[CRÍTICA] DC’s Legends of Tomorrow – T01E07 – Marooned

Em DC’s Legends of Tomorrow surgem piratas Em Legends of Tomorrow, a busca de mais informações sobre o paradeiro temporal de Vandal Savage, Rip decide responder a um chamado...

Em DC’s Legends of Tomorrow surgem piratas

Em Legends of Tomorrow, a busca de mais informações sobre o paradeiro temporal de Vandal Savage, Rip decide responder a um chamado de resgate de uma nave to tempo à deriva. A Acheron tem uma base de dados mais atualizada que a Waverider, a missão se complica quando, além da nave estar completamente imobilizada, piratas do tempo tomaram posse. O time se divide em dois, com Rip liderando a incursão com Mick, Stein e Jax, enquanto Kendra cuida da nave com Ray, Sara e Snart. A série continua montando times personagens baseados em quais serão capazes de criar situações divertidas dentro do roteiro e sem com qualquer senso tático de quais poderes e habilidades de fato seriam úteis. Os poderes do Nuclear são voláteis demais para serem usados em um ambiente tão fechado e arriscado, deixar Kendra e Sara para trás, as combatentes mais habilidosas para trás não faz sentido, e levar Mick Rory, cada vez mais violento e ainda furiosamente ressentido de não ter sido deixado em Star City 2046, é um risco desnecessário.

O time a bordo do Acheron é capturado com a ajuda de uma traição por parte de Rory. Dominic Purcell sempre pareceu um pouco unidimensional em sua atuação, mas sua intensidade quase cartunesca funciona bem quando as humilhações e provocações que o personagem sofre chegam ao ponto máximo com Rip falando que Rory só foi arrastado para o time para garantir que Snart também viria, e que, o esquentado bandido é completamente inútil.

A bordo da Waverider, o assunto é outro. Um tiro bem acertado dos piratas abre um rombo na lateral da nave e o time corre para repara-lo. Ray usa a armadura do Eléktron para soldar o buraco pelo lado de fora enquanto Snart usa sua arma congelante para manter o buraco selado. Ele e Sara ficam presos devido à uma porta de segurança e começam a formar uma amizade baseada em relevações. Caity Lotz e Wentworth Miller continuam como a dupla com a melhor química e é sempre um prazer ver os dois unidos. No caso de Ray, era de se esperar que ele iria ficar sem ar no vácuo do espaço e fazer Kendra dar uma declaração açucarada de amor pelo comunicador da armadura. DC’s Legends of Tomorrow, como as demais produções do Arrowverso, ainda sofrem com a dependência de clichês narrativos extremamente previsíveis.

A traição de Rory resulta em sua expulsão do time e sua possível morte nas mãos de Leonard Snart. Novamente, é óbvio que o personagem de fato não morreu, afinal, se não há corpo, não houve morte. Ainda mais considerando que no Arrowverso, as vezes até com o corpo é provável que o personagem ainda esteja vivo.

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
Críticas

Ver também