Homem-Aranha: Longe de Casa encerra a fase 4 do Universo Cinematográfico Marvel com chave de ouro. Veja nossa crítica do novo filme com Tom Holland no papel

CRÍTICA | Homem-Aranha: Longe de Casa traz um gostinho do que está por vir

Homem-Aranha: Longe de Casa encerra a fase 4 do Universo Cinematográfico Marvel com chave de ouro. Veja nossa crítica do novo filme com Tom Holland no papel...

Homem-Aranha: Longe de Casa fecha com chave de ouro a Fase 4 da Marvel

É importante lembrar que um final só é final quando deixamos o desfecho da história respirar e estabelecer o tom na chegada da jornada. Se Vingadores: Ultimato foi o estrondo que fechou com chave de ouro 10 anos de aventuras de super-heróis, Homem-Aranha: Longe de Casa é o gostinho do que está por vir.

Depois do estalo

Cinco anos se passaram após os eventos de Vingadores: Guerra Infinita. Os heróis derrotaram Thanos e trouxeram todo mundo de volta. Agora, todo mundo que passou cinco anos “desaparecido” retoma sua vida, inclusive Peter (Tom Holland) e a Tia May (Marisa Tomei).

Toda a turma de retornados embarca em uma viagem pela Europa durante as férias de verão, mas surpresa! Nick Fury (Samuel L. Jackson) e Maria Hill (Cobie Smulders) tentam recrutar o Homem-Aranha para ajudar Quentin Beck / Mystério (Jake Gyllenhaal), um super-herói de uma Terra paralela que foge para o Universo 616 e precisa impedir que quatro monstros elementais que destruíram seu planeta repitam a história.

É claro que após salvar o mundo de um tirano intergaláctico e perder seu grande mentor, Peter só quer curtir as férias e tentar conquistar MJ (Zendaya), mas vocês sabem como é aquela velha história sobre ter grandes poderes…

Reviravolta bem sacada

Quem acompanha quadrinhos já vai farejar de longe que a história do Mystério tem coisa. Isso é razoavelmente previsível, mas não é esta a reviravolta principal da trama. Essa é bem sacada e amarra bem com os temas que permearam a quarta fase do Universo Cinematográfico Marvel. Aliás, Longe de Casa é surpreendentemente recheado com isso. Homem-Aranha: De Volta ao Lar foi uma aventura bem Sessão da Tarde com o personagem. Abordava os temas tradicionais já associados à construção da personalidade do Aracnídeo, mas em geral, mantinha o grau de perigo da aventura mais ou menos do tamanho da vizinhança que o amigão adora tanto proteger.

Agora estamos falando de um Homem-Aranha que já foi ao espaço, esteve na batalha final contra Thanos e enfrentou a Ordem Negra. Como que esta jornada reflete no que ainda é essencialmente um adolescente tentando se descobrir no mundo? Como ele vai fazer jus não só aos seus poderes, mas ao sacrifício de Tony Stark para salvar o universo? Qual será o papel de Peter neste novo mundo onde espera-se que novos heróis estejam prontos para assumir o manto do Homem de Ferro, o legado do Capitão América e o poder de Thor?

Seria um filme razoavelmente piegas, convenhamos. Entra a magia do subtexto. Tudo isso aí está implícito na trama, mas o roteiro respira e deixa Peter seguir sua aventura de forma leve e carismática, algo que Tom Holland carrega com naturalidade. Aliás, toda a premissa que leva ao confronto final esperado é uma bela forma do Homem-Aranha assumir seu papel entre os novos líderes do Universo Cinematográfico Marvel, mas entrar mais no detalhe seria chafurdar em território de spoiler.

O veredito

O roteiro é sagaz, o elenco de apoio é afiado, o gostinho do que está por vir, talvez o maior trunfo destes filmes, intriga. O que peca um pouco são as cenas de ação que deixam um pouco a desejar. Jon Watts na direção tem um pouco de dificuldade de conciliar os momentos mais frenéticos de combate, mas nada que estrague completamente o filme (apesar desse lance do Homem-Aranha só lançar teia e nunca bater em ninguém força um pouco a barra). Mesmo assim, quem conhece os poderes do Mystério nos quadrinhos preparem-se para algumas cenas de piração a la Doutor Estranho bastante inspiradas que trazem algo nunca visto antes em um filme do herói.

Vale a pena? Óbvio né? Qual foi a última vez que a Marvel lançou um filme que pudesse ser considerado genuinamente ruim*?

Homem-Aranha: Longe de Casa estreia nos cinemas dia 4 de Julho de 2019.

Até a próxima!

*fanboys chatos da DC, YouTubers e influencers que gostam de ser do contra para polemizar e gente que só gosta de cinema europeu não precisam se manifestar.

Comente via Facebook!
Nota:
8.8
Nota:
O bom
  • A cena pós-créditos vai causar tantos enfartes quanto a primeira aparição de Nick Fury.
  • MJ e Peter têm uma química interessante. Deixamos só isso para não estragar.
O ruim
  • Alguns momentos o roteiro arrasta um pouco.
  • Direção
    8
  • Roteiro
    9
  • Elenco
    8
  • Enredo
    10
Categorias
CriticasFilmes

Ver também