CRÍTICA | Gal Gadot tenta ser a Mulher-Maravilha em Amor em Jogo

CRÍTICA | Gal Gadot tenta ser a Mulher-Maravilha em Amor em Jogo

Aiiiiii...Que filmeco ruim...

Misturaram futebol, máfia, comunidade LGBT e a Mulher-Maravilha no mesmo filme. O resultado? Um horror!

Chega nos cinemas a comédia romântica Amor em Jogo (Kicking Out Shoshana), um longa de 2014, que só agora chega nas telas brasileiras. Aqui, acompanhamos a jovem Mirit (Gal Gadot) se envolvendo com Ami (Oshri Cohen), um famoso jogador de futebol. O problema é que Mirit é namorada de um mafioso local, interpretado por Eli Finish e para punir Ami por ter chego perto da sua namorada, ele o obrigada a anunciar na imprensa que é gay.

Confusão estabelecida, o longa tenta explorar um diálogo saudável sobre aceitação do jogador, que chega a perder o emprego por tal revelação, e nos guia em uma jornada de posicionamento de Ami meio à cultura LGBT. Empresas e marcas se mostram interessados em sua causa e ele vira um dos ícones do movimento. (#PinkMoney?)

Em paralelo, Ami tenta se safar do mafioso, mas sua trupe não dá moleza. Até que, finalmente, Mirit revela que seus problemas na relação com o atual namorado e resolve bancar a Mulher-Maravilha e mandar o cara a merda. Obviamente que a separação não será tão simples e Ami, no meio disso tudo, ainda precisa revelar – de novo – que não é gay, só que agora na frente de todos os seus novos admiradores do LGBT.

Que zona!

Essa é a sensação quando assistimos Amor em Jogo. Primeiro por ser um filme de baixíssimo orçamento e se passar em Israel, talvez os roteiristas não souberam deixar claro se há ou não preconceito com a cultura LGBT na cidade, não conseguem estabelecer o que simboliza o futebol para a sociedade e, muito menos, conseguem explicar ou explorar um perfil de máfia convincente. O tempo todo nos questionamos se é para ser um filme sério ou uma comédia.

Gal Gadot está linda, óbvio, isso ela sempre será. Mas sua atenção pré-Mulher-Maravilha não trás nada além de takes sexualizados em seu corpo esguio e beleza estonteante.

Pra falar a verdade, bem da verdade, não entendemos o motivo de trazer este longa para o Brasil com cinco anos de atraso, mas se você quiser ver um filme israelense com a Deusa Grega, bora lá. Divirta-se.

Tem algumas piadas boas, tem muitas piadas horríveis e o clima de “amor” passa longe… É quase como rever uma cena Malhação na década de 90, não passamos do clímax do selinho e, em algum momento, um personagem que grita ou uma música horrorosa quebrará os -5% de romance.

Amor em Jogo já está nos cinemas.

Küsses,

Comente via Facebook!
Nota:
5.5
Nota:
O bom
  • Não sabemos exatamente o que apontar de bom, mas vamos lá. Talvez os mafiosos sejam a melhor parte.
O ruim
  • Cenografia é horrível.
  • Direção
    6
  • Elenco
    7
  • Roteiro
    4
  • Produção / Forogradia
    5
Categorias
CriticasFilmes

Ver também