CCXP 2016 – O Rastro, novo terror nacional com Rafael Cardoso

Hospital em plena desativação, cenário caindo aos pedaços e um médico prestes a descobrir algo… O clima promete! No segundo dia da Comic Con Experience (02/12/2016), vimos em primeira...

Hospital em plena desativação, cenário caindo aos pedaços e
um médico prestes a descobrir algo… O clima promete!

cartaz-o-rastro_0No segundo dia da Comic Con Experience (02/12/2016), vimos em primeira mão o trailer do novo terror nacional, O Rastro, que chega aos cinemas ano que vem. E tivemos algumas informações bem bacanas sobre o processo. Com a presença de Rafael Cardoso (um lord, btw), Leandra Leal, André Pereira (produtor e roteirista), a co-roteirista Malu e o diretor J.C Feyer, em um bate papo bem descontraído, conversamos sobre o cinema brasileiro, filmes de gênero e a ascensão do terror. Buuu!

O filme se passa em um hospital que está sendo desativado. João (Rafael Cardoso) é encarregado de esvaziar as alas e selecionar quem vai para qual hospital. O cenário é o Beneficência Portuguesa, cuja realidade é bem similar: a ala usada nas filmagens está desativada há 15 anos!

Leandra faz o papel da esposa de João e, pelo trailer, não fica muito claro qual será a sua participação na trama. E nem puderam falar muito, pois até março/17 tem muito chão!

André, em nossa live, acabou soltando um spoiler: João precisa encontrar uma paciente que sumiu – ousamos dizer que seja a menina do trailer – e adentra nos confins do hospital caindo aos pedaços, onde provavelmente alguma ameaça fantasmagórica, talvez, comece a aterrorizar o protagonista? Um hospital carrega muitas energias, sejam positivas ou negativas. Morte, dor… E alguma coisa pode impregnar as paredes.

Não sabemos qual é o viés desse novo terror. O Rastro pode ser sobre fantasmas, sobre pacientes malucos, pode ser sobre os dois. A ambientação lembra bastante Terror em Mercy Falls (2005), um hospital infantil também em desativação, onde um espírito mal começa a tocar o terror.

André e Rafael levantaram as diferenças de um terror nacional, o que trouxeram de fora e adaptaram para cá. Se em Supernatural a temperatura cai toda vez que um fantasma se aproxima, em O Rastro a temperatura sobe. O contraponto para essa percepção, já que estamos no Brasil e faz calor a maior parte do tempo (ainda mais no Rio de Janeiro, onde se passa a história), é a iluminação. A maior parte das produções nacionais usa tons quentes, vermelhos, laranjas, ocres… A escolha do diretor J.C. foi ir caminho contrário e usar cores frias, azuladas. Portanto, não é o calor do Rio que está fazendo João suar!

Perguntamos se, afinal, o hospital Beneficência Portuguesa tem alguma história de terror, algum pano de fundo que pudesse ser usado no roteiro. A resposta foi não. Mas Rafael Cardoso, que acredita em coisas sobrenaturais, afirmou que as energias lá eram bem “tensas”. Já o roteirista não. Cético, hein?

Uma das perguntas, de certa forma exaustivamente levantada, foi sobre o preconceito dos brasileiros em relação a produções nacionais. Leandra fez algumas caras feias e não acredita em “preconceito”. Mas sim que o Brasil precisa investir em mais filmes de gênero – talvez sair um pouco da comédia, tema exaurido – e partir para aprender mais sobre terror, por exemplo.

Agora algumas referências: o trailer de O Rastro evidenciou elementos do terror asiático, em especial o coreano e o tailandês. Um pouco do espanhol, de O Orfanato, talvez. E o americano Terror em Mercy Falls, já citado.

Não querendo desmerecer nada do cinema nacional, mas o que vimos é um produto com mais cara internacional do que qualquer outra coisa. Porém, os tais elementos citados acima, como exemplo o calor ao invés do frio, não foram tão perceptíveis em apenas uns minutos em tela (ok, os tons azuis são), é bem provável que entregue um produto final bom.

Mas… Sempre tem um “mas”. É um movimento comum, infelizmente, que filmes de terror não se saiam tão bem assim. Quantos clichês mal utilizados, roteiros furados e erros doídos não vemos? Esse é um problema que pode alcançar O Rastro, independentemente de ser nacional ou não. Pode ser que, justamente por ser nacional, a cobrança seja maior. Pelo trailer as perceptivas são boas. Mas vamos esperar mais materiais para apostar com mais precisão “qualéqueé” de O Rastro, que chega somente dia 30 de março aos cinemas.

TRAILER OFICIAL (divulgado dia 08/12/216):

LIVE COM RAFAEL CARDOSO DIRETAMENTE DA CCXP 2016:

LIVE COM ANDRÉ (ROTEIRISTA E PRODUTOR) DIRETAMENTE DA CCXP 2016:

O elenco ainda conta com Felipe Camargo, Claudia Abreu, Jonas Bloch e Alice Wegmann e, em breve, a Freakpop trará outras novidades sobre este lançamento de 2017. Fiquem ligados!

Comente via Facebook!
Categorias
FilmesNotícias

Ver também