[Coleção Eaglemoss DC Volume 3] Superman: O Último Filho

Em Superman: O Último Filho, Clark Kent descobre que não é mais o último Kryptoniano. Já que a Eaglemoss começou a lançar uma coleção fantástica de quadrinhos da DC...

Em Superman: O Último Filho, Clark Kent
descobre que não é mais o último Kryptoniano.

Já que a Eaglemoss começou a lançar uma coleção fantástica de quadrinhos da DC aqui no Brasil, vamos fazer uma cobertura completa de todas as edições. Em seu terceiro volume, temos Superman: O Último Filho, com roteiro de Geoff Johns e Richard Donner e arte de Andy Kubert. Originalmente publicado entre 2006 e 2008.

Superman: O Último Filho – A Estória

De cara, a proposta de Superman: O Último Filho deveria empolgar. Uma saga que traria o General Zod para a continuidade moderna do Homem de Aço com roteiro de ninguém menos que Richard Donner, o diretor responsável por Superman: O Filme e Superman II – Aventura Continua. A trama começa com uma misteriosa nave caindo em Metropolis. Logo, Superman descobre que seu passageiro é um jovem garoto com DNA de Krypton. O garoto é levado pelo governo, o que enfurece Clark Kent. Rapidamente, o resgata e decide cria-lo como filho, dando-o a identidade secreta de Christopher Kent. Infelizmente, a felicidade não dura, quando o herói descobre que o garoto na verdade é Lor-Zod, filho do General Zod e parte do plano do vilão para liberta-lo e seus aliados de sua prisão na Zona Fantasma.

A saga sofre imensamente da necessidade que a DC Comics tem de não “chacoalhar o barco”. O que poderia ser um estudo sobre Clark não ser mais o último Kryptoniano (junto com Supergirl, mas enfim…) ou explorar em maior profundidade o fato que Clark e Lois jamais poderiam ter filhos é deixado de lado por uma história rasa e sem grandes reviravoltas. Zod aparece, eles lutam, Superman como sempre, salva o dia. Fim. A trama como um todo causa pouquíssimo impacto para o universo do herói.

Donner foi responsável por criar a versão mais icônica de Zod, mas aqui, não sabe muito o que fazer com o personagem. É a mesma trama de sempre, ele vem para a Terra com o intuito de dominar a humanidade, que ele julga ser inferior. Ele zomba de Kal-El por preferir viver entre os humanos e no final das contas, volta para a Zona Fantasma. Até mesmo o sacrifício trágico de Christopher Kent no final da saga é abordado sem grandes repercussões emocionais para Clark.

A arte de Andy Kubert também não ajuda. O design das forças de Zod é completamente sem graça, deixando os vilões com um uniforme que parece um pijama com roupão. As cenas de ação repetitivas e com pouca criatividade não fazem muito para ajudar a chamar atenção de uma história que é para lá de desinteressante.

Vale a pena? Somente para completar a coleção. Prefira Superman: O Legado das Estrelas de Mark Waid e Leinil Francis Wu ou Grandes Astros: Superman de Grant Morrison e Frank Quitely.

Superman: O Último Filho –  A Edição

A edição da Eaglemoss traz todas as capas das edições individuais e a edição #1 da revista do Superman, que traz em maior profundidade detalhes da história de origem do herói.

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
Games & HQ'sQuadrinhos

Ver também