[CRÍTICA] A Forca – O novo longa de terror da Warner

Charlie, você está aqui? Confira o que rola no novo terror fantasmagórico ‘A Forca’ Ah, o terror!Fantasmas, gritos, sustos sem fim, o suspense e o drama! Conseguir alcançar...

Charlie, você está aqui?
Confira o que rola no novo terror fantasmagórico ‘A Forca’

[dropcap size=small]Ah, o terror![/dropcap]Fantasmas, gritos, sustos sem fim, o suspense e o drama! Conseguir alcançar tudo isso é beeeem difícil. A tarefa dos diretores e roteiristas de cinema – quando o assunto é terror – tem sido hercúlea: a qualidade dos últimos filmes é bem ‘mais ou menos’. A Forca tenta ressuscitar o gênero com uma receita de bolo já batida. Mas será que deu certo? Em 1993, durante uma peça escolar chamada A Forca (ou The Gallows, no original), o protagonista acaba acidentalmente morrendo… rufem os tambores… ENFORCADO. Os eventos são filmados por alguém do público com uma qualidade bem caseira, dando credibilidade à edição. Vinte anos depois, na mesma escola, a peça será reencenada e a morte de Charlie virou uma lenda urbana.

© 2015 Warner Bros Entertainment Inc.

© 2015 Warner Bros Entertainment Inc.

A Forca segue o formato found footage, com um orçamento modesto e usando câmeras diferentes e relativamente simples. O desenrolar é lento, aposta no clima de suspense para amplificar os sustos, mas isso não funciona muito bem. A técnica de filmagem já foi bem usada em filmes como REC e Diário dos Mortos, e parece ser uma característica do produtor Jason Blum, que também é responsável pela franquia Atividade Paranormal. O longa dos diretores Travis Cluff e Chris Lofing vai além, com câmeras em grande movimento e com qualidade bem medíocre, atestando o amadorismo de quem filmou – e dando a real impressão de found footage. Todo o filme parece usar apenas duas câmeras (em alguns momentos parecem ser 3, mas não dá para confirmar isso no filme): uma câmera caseira à lá Tekpix e um celular com app para gravar no escuro, ambas do personagem Ryan (Ryan Shoos).

© 2015 Warner Bros Entertainment Inc.

© 2015 Warner Bros Entertainment Inc.

Ryan é o típico aluno que não liga para nada e só quer se divertir. Convence o amigo que será o protagonista da peça, Reese (Reese Mishler), a entrar escondido na escola e zoar com o cenário. A namorada Cassidy (Cassidy Gifford) os acompanha e lá encontram Pfeifer (Pfeifer Brown), a garota certinha que convenceu o professor de teatro a apresentarem A Forca. Presos no prédio de artes cênicas serão assombrados por Charlie , cujo nome é um sinal de azar, no melhor estilo Blood Mary: se falar demais seu nome, o invocar… Prepare-se para o pior!

O estilo de filmagem é interessante, mas já se desgastou. A tremedeira da câmera dá dor de cabeça e irrita um pouco. Os melhores momentos são quando colocam o equipamento no chão e estabiliza a imagem. As interpretações ficam mais interessantes quando Charlie toca o terror, antes disso são sofríveis. Existem alguns bons momentos de tensão, mas só.

© 2015 Warner Bros Entertainment Inc.

© 2015 Warner Bros Entertainment Inc.

A Forca estreia dia 23 de Julho no Brasil.

Até a próxima!

Comente via Facebook!
Categorias
Criticas

Ver também