Jurassic Park III / Jurassic Park 3

SEMANA JURÁSSICA | Jurassic Park 3

Onde tentam conversar com um velociraptor usando uma cuica...

Jurassic Park III / Jurassic Park 3Jurassic Park 3 erra feio. Erra rude.

Bem-vindos à Semana Jurássica! Vamos cobrir todos os filmes da série Jurassic Park antes do lançamento de Jurassic World: O Reino Ameaçado! O filme da vez é o terceiro da franquia, Jurassic Park III (Jurassic Park 3).

Jurassic Park III não traz nada de novo

Convenhamos. São raras as franquias cujo terceiro filme não seja o pior. De Retorno de Jedi a O Cavaleiro das Trevas Ressurge, são poucos os exemplos de séries de filmes que chegaram ao amaldiçoado 3 e não entregaram algo que decepcionou críticos e públicos. Jurassic Park 3 não é exceção, é um exemplo bem claro da regra.

De volta à Isla Sorna

Alan Grant (Sam Neill) é contratado por um casal de aparentes milionários para dar um tour aéreo da Isla Sorna, a ilha de O Mundo Perdido: Jurassic Park. Ao chegar lá, ele descobre algumas coisas desagradáveis. Primeiro, o casal Paul e Amanda Kirby (William H. Macy e Téa Leoni) não são milionários, mas sim um casal divorciado de classe média. Segundo, eles não querem apenas uma tour, mas sim pousar o avião na ilha e procurar seu filho Eric (Trevor Morgan) e o marido de Amanda, Ben que naufragaram na ilha a um certo tempo. Grant também é acompanhado de seu assistente Billy (Alessandro Nivola).

Novas ameaças

Ao contrário do tradicional T-Rex, o malvadão da vez é um gigantesco Spinossauro. O filme faz questão de mostrar que o dinossauro é bem mais perigoso ao coloca-lo em confronto com o Tiranossauro e brutalmente mata-lo. O que deveria ser uma cena marcante, colocando os dois monstros para se degladiarem, é estranhamento anticlimático, um problema recorrente durante todo o filme.

Aliás, parece que Jurassic Park 3 parece estar completamente desinteressado em transformar os dinossauros em criaturas ameaçadoras. Cada confronto é resolvido de uma forma absurda que não ficaria totalmente fora do lugar em um episódio de Tom & Jerry. Seja Billy fugindo de pteranodons com um paraquedas ou Alan “conversando” com velociraptors usando uma laringe impressa em 3D, é difícil pensar que este filme faça parte da mesma série.

Jurassic Park 3 / Jurassic Park III

Sob nova direção

Steven Spielberg já havia dito que não tinha planos para dirigir um terceiro Jurassic Park. Para dar continuidade ao projeto, convocou o diretor Joe Johnston (Rocketeer, Jumanji, Capitão America: O Primeiro Vingador). Johnston não é exatamente um símbolo de versatilidade, mas seu interesse em narrativas da era pulp, algo que tornou Rocketeer e Primeiro Vingador, algo tão especial, não está aqui.

Até funcionaria. Criar um filme sobre uma expedição em uma perigosa selva funcionaria muito bem, e certamente é algo que Spielberg incorporou em O Mundo Perdido. E trazer um ar retrô, especialmente com o Indiana-Jones-só-que-não de Alan Grant no papel principal seria uma experiência interessante de ver, mas não. O que temos aqui é o filme mais morto da franquia.

Elenco

É estranho ver um Jurassic Park onde todos os personagens parecem se comportar que nem futuras vítimas de filme de terror teen. O que contribuía para o crescimento da tensão nos filmes anteriores era o fato de boa parte dos protagonistas serem competentes, tanto como paleontólogos quanto como sobreviventes. O fato dos dinossauros conseguirem caça-los deixava agregava ao terror.

Neste filme, temos os piores personagens. Os Kirbys são completamente cansativos. Sam Neill parece estar em modo sonâmbulo durante toda a duração de Jurassic Park 3, e Billy possivelmente é o pior personagem da franquia.

Talvez mais trágico ainda, é ver Ellie (Laura Dern), uma das melhores personagens da série, relegada à uma mera participação especial. Tudo bem que mesmo com pouco tempo de tela, ela ainda é responsável pelo resgate de Grant e a família Kirby.

No fim

Apesar do fracasso de crítica, a bilheteria de Jurassic Park III foi bastante sólida. Mesmo assim, levaria 14 anos para o próximo filme da franquia aparecer. Na época, era um forte indicativo que talvez os dinossauros deveriam permanecer extintos por mais um tempo. Pelo menos até uma nova ideia surgir que superasse os absurdos dessa atrocidade.

Veja também:

Até a próxima!

Comente via Facebook!
Nota
3.5
Nota
O bom
  • Os velociraptors foram atualizados para refletir novas descobertas do campo... apesar de teoricamente, eles não serem velociraptors.
O ruim
  • A quantidade de escatologia nesse filme é algo a ser notado.
  • A cena da negociação de refém com velociraptors segue como um ponto baixo da franquia.
  • Direção
    4
  • Roteiro
    3
  • Elenco
    4
  • Enredo
    3
Categorias
CriticasFilmes

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Relacionados