Como Superar um Fora (Soltera Codiciada)

CRÍTICA | Como Superar Um Fora é a nova comédia romântica da Netflix

Mais uma comédia romântica original da Netflix na área!

Produção original da Netflix se passa no Peru e ensina, graciosamente, Como Superar Um Fora

Mais uma comédia romântica original Netflix chega na plataforma. Desta vez, viajamos para Lima, no Peru, para conhecer a jovem publicitária María Fê (Gisela Ponce de Léon) que toma um fora do boy depois de seis anos de namoro. Fe, como é chamada pelas amigas, precisa se reinventar e acaba criando um blog anônimo para desabafar online sobre suas frustrações. O “Solteira Cobiçada” vira um fenômeno online e ela se vê apoiada por muitas e muitas mulheres para aprender Como Superar Um Fora.

 A nova solteirona do pedaço

María está desolada. Seu ex-namorado mudou para Madrid e terminou com ela por Skype. Perdida, ela passa por todos os sentimentos pós-separação. De raiva à humilhação de tentar reconquistar o bonitão, ela se perde entre um gole e outro bem típico Bridget Jones. Aliás, o longa é um punhado de referências, mas vamos por partes.

Depois de aceitar que está solteira, ela conta com duas amigas para tentar superar. Natalia (Karina Jordán) e Carolina (Jely Reátegui) entram na parada com suas fiéis escudeiras, tentando fazê-la enxergar que a vida continua e que María será mais feliz solteira. Algo que também vemos na franquia de Jones.

Com uma pegada de Carrie Bradshaw (Sex and The City), María passa a levantar várias questões em seu blog e o sucesso chega em sua porta. enquanto isso, ela tenta “volta a ativa”, mas depois de seis anos a ferrugem já faz parte do corpo. Alem disso, Tinder está aí né? E quem está fora do mercado há anos, não sabe o que fazer com a ferramenta.

Reviravolta

O longa não tem uma grande virada, mas a mensagem final é bem bonitinha. Primeiro porque Como Superar Um Fora é muito mais sobre relacionamentos do que qualquer outra coisa. María precisa aprender a lidar com seu chefe na agência; Carolina precisa criar raízes e parar de perambular pelo mundo; enquanto Natalia precisa se entregar para um amor e não consegue deixar a liberdade de ser solteira de lado.

Ao longo do filme, acompanhamos as mudanças destas três personagens e o grande embate que, no final, não é entre María e o ex e sim entre ela e Natalia, sua melhor amiga.

Vale a pena?

Sim! Vale um balde de pipoca e uma tacinha de vinho para você curtir com a melhor amiga. Singelo, bem dirigido, com bons diálogos e com um final de princesa (mas Conto de Fadas), Como Superar Um Fora é um ar fresco do gênero, principalmente por se passar em Lima e ter uma cenografia totalmente diferente das ruas de Nova York que tanto estamos acostumados.

O longa já está disponível na Netflix.

Küsses,

Comente via Facebook!
Tatá Snow

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Nota:
7.8
Nota:
O bom
  • As personagens são muito carismáticas!
  • É uma delicia conhecer um pouco de Lima
  • Os desesperos de María são bem reais!
O ruim
  • O ex é um chato!
  • O chefe é um chato!
  • Direção
    8
  • Elenco
    9
  • Roteiro
    7
  • Produção / Fotografia
    7
Categorias
CriticasFilmes

Ver também