Game of Thrones Temporada 8 chega no quarto episódio com Daenerys invadindo Porto Real e muitas celebrações após a longa noite. Confira nossa resenha.

CRÍTICA | Game of Thrones – T08E04 – “The Last of the Starks”

Novas ameaças surgem após a batalha contra o Rei da Noite em Game of Thrones Acabou a batalha da Longa Noite, o Rei da Noite foi derrotado e Winterfell...

Novas ameaças surgem após a batalha contra o Rei da Noite em Game of Thrones

Acabou a batalha da Longa Noite, o Rei da Noite foi derrotado e Winterfell cai em festa. No meio da temporada final de Game of Thrones, temos um episódio que até arrisca momentos de comédia e leveza, em uma série que tipicamente nunca lidou com esse tom. Boa parte do episódio foca nas celebrações pós-guerra e nas complicações que este grupo de personagens, muitos que até pouco tempo antes eram inimigos mortais, começam a se estabelecer na nova dinâmica.

Em Winterfell

Tyrion, Jaime, Pod e Brienne brincam de beber juntos. Tormund comemora junto com Jon Snow a vitória. Arya se prepara para a próxima missão. Daenerys, nisto tudo, começa a ver que Jon, além de ter maior legitimidade ao trono, é consideravelmente mais popular que ela. Por mais que ela tenha trazido seu exército impressionante e seus dragões ao norte, Snow conquista as pessoas com facilidade. Afinal, ele é completamente dedicado à causa e não exige cargos de poder. Seu histórico na Patrulha da Noite e como Guardião do Norte mostrou que o rapaz tem coragem de sobra e enfrenta qualquer desafio sem dragões, Dothrakis ou imaculados; e nem um senso de merecimento ao trono.

Eventualmente, os Starks ficam sabendo da verdadeira identidade de Jon e ao vislumbrar Daenerys flertar com a loucura dos Targaryen, até mesmo Tyrion e Varys contemplam apoiar Jon no trono.

Daenerys nomeia Gendry o Lorde de Ponta da Tempestade, legitimando-o como o filho verdadeiro de Robert Baratheon. Garantindo que, pelo menos no curto prazo, nenhum Baratheon vai se sentir inclinado a degolar Targaryens. Empolgado, Gendry pede Arya em casamento, mas ela recusa.

Brienne e Jaime acabam se relacionando, e até parece que ambos terão um final feliz juntos, mas o Regicida ainda é obcecado pela irmã e vai embora para Porto Real para ficar ao lado dela. É um arco estranhamente anti-climático. Acompanhamos a jornada do personagem durante oito temporadas, vimos sua transformação de cavaleiro arrogante para herói arrependido. Vimos ele largar o lado de Cersei para fazer o que é certo e, mesmo assim, ele decide voltar?

É claro que existe a chance de Jaime novamente ter que assassinar um tirano no trono em prol do bem maior, mas a forma como ele se despede de Brienne ficou robótico e frio, um problema recorrente das temporadas mais recentes que têm dificuldades de aprofundar os personagens na narrativa além dos livros publicados.

Em Porto Real

Mesmo sem totalmente recuperar as forças de seu exército, nem deixar os dragões se curarem completamente, Daenerys decide seguir para o Sul para tomar Porto Real. Esse desespero vem de seu receio que sem esta demonstração de força, os nobres eventualmente irão apoiar a ascensão de Jon ao trono.

Sua frota é pega de surpresa pela frota de ferro de Euron Greyjoy. Todos seus navios são ocupados por gigantescas balestras e Rhaegal é abatido dos céus. Diversos navios também são destruídos e é por pouco que muitos conseguem chegar em terra firme.

Mesmo assim, Dany segue com suas forças reduzidas para negociar a rendição de Cersei, que demonstra seu poder nas muralhas de Porto Real cercada de arqueiros Lannister, a Companhia Dourada, a Frota de Ferro e seus aliados. No naufrágio, Missandei é capturada e executada, como demonstração que a Rainha não vai ceder aos desejos da Mãe dos Dragões.

Em geral, The Last of the Starks segue a estrutura padrão de um episódio de Game of Thrones. A trama se movimenta lentamente através das interações entre personagens e algo bombástico acontece para concluir o episódio e preparar a narrativa para a semana seguinte. Foi interessante explorar o dinamismo entre os personagens para criar diálogos inusitados, algo que a Marvel aprendeu desde o início que seria a a força por trás dos momentos mais famosos de seus filmes, mas em termos de desenvolvimento dos personagens na série, não ajuda muito.

Faltam 2 episódios para a conclusão da série. Será que não merecemos uma narrativa mais sólida e personagens menos unidimensionais? Será este o desfecho que estamos aguardando há tantos anos nas Crônicas? Se é que veremos este desfecho? Veremos, ainda temos 2 horas e meia para nos impressionar.

Até a próxima!

Comente via Facebook!
Nota
6.8
Nota
O bom
  • Arya e Sandor de volta na estrada. Tem coisa rolando aí.
O ruim
  • O final da jornada de Daenerys realmente indica o que já imaginávamos. Sem a pompa, ela é uma personagem com todo o feitio de uma vilã.
  • Direção
    7
  • Roteiro
    8
  • Enredo
    6
  • Elenco
    6
Categorias
CríticasSéries

Ver também