8 Mullheres e um Segredo / Oito Mulheres e um Segredo

CRÍTICA | Oito Mulheres e um Segredo

Continuação de Onze Homens e um Segredo só com mulheres chega aos cinemas com Sandra Bullock e Cate Blanchett

Em 8 Mulheres e um Segredo a família Ocean continua trabalhando no mercado de furtos

Sandra Bullock, Cate Blanchett, Rihanna, Helena Bonham Carter, Sarah Paulson, Mindy KalingAwkwafina se juntam para roubar a celebridade vivida por Anne Hathaway em dos eventos de moda mais conhecidos do mundo: o MET Gala em Nova York. Preparem-se para um filme que resgata, muito bem, o estilão de Onze Homens e um Segredo e que não decepciona.

O passado

Danny Ocean (George Clooney) morreu…Ou pelo menos é o que acredita-se. Sua irmã, Debbie Ocean (Bullock) foi usada como laranja e está em condicional após cinco anos. Enquanto estava presa, idealizou o maior roubo – ou o mais audacioso – de jóia da história. Ela convence sua parceira de roubo, Lou (Cate Blanchett) a roubar a atriz, fútil e influencer Daphne Kluger (Anne Hathaway) durante o MET Gala, evento que abre a principal exposição de moda do museu metropolitano de Nova York.

E assim, Debbie honrará o passado de seu irmão…

O roubo

Câmeras de segurança, seguranças, celebridades e centenas de jornalistas cobrem e marcam presença neste evento. Como o roubo será possível?

Para tal, Debbie e Lou dão um jeito de fazer com que Daphne escolha a estilista Rose (Helena Bonham Carter) para fazer seu vestido para o MET. A estilista, que aceita o job por necessidade de grana, ganha o poder de solicitar qualquer joia para que Daphne desfile no Red Carpet. Óbvio que o alvo é um colarzinho básico de quase 3kg de diamantes da Cartier que vale… 150 milhões de Trumps.

Em três mulheres o golpe não será possível. Então entram para o time, Bola Nove (Rihanna), Tammy (Sarah Paulson), Constance (Awkwafina) e Amita (Mindy Kaling). Uma hacker, uma especialista em fraudes e contrabando, uma ladra de mão leve e uma joalheira, respectivamente.

É golpe!

Daí pra frente é entrar no mar de spoilers. O que garantimos é que 8 Mulheres e um Segredo resgata o clima divertido e descontraído da franquia Onze Homens e um Segredo (ignorando totalmente o segundo e terceiro filmes, pois ambos são ruins, tá?). Mas o reboot de 2001, com Clooney, Brad Pitt, Matt Damon e grande elenco, certamente virou uma referência no gênero de filmes de grandes roubos.

Assim como Caça-Fantasmas, chegou a hora de vermos uma versão só com mulheres. E funciona, de verdade.

A mulherada carrega o filme

A química entre Bullock e Blanchett é certeira. Logo no primeiro contato das duas personagens você entende que existe um passado entre elas, talvez até mais além do que a parceria em roubos, e que uma confia na outra. Algo como Clooney e Pitt. Um mais “cabeça” o outro mais “medroso”.

Além disso, há vários momentos de Bullock em tela que você revive a dupla de 2001. A irmã de Ocean é como ele: sarcástica, articulada e visionária, e ela faz tudo isso comendo o tempo todo, como o personagem de Pitt. Quase como um crossover dos dois.

Blanchett está super confortável como uma mulher que adultera bebidas e curte uns golpinhos, e o restante o elenco entrega esterótipos na medida certa.

A estilista é atrapalhada e desligada, atuação típica de Helena Bonhan Carter; Bola Nove é concentrada e misteriosa, Rihanna segura a personagem super bem; Tammy é uma mãe de família bem certinha e típica americana, e Sarah Paulson óbvio que segura a elegante e “assustada” personagem super bem. Constance é skatista malandrona e Awkwafina está fantástica, inclusive entrega ótimos momentos cômicos. E Mindy Kaling nem precisamos comentar, né? A camaleoa do grupo se infiltra muito bem no MET Gala.

Tá, mas e aí?

Bem, com tudo isso Oito Mulheres e Um Segredo tem mais um ponto a ser levantado: este é um filme super “Girl Power”. Primeiro por que Debbie e Lou deixam claro o motivo pela qual elas vão trabalhar só com mulheres, e o argumento é fantástico. Segundo por que existe um personagem masculino que ferrou a Debbie no passado. Claude Becker (Richard Armitage) é o ex-namorado de Srta. Ocean. E terceiro por que elas articulam o roubo em um dos eventos mais desejados do mercado da moda.

O MET Gala é uma grande vitrine de tendências e influencers e reúne os principais nomes do cinema, televisão, artes, música e moda. O longa reencena o baile e, com isso, aguarde para ver muitas caras conhecidas como Anna Wintour, Maria Sharapova, Serena Williams, Zayn Malik, Katie Holmes, Kim Kardashian, Alexander Wang, Conor Donovan, Kendall Jenner, Adriana Lima, Kylie Jenner, Olivia Munn, Zac Posen, Hailey Baldwin, Derek Blasberg e Rooney Mara desfilando glamour e elegância no red carpet.

Além disso, a trupe do assalto sabe o que é bom e caro. O longa conta com marcas e mais marcas de roupas, acessórios e artigos de beleza que constroem as personagens que, em breve, ficarão ricas. É um filme feminino que traz os luxos de outras produções como O Diabo Veste Prada (2006) e Os Delírios de Consumo de Backy Bloom (2009) – que também se passam em NY e contam com a cidade como um coadjuvante importante.

Para fechar, Anne Hathaway é a típica patricinha fútil que precisa estar sempre bela. Uma crítica ao tipão já bem massificado na mídia e entre as “influencers”. Aquele jeitinho poliano, cheio de melindres e constantemente preocupado com a forma como as pessoas a enxergam, ganha uma interpretação perfeita de Hathaway com direito à draminhas, lágrimas, risadinhas e falsidade. BTW, foco na falsidade.

Vale a pena? 

MUITO! Não sabemos ao certo como o longa será recebido no mercado. Talvez seja massacrado por mexer inverter os gêneros de uma franquia de sucesso, talvez por estar inserido no mercado da moda seja automaticamente tirado como “filminho de menina”. Talvez por claramente as pessoas não entenderem como spinoff funciona, as avaliações sejam ruins. Vale lembrar que a necessidade de massagear o ego de quem vive de nostalgia está em declínio.

Oito Mulheres e um Segredo é feito para a geração atual e pra quem não vive do passado.

O longa não tenta reinventar o gênero, não quer se estabelecer como melhor ou pior em relação à franquia anterior, não tem a pretensão de ser um filme de Oscar. É divertido. Entretenimento puro e uma ótima escolha para ver com as amigas no cinema e simplesmente tentar desvendar o que vai acontecer ao longo do roubo da jóia.

Particularmente saímos do cinema satisfeitos. 8 Mulheres e um Segredo é uma grata surpresa entre os lançamentos deste ano, a direção de Gary Ross é muito boa e o elenco tem uma química impecável. Permita-se se envolver com esse grupo de golpistas que, no final das contas, é liderado por uma mulher que quer honrar o passado de seu irmão. Até que rola algo poético nisso.

O longa estreia dia 7 de junho nos cinemas.

Küsses,

Comente via Facebook!

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

9.1
O bom
  • Sandra Bullock e Cate Blanchett é aquela dupla que queremos ver mais em tela
  • Tem DOIS personagens de Onze Homens e um Segredo que aparecem.
  • Encontre o Matt Damon no filme
  • O ritmo é ótimo e a "virada" do filme também.
  • Trilha Sonora fantástica.
O ruim
  • Danny Ocean morreu mesmo?
  • Direção
    8.5
  • Roteiro
    8
  • Elenco
    10
  • Produção / Fotografia
    9
  • Figurino e trilha sonora
    10
Categorias
CriticasFilmes
Para ver no cinema:

Ver também