crítica de Legítimo Rei na Netflix

CRÍTICA | Legítimo Rei - O que aconteceu após Coração Valente

Chris Pine é Robert Bruce, o Legítimo Rei da Escócia no novo filme da Netflix Legítimo Rei é o novo filme do diretor David Mackenzie, que também dirigiu A Qualquer...

Chris Pine é Robert Bruce, o Legítimo Rei da Escócia no novo filme da Netflix

Legítimo Rei é o novo filme do diretor David Mackenzie, que também dirigiu A Qualquer Custo, um dos longas que concorreu a Melhor Filme no Oscars de 2017. Seu novo longa conta a história de Robert Bruce, um clamante ao trono da Escócia que lidera uma rebelião contra o Rei Edward I da Inglaterra e sua tirania contra o povo escocês.

O Legítimo Rei

A rebelião liderada por William Wallace fracassou e aos poucos o Rei Edward I começa a retomar o controle da Escócia. Robert Bruce (Chris Pine) é um dos possíveis clamantes ao trono da Escócia, mas decide não fazer nada a respeito. Aos poucos, ele começa a ver que os dias de tirania de Edward não irão cessar e ao ver o corpo de William Wallace esquartejado decide liderar uma rebelião contra a coroa inglesa.

Agora, perseguido por um exército muito maior e sanguinário e até mesmo outros nobres escoceses com interesses políticos opositores, Robert lidera uma campanha de guerrilha aterrorizando a Escócia e aos poucos erguendo um exército rebelde.

A “continuação” de Coração Valente

Quem não se lembra o clássico Coração Valente de Mel Gibson? Seu protagonista, foi um dos mártires da rebelião escocesa, e o longa trata Robert Bruce injustamente com um traidor da causa. Historicamente, ele é considerado um dos maiores reis da Escócia e sua campanha militar para retomar o país do controle britânico mostra sua genialidade militar e sua capacidade de motivar seus soldados até mesmo nos momentos mais sombrios. Esta versão da figura história é mais fiel e toma menos liberdades artísticas.

E ainda assim, é um filme belíssimo. Da mesma forma que Mackenzie capturou aquela fotografia rústica e estilosa de westerns antigos para fazer A Qualquer Custo, em Legítimo Rei parecem pinturas épicas de grandes batalhas e paisagens pastorais que ele decidiu animar e contar uma história. Assim como alguns dos melhores episódios de Vikings, a cenografia e a direção afiada são tão importantes para a trama que fica impossível imaginar outra abordagem.

Chris Pine faz um Robert Bruce bastante contido, não aprendemos muito sobre quem ele é ou o que pensa, mas acompanhamos a jornada de um homem que sabe seu dever e pretende cumpri-lo a qualquer custo (ei, é o nome do outro filme!). Em contrapartida, temos Aaron Taylor-Johnson, interpretando James Douglas, um nobre escocês que perdeu tudo na rebelião e pretende retomar suas terras da forma mais brutal possível. É divertido ver o tradicionalmente calmo e comportado Johnson fazendo um escocês psicopata que não ficaria fora de lugar em uma horda viking sanguinária.

E o veredito?

Com uma direção afiada, cenários belíssimos, um roteiro super inteligente e cenas de combate brutais e verdadeiras, Legítimo Rei é uma excelente aposta para fãs de ficções históricas. Com uma pegada de corrida contra o tempo, o filme lembra um pouco Dunkirk, com as pequenas forças de Bruce tentando sobreviver usando sagacidade e poucos recursos contra uma força que pode esmaga-los a qualquer momento. Ou seja, podem assistir sem medo de ser feliz, porque a diversão é garantida.

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Nota
10
Nota
O bom
  • Sim, tem uma penca de ator do Game of Thrones no elenco!
  • Sabiam que o Bruce de Bruce Wayne veio de Robert Bruce?
O ruim
  • Tem nu frontal do Chris Pine no filme. Até aí tudo bem, mas entristece um pouco que toda a discussão em torno do projeto girou em torno disso.
  • Direção
    10
  • Elenco
    10
  • Roteiro
    10
  • Enredo
    10
Categorias
CriticasFilmes

Ver também