Jim Carrey intrepreta um detetive sombrio no longa polonês, Crimes Obscuros. Confira nossa crítica sem spoilers deste drama policial cheio de reviravoltas.

CRÍTICA | Crimes Obscuros – Um Jim Carrey jamais visto

Jim Carrey intrepreta um detetive sombrio no longa polonês, Crimes Obscuros. Confira nossa crítica sem spoilers deste drama policial cheio de reviravoltas....

Crimes Obscuros, suspense policial feito da Polônia, traz uma interpretação ousada…

Muitos dizem que fazer comédia é a plataforma ideal para quem quer fazer drama, tanto no teatro como no cinema e televisão. Não faltam exemplos para isso que vão desde Charlie Chaplin até o falecido Robin Williams. Mas quando vemos Jim Carrey saindo de sua zona de conforto para encarar um personagem complexo como o detetive Tadek, personagem central de Crimes Obscuros, a premissa inicial faz todo o sentido.

Não que fazer drama nunca foi parte da carreira de Jim Carrey. Pelo contrário, antes de estourar no cinema com O Máscara e Ace Ventura, Carrey já havia feito um jovem alcoólatra em Casos de Família, um telefilme produzido em 1992. Após colocar seu nome em primeiro lugar nas bilheterias com O Mentiroso (1997), Carrey mergulhou em dois projetos que mudaram o jeito do público ir vê-lo nos cinemas: O Show de Truman (1998) e O Mundo de Andy (1999).

Nos dois filmes, Jim Carrey coloca no armário suas caretas e contorcionismos que agregam sua graça na telona, para transformar personagens comuns em momentos memoráveis no cinema. Como o cidadão comum Truman, que descobre aos poucos que sua vida é programa de TV desde que nasceu. Ou a biografia do comediante Andy Kauffman, que ele mergulhou de cabeça no personagem, este por sua vez, tão complexo e dividido como pode ser visto no documentário Jim & Andy, disponível na Netflix.

Crimes Obscuros

Esses dois personagens passam longe da complexidade do detetive Tadek. Afastado das ruas por não conseguir descobrir o responsável pelo assassinato de um colega policial, Tadek parece sofrer de TOC – Transtorno Obsessivo Compulsivo, como se pode ver em seu dia a dia dentro de casa com a esposa e a filha. Obcecado por seguir regras, ele foi até o fim para acabar com um antro de perversão conhecido como The Cage, frequentado pela elite intelectual de Varsóvia.

Essa obsessão parecer reger o próprio diretor do filme, o grego Alexandros Avranas. Conhecido por mostrar a indiferença e a passividade de seus personagens frente a uma violenta crise, Alexandros coloca todos os personagens, em especial Tadek, enquadrados no centro de cada cena, como se mostrasse que, independente de suas atitudes, eles estão presos a um relato complicado.

Tadek tem um alvo em sua obsessão: o famoso escritor Krystov Kozlov (Marton Csokas), frequentador do The Cage. Ele o segue por todos os lugares, tentando encontrar uma pista que o ligue à morte do policial. Descobre sua ligação com uma antiga garota de programa do The Cage, com que tem uma filha. Mas ao ouvir o áudio-book de um dos recentes sucessos literários de Koslov, Tadek acha indícios que podem provar a culpa do escritor.

Só que isso seria chegar ao final do filme rapidamente, algo que nunca passou pela cabeça de Alexandros, que começa a fazer com que Tadek mergulhe ainda mais em sua obsessão, levando-o a confrontar de uma forma brutal, Kasia (Charlotte Gainsbourg), a amante de Koslov. Uma cena, inclusive, que coloca o personagem de Jim Carrey numa encruzilhada moral.

Crimes Obscuros não é um filme fácil de seguir. Não que a trama seja complexa, longe disso. Mas o estilo lento e de mostrar os personagens presos em suas próprias teias emocionais, fez com que o filme não agradasse o público quando ele foi exibido no Festival de Cinema de Varsóvia, em 2017, quando Crimes Obscuros chegou aos cinemas. Especialmente por ser uma história baseada em fatos reais, onde a pouca licença poética fica por conta do final inesperado… e chocante!

Dá para sentir saudades de Jim Carrey expressando seu humor com suas caretas…

Comente via Facebook!
Nota
4.3
Nota
O bom
  • Uma interpretação de Jim Carrey jamais vista .
  • Fotografia que deixa o filme mais angustiante em cada cena.
  • Nunca Varsóvia esteve tão sombria como neste filme.
  • Direção
    4
  • Roteiro
    4
  • Elenco
    5
  • Enredo
    4
Categorias
CriticasFilmes

Ver também