes. Alguns leitores podem simplesmente desistir da leitura por parecer confusa meio a quantidade de quadros.

Mas isso não é um ponto negativo, já que nos tira completamente da zona de conforto de mangás plenos de ação, combates e diálogos excessivos. BLAME! permite que possamos treinar os olhos para perceber as coisas não ditas e, claro, também tem seu nível de ação. Tudo no mangá parece ter um por que de estar ali e isso por si só já é uma experiência e tanto.

NETFLIX

Foi anunciado que esse ano teremos o filme dirigido por Hiroyuki Seshita e escrito por Tsutomu Nihei e Sadayuki Murai, com animação por Polygon Pictures e desenhos de personagens por Yuki Moriyama. O longa será lançado globalmente como um original da NETFLIX no dia 20 de maio de 2017.

No elenco, Takahiro Sakurai (AJIN: Demi-Human, Knights of Sidonia) fará o protagonista, Killy. Cibo, cientista que o acompanha nesta jornada, é interpretado por Kana Hanazawa (Psycho-Pass, Zegapain). Sora Amamiya (The Seven Deadly Sins, Tokyo Ghoul) será Zuru, uma garota vinda de um vilarejo à beira da extinção; e Aya Suzaki (AJIN: Demi-Human, Knights of Sidonia) será Tae, a melhor amiga de Zuru. Kazuhiro Yamaji (Psycho-Pass, DragonBall Super) interpretará Oyassan, do mesmo vilarejo de Zuru e líder do grupo conhecido como Electrofishers, com seu braço-direito Sutezou, interpretado por Mamoru Miyano (AJIN: Demi-Human, The Seven Deadly Sins).

Já o mangá é publicado bimestralmente pela JBC, e pode ser encontrado nas livrarias e lojas especializadas. Vale a pena ler a obra para já começar a conhecer esse mundo tão diferente!

XOXO

Comente via Facebook!

Livros, unicórnios e tudo que há de bom! Esses foram os ingredientes escolhidos para criar a heroína perfeita! Mas Gandalf acidentalmente deixou cair uns mangás na poção e assim nasceu Miss Unicorn! Apaixonada por samurais, unicórnios e gatos ela sonha um dia ser a rainha dos Unicórnios e dona de toda Arcádia.

Categorias
Games & HQ'sNotíciasQuadrinhos

Ver também