CRÍTICA | Jack Reacher: Sem Retorno

Tom Cruise retorna em Jack Reacher: Sem Retorno Tom Cruise pode ser mais famoso por sua série Missão Impossível, mas com Jack Reacher ele tem uma segunda franquia que,...

Tom Cruise retorna em Jack Reacher: Sem Retorno

jack-reacher-sem-retorno-01Tom Cruise pode ser mais famoso por sua série Missão Impossível, mas com Jack Reacher ele tem uma segunda franquia que, apesar de não arriscar tanto, é bastante divertida. O ator novamente adapta o personagem de Lee Child para o cinema em Jack Reacher: Sem Retorno. Reacher é um ex-major da polícia do exército americano que abandona a vida militar para vagar pelos Estados Unidos resolvendo casos que a lei não pode ajudar, geralmente com muita violência e frases estilo “DESTA VEZ… É PESSOAL”.

Em Sem Retorno, ele se envolve com o caso da Major Suzan Turner (Cobie Smulders), a soldado que assumiu o posto de Reacher na polícia do exército e que está presa sob falsas acusações de espionagem. Dois de seus investigadores foram mortos no Afeganistão e tudo indica que uma companhia militar privatizada está por trás de uma conspiração envolvendo tráfico de armas. Para complicar, ambos precisam proteger Samantha (Danika Yarosh), uma jovem que pode ou não ser a filha de Jack.

Na escala Liam Neeson de Ação™, Jack Reacher: Sem Retorno atinge um sólido 8 Neesons. Cruise e Smulders dispensam dublês enquanto atiram, espancam e torturam diversos capangas anônimos em sua ensandecida busca pela justiça. Semelhante a Mad Max, Tom Cruise deixa Reacher de fundo para deixar Smulders mostrar que a Major Turner é tão durona quanto o protagonista e que não precisa de ninguém para resgata-la. A dinâmica entre os dois foge dos clichês da donzela em apuros ou o interesse amoroso obrigatório, e ambos se veem como soldados e iguais, uma caracterização praticamente inovadora de tão rara.

De resto, Jack Reacher: Sem Retorno, assim como seu predecessor, não almeja nada mais que entregar um bom filme de ação com atuações sólidas e diversão garantida, e neste quesito entrega com louvores. Pode não ser tão glamoroso quanto Missão Impossível, mas coloca Cruise em cenas mais viscerais de pancadaria e sangue para nenhum entusiasta de explosões botar defeito.

Dirigido por Edward Zwick, o novo longa da Paramount Pictures estreia dia 24 de novembro nos cinemas.

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
Criticas

Ver também