Abominável

CRÍTICA | Abominável novo longa da DreamWorks é adorável

Onde eu acho um yeti de estimação?

Você sabe o que é um yeti? Ouvi essa palavra pela primeira vez semana passada e ninguém que eu conheço, tirando meu cunhado (que sabe o que é por algum motivo que eu não sei explicar o qual), não tinha ideia que um yeti é ninguém menos que o Abominável Homens das Neves.

Agora imagine encontrar um desses seres gigantes dormindo em cima do seu prédio. Na nova animação da DreamWorks, Abominável, da diretora Jill Culton, é exatamente isso que acontece. A adolescente Yi, entre um bico de babá ou de passeadora de cachorros e apetitosos baozis (bolinhos chineses recheados) feitos por sua avó, se depara com Everest morando no rooftop de seu prédio, em Xangai.

Decidida a ajudar a criatura mágica a voltar para a sua casa no Himalaia, ela e seus amigos Peng e Jin (os alívios cômicos do filme) embarcam por uma aventura nada convencional pela China.

Aliás, o Pé Grande asiático de abominável só tem o tamanho! Sua fofura lembra o Banguela, de Como Treinar o Seu Dragão, e Baymax, de Operação Big Hero, e seu comportamento é de um garoto de 12 anos de idade. Impossível não se encantar.

O roteiro é simples, é a jornada do herói pura e simples, que muitos podem comparar, principalmente, com E.T.: O Extraterreste. Mas isso não significa que o espectador não deve gostar do filme, pelo contrário. O carisma dos personagens e o lindo trabalho de animação, com cores vibrantes, te conquistam logo.

Um ponto interessante a se ressaltar é o cenário escolhido para o longa. Eu, particularmente, acho muito legal a Universal explorar diferentes culturas, como fez em Kung Fu Panda, Como Treinar o Seu Dragão, e agora com Abominável. Eles ainda tiveram o cuidado de escolher dubladores que tivessem a descendência asiática para a versão em inglês, como a atriz Chloe Bannet (Agents of Shield), Albert Tsai (Trophy Wife) e Tsai Chin (a bond girl de Com 007 Só Se Vive Duas Vezes). P.S. Aqui não Brasil não pensaram nisso não.

Outra coisa legal de destacar é que a protagonista é feminina, algo que a DreamWorks não faz desde Trolls. Acho importantíssimo essas duas questões serem mostradas nos filmes, ainda mais nas animações cujo público alvo é infantil. As crianças devem se ver e se identificar com o que a mídia e a indústria do entretenimento estão produzindo. Precisam consumir obras mostrando a diversidade.

Agora… Andar de Xangai até o Monte Everest em poucos dias é forçar um pouco a barra. Eu realmente tive que entrar no Google Maps pra checar se essa façanha era possível (sou chata, eu sei). O trajeto até as Montanhas Huangshan (Montanha Amarelas) rola, mas de Xangai para o Grande Buda de Leshan, são uns 21 dias de caminhada. Imagina até o Himalaia… Só com os poderes mágicos dos yetis mesmo.

Ok, isso são meros detalhes, quem liga? Mas achei que deveria deixar essas infos a disposição de vocês, hahaha. Ah, mais uma curiosidade legal é que o menino que dubla o Jin em inglês, o ator Tenzing Norgay Trainor, é neto de Tenzing Norgay, o alpinista e guia sherpa nepalês que foi o primeiro homem a chegar ao topo do Everest, junto com o neozelandês Sir Edmund Hillary.

Enfim, Abominável é fofo, simples, vai te fazer querer um yeti peludo em casa e já está em cartaz nos cinemas.

Comente via Facebook!
Nota:
8.1
Nota:
O bom
  • Personagens carismáticos
  • Lindo trabalho de animação
  • O cenário sai do comum EUA
O ruim
  • Não espere um roteiro elaborado e inovador
  • Pouco realista quanto as distâncias hahaha
  • Personagens
    8.5
  • Roteiro
    7.5
  • Enredo
    8
  • Produção
    8.5
Categorias
CriticasFilmes

Ver também