Capitão América: O Soldado Invernal

Começa mais uma temporada super heróica com Capitão América: O Soldado Invernal (ou seria infernal?). Desta vez, a aventura do super soldado da Marvel apresenta um estilo ainda não...

Começa mais uma temporada super heróica com Capitão América: O Soldado Invernal (ou seria infernal?). Desta vez, a aventura do super soldado da Marvel apresenta um estilo ainda não explorado no universo cinematográfico do estúdio. Inspirado em thrillers políticos da década de 70 como Três Dias do Condor, Steve Rogers é colocado em meio a uma grande conspiração envolvendo a S.H.I.E.L.D que o faz questionar o papel da agência no mundo, em meio disto tudo, surge o Soldado Invernal e sua conexão misteriosa com o passado do Capitão América.

O filme começa alguns meses após a batalha de Nova Iorque e Steve Rogers lidera o esquadrão S.T.R.I.K.E. da S.H.I.E.L.D. uma unidade de intervenção e contra-terrorismo especializada em operações de alto risco. Em uma missão de resgate de um navio cargueiro que foi tomado pelo mercenário algeriano Batroc, o Capitão descobre algo e começa a questionar o método furtivo e potencialmente ilegal de conduta da S.H.I.E.L.D..

CAPTAIN-AMERICA-75

Nick Fury revela para Steve Rogers a nova iniciativa da S.H.I.E.L.D., o projeto Insight que consiste em três aeroporta aviões autossuficientes e altamente armados que serão utilizados para manutenção da paz e da ordem pelo mundo, ou nas palavras do próprio Capitão, “Você garantiu a segurança do mundo apontando uma arma para todos”. Em meio disto, o herói descobre uma grande conspiração por trás do projeto e agora, junto com a Viúva Negra e o Falcão, precisa desvendar o mistério antes que milhões de pessoas morram.

O filme apresenta o roteiro mais maduro de todos os longas da Marvel, com uma premissa relevante para a situação política atual nos EUA. É o primeiro filme da série onde a ação vem de balas, facadas e socos ao invés de raios, trovões e efeitos especiais, e eis um dos diferenciais do filme: as cenas de ação são realmente brutais, desde a incrível infiltração do cargueiro ao combate entre o Capitão América e as forças do Soldado Invernal. Quem diria que os diretores Joe e Anthony Russo (co-criadores da série Community) teriam um olho tão afiado para cenas de ação.

video-undefined-18F63BF600000578-79_637x362

Além da trama política, o filme dedica tempo para elaborar os personagens em um nível mais humano, feito que raramente é explorado. Aqui, Steve deve lidar com o mundo deixado para trás antes de ser congelado e vê os últimos vestígios de sua vida antiga desaparecendo, em uma cena particular, ele reencontra Peggy Carter, seu grande amor, agora uma senhora de 90 anos de idade sofrendo de  Alzenheimer. A própria Viúva Negra, tipicamente a personagem fria e misteriosa, ganha espaço na trama para explorar seu passado, e sinceramente, após este filme, se a Marvel não oferecer para a Scarlett Johansson seu próprio filme, é porque eles odeiam dinheiro. Anthony Macky no papel de Falcão vira o novo parceiro do Capitão e a dinâmica dos dois já é posta em evidência no começo da história.

Captain-America-The-Winter-Soldier-Steve-and-Natasha

Em suma? Corra para o cinema ver Capitão América: O Soldado Invernal, onde a Marvel mostra que também sabe brincar com os adultos quando se trata de super heróis e que não é só de Batman e Chistopher Nolan que se enche o prato.

Uma trama rica, personagens bem trabalhados e algumas das melhores cenas de ação que você já viu vão garantir boas horas de diverção, mesmo que inexplicavelmente, a lista de coisas que o Capitão América precisa descobrir contempla Xuxa, Mamonas Assassinas e Wagner Moura… pois é…

Mas ei, pelo menos fiquem atentos aos seguintes easter eggs:

– Uma referência a Stephen Strange, o Doutor Estranho.

– Uma referência a Pulp Fiction (não podemos contar onde sem dar spoilers).

– Uma referência à Community.

– E sim, um cheirinho de Vingadores: A Era de Ultron!

Até a próxima!

Ps.: São duas cenas pós créditos, não saia da sala até que a tela tenha se apagado!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
Criticas

Ver também