Constantine – Temporada 01 – Ep. 07 – “Blessed Are the Damned”

Constantine apresenta um episódio brilhantidiota. “Brilhantidiota” é quando uma premissa consegue ser ao mesmo tempo incrível e cretina (brilhante + idiota), este episódio de Constantine é um exemplo perfeito...

Constantine apresenta um episódio brilhantidiota.

“Brilhantidiota” é quando uma premissa consegue ser ao mesmo tempo incrível e cretina (brilhante + idiota), este episódio de Constantine é um exemplo perfeito disto. O caso da semana envolve um pastor de uma igreja cristã de manipulação de serpentes que morre durante um de seus sermões. Momentos depois, o pastor ressuscita misteriosamente e desperta com o poder de curar qualquer enfermidade. Curiosos com o caso misterioso, John Constantine e Zed descem para o Kentucky para investigar (esta semana Chas está ocupado com compromissos particulares).

Constantine e Zed descobrem que o pastor voltou quando roubou uma pena da asa do anjo que o levava para os portões dos céu. A anja, Imogen, cai para terra e começa a morrer e enquanto sua pena não for recuperada ela sumirá para sempre…

Eis o brilhantidiotismo do episódio… quer dizer que qualquer pessoa consegue roubar uma pena de anjo e voltar a Terra? E se isso acontecer, não só o anjo perde seu lugar no paraíso, como ele começa a morrer imediatamente? O próprio Constantine zomba este fato afirmando que é um design para lá de defeituoso.

O episódio conta com uma reviravolta um pouco previsível mas interessante, talvez o apelo da narrativa, inesperadamente, reside em Manny. Pela primeira vez, o “anjo da guarda” de John serve para algo mais do que revelações crípticas. As regras celestiais são apresentadas de forma clara e para este tipo de série, gastar um tempo apresentando a mitologia por trás dos personagens é necessária para futuras temporadas. As ações de Manny neste episódio com certeza irão criar futuras e complicadas conseqüências para o nosso herói.

Ainda mais com este rodízio de parceiros e seu festival infindável de desculpas para justificar a ausência…

Ah, para dar um gostinho de quero mais, alguns elementos do passado de Zed finalmente alcançam a moça e tudo indica que ela enfrentará inimigos semelhantes aos de Hellblazer Vol. 1.

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
Críticas

Ver também