[CRÍTICA] Game of Thrones – T06E09 – “Battle of the Bastards”

Game of Thrones entrega um episódio bonitinho, porém ordinário Tanto As Crônicas de Gelo e Fogo quanto Game of Thrones fascinaram as pessoas pela riqueza de sua trama, a...

Game of Thrones entrega um episódio bonitinho,
porém ordinário

Tanto As Crônicas de Gelo e Fogo quanto Game of Thrones fascinaram as pessoas pela riqueza de sua trama, a complexidade de seus personagens e uma quase agressiva aversão à simplificar a narrativa para algo tão provinciano quanto bem contra o mal. Estes lordes, ladies e cavaleiros vivem em um mundo de ambiguidade moral, onde a solução para os problemas nunca são fáceis e cada decisão tomada cria uma bola de neve de consequências imprevisíveis.

É por isso que “Battle of the Bastards” é tão estranho, o roteiro decide se dedicar inteiramente a criar tramas simplórias de bem contra o mal, que apesar de divertido, não parece um episódio de Game of Thrones.

Em Mereen…

Os escravagistas em seus navios começam a sitiar a cidade. Daenerys, com sempre, acha que é a oportunidade perfeita para MAIS UMA DECLARAÇÃO RETUMBANTE sobre o que ela vai fazer. Depois de alguns frases vagas (as políticas públicas dela sempre abusam das metáforas), Tyrion consegue convencê-la de um plano mais eficiente…

Não que isso quer dizer muita coisa. Daenerys sai com seus três dragões, queima um navio e isso faz a armada inteira se render. Os três mestres escravagistas se rendem e dois morrem. Todos os Dothraki invadem a cidade e assassinam os Filhos da Hárpia. A cena oferece catarse e dá um senso de resolução, apesar de não fazer muito sentido. Sabemos que os Filhos da Hárpia são uma facção terrorista financiada pelos antigos escravagistas da cidade para cometar ataques de guerrilha e aterrorizar a população. Em que momento eles se tornaram uma força armada grande o suficiente para invadir a cidade inteira? E os Imaculados? Realmente precisava de centenas de milhares de Dothraki para liberar a cidade por dentro?

Estas proporções deixam a trama confusa. Além disso, Yara e Theon chegam em Mereen e a futura pretendente ao Trono de Sal forja uma aliança com Daenerys ao revelar que seu tio Euron planeja se casar com ela, matá-la e tomar o Trono de Ferro para si. Ambas forjam um pacto que garante a liberdade das Ilhas de Ferro desde que invasões e estupros sejam reduzidos. Tyrion dá um sorriso maroto e Stronger, da Kelly Clarkson, começa a sutilmente tocar no fundo.

No Norte…

Na tensa espera pelo derradeiro confronto, Davos caminha pelo acampamento que tempos atrás havia sido a parada provisória de Stannis antes de sua derrota. Em meio às cinzas de uma antiga pira ele encontra um pequeno veado de madeira chamuscado. Um presente que ele havia feito para Shireen Baratheon…

Jon Snow e Ramsay Bolton se preparam para batalhar. Sansa insiste que ela deveria ser ouvida na reunião de estratégia, pois ela conhece o jeito de pensar do inimigo mas, infelizmente, é ignorada. O arranca-rabo começa com o bastardo de Bolton libertando Rickon Stark para correr em direção às forças inimigas. Sabendo que seus atos de crueldade são cruciais para textos clickbait durante a semana, ele mata o Stark mais jovem com uma flechada.

Rickon morre fazendo o que ele mais amava, avançando a trama para personagens mais importantes.

As forças dos aliados dos Bolton e Winterfell é consideravelmente maior do que Snow e os Selvagens. A carnificina é tanta que apenas duas vezes Senhor dos Anéis é “homenageado”. Quando Jon corre em direção à cavalaria inimiga e quando Sansa aparece na batalha liderando os Rohirrim Cavaleiros do Vale e salva o dia.

Antes disso tudo começar, Jon havia oferecido resolver a desavença em combata mano a mano contra Bolton. Claro que ele sabia que seria praticamente impossível vencer um duelo contra um guerreiro veterano da Patrulha da Noite e nega. Antes da derrota final, Ramsay se refugia dentro dos muros de Winterfell. O milenar castelo dos Stark não é páreo para Wun Wun, o gigante, que destrói o portão. Bastardo do bem e bastardo do mal finalmente se enfrentam e pela primeira vez em seis temporada o bem vence. Ramsay é brutalmente esmurrado e levado para as masmorras.

Lá, Sansa o confronta pela última vez. Ela solta as cadelas vorazes de Ramsay que começam a devorá-lo. A nova senhora de Winterfell vai embora com um sorriso satisfeito no rosto.

Muito legal, a fotografia e direção do episódio estão impecáveis, mas não é o suficiente para disfarçar que, tematicamente, o episódio foi fraco. É claro que as redes sociais entraram em polvorosa e a resolução foi praticamente pornográfica para os fãs mais leigos, mas qual é a repercussão final disso tudo? Qual consequência e mudança de situação que isso resultará? Faltando apenas um episódio, e este tradicionalmente é sempre morno e com poucas reviravoltas, vai ser difícil especular sobre os elementos mais complexos de Game of Thrones.

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
Críticas

Ver também