[CRÍTICA] Goosebumps: Monstros e Arrepios – Longa não se arrisca mas diverte

Goosebumps: Monstros e Arrepios é o novo filme do ator Jack Black que homenageia a série de livros do autor R.L. Stine Em Goosebumps: Monstros e Arrepios, Jack Black dá vida...

Goosebumps: Monstros e Arrepios é o novo filme do ator Jack Black
que homenageia a série de livros do autor R.L. Stine

goosebumps_brazilEm Goosebumps: Monstros e Arrepios, Jack Black dá vida ao autor R.L. Stine. Neste universo, ele é um recluso autor com o poder de dar vida às suas criações e as mantém presas em livros trancados em uma estante. Quando Zach Cooper (Dylan Minnette) chega na cidade, faz amizade com Champ (Ryan Lee) e Hannah (Odeya Rush), filha do excêntrico escritor. Por acidente os monstros são libertados resultando em caos. Cooper, Hannah, Champ e Stine se unem para conseguir capturar os personagens novamente e defender a todos das ameaças do boneco de ventríloquo assombrado Bolacha (Slappy no original e um ícone da série) que lidera as criaturas.

O ritmo frenético do filme e os diversos personagens que ganham vida sob a direção de Rob Letterman (O Espanta Tubarões) garantem que Goosebumps: Monstros e Arrepios seja um longa divertido para toda a família, mas seu roteiro previsível e nada ousado o torna esquecível no gênero. Enquanto Gremlins (1984), Os Goonies (1985), Jumanji (1995) e até a animação Toy Story (1995) mantinham um clima acessível a todos, sem deixar de abordar os perigos e medos que rastejam pelos cantos mais obscuros de seus respectivos universos, este longa opta pela alternativa moderna onde tudo tem uma resolução simples e ninguém realmente corre riscos. 

Os livros da série Goosebumps não são particularmente assustadores, afinal, eram feitos para crianças. As obras de Stine, apesar de tenebrosas, não perdiam a diversão e eram escritas em tom de suspense para grudar a atenção do leitor do começo ao fim. Mesmo assim, o homem que veio a ser conhecido como o “Stephen King das crianças” sabia muito bem equilibrar o tom ameaçador de suas criações para suas tramas não ficarem bobinhas demais.

Goosebumps: Monstros e Arrepios não é um filme ruim, porém a “receita de bolo” previsível que Hollywood tem apostado para garantir altíssimas bilheterias, categoriza esse início de franquia em mais um projeto que visa a alta rentabilidade, porém com baixa qualidade e sem atenção ao material original, o que ocorreu também com o reboot de Peter Pan (2015). Jack Black, apesar de sua atuação irreverente como o mau humorado Stine, se destaca dublando Slappy, o boneco, que garante os poucos momentos de “terror” e comédia do roteiro. 

Vale a pena conferir Goosembumps: Monstros e Arrepios no cinema? Sim! Mas não espere nada além de uma mensagem positiva sobre redenção que segue a tendência açucarada e bonitinha dos filmes dos últimos anos com piadas rasas e personagens de base completamente esquecíveis, tipo a mãe do Cooper ou o romance entre ele e Hannah que é banal e simplesmente está no filme para manter a atenção do público teen.. Ah…saudades dos anos 80 e 90.

O longa estreia dia 22 de Outubro nos cinemas Brasileiros e Jack Black está no país para divulgar o lançamento. Acompanhe a Freakpop no Facebook e no Instagram para conferir nossa cobertura. 

Küsses,

Comente via Facebook!
Tatá Snow

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
Criticas

Ver também