[CRÍTICA -Masculina] Caça-Fantasmas – Ignore os revoltados, o filme é divertido

Poucos filmes têm causado tantas discussões quanto o remake de Caça-Fantasmas. Para analisar da melhor forma possível, a Freakpop criou duas críticas diferentes: uma do ponto de vista feminino, mais jovem,...
Poucos filmes têm causado tantas discussões quanto o remake de Caça-Fantasmas. Para analisar da melhor forma possível, a Freakpop criou duas críticas diferentes: uma do ponto de vista feminino, mais jovem, e outra do ponto de vista masculino mais velho. A crítica feita por Doktor Bruce você encontra abaixo. Para a crítica da Bellatrix Le Fay, clique aqui.

 Apesar de um terceiro ato batido, Caça-Fantasmas
encanta com as novas personagens

caca-fantasmas-critica-freakpop-03Ok. Vamos lá. Refizeram Caça-Fantasmas e não é um simples remake. É uma nova versão com *gasp* personagens mu-mu-mulheres?!?! Aparentemente, entre todos as infindáveis reinvenções de franquias antigas, nenhuma foi capaz de causar tanto alvoroço na internet. Esta legião de guerreiros, armados com a espada da conexão da internet e a armadura do anonimato, travaram uma guerra tão cancerosa que seriam necessários sovietes cagarem no pau em outra usina nuclear para competir.

A história está dentro do esperado. Doutoras Erin Gilbert e Abby Yates (Kristen Wiig e Melissa McCarthy) escreveram um livro sobre eventos paranormais descrevendo diferentes tipos de fantasmas. Com a ajuda da insana Jillian Holtzmann (Kate McKinnon) e da esperta Patty Tolan (Leslie Jones), montam uma empresa que… bom… caça fantasmas. Eventualmente, acabam enfrentando um inimigo sobrenatural que ameaça destruir o mundo – ou pelo menos, Nova York.

Paul Feig tem se mostrado um dos melhores diretores da atualidade para comédias com elenco feminino e aqui trabalha personagens que casam como uma luva para as habilidades cômicas de cada atriz – nenhuma surpresa já que suas duas melhores comédias Missão Madrinha de Casamento e A Espiã Que Sabia de Menos têm Wiig e McCarthy nos papéis principais, respectivamente. Sua versão de Caça-Fantasmas não é uma simples atualização preguiçosa com um elenco trocado. O longa não reconta a mesma história com mais referências a Tinder e Facebook e nem tenta extrair o humor das piadas com mulheres mais cansadas do acervo. Não tem nenhum arco romântico forçado, nenhuma piada sobre menstruação ou uma arqui-inimiga gostosona que fará as protagonistas descobrirem o poder da “beleza interior”.

Inexplicavelmente, Caça-Fantasmas trata suas heroínas como… humanas (*gasp!!!*), o mesmo luxo concedido à Dan Aykroyd, Bill Murray, Harold Ramis e Ernie Hudson na versão original. O vilão da vez é Rowan (Neil Casey), um personagem que coincidentemente reflete as características mais desagradáveis dos indignados online. Uma criaturinha asquerosa, sem talentos que tem um senso de realidade mal calibrado que o leva a acreditar que o mundo inexplicavelmente deve se portar de acordo com suas opiniões.

No final das contas, Caça-Fantasmas é um filme divertido – que talvez não tenha tanta graça quanto outros projetos de Paul Feig por trabalhar com uma premissa já conhecida – e sofra um pouco com um terceiro ato um pouco batido. Mesmo assim, as quatro personagens centrais chegam a ser até mais interessantes do que os cientistas da versão original e, com certeza, são intrigantes o suficiente para trazer às telas a continuação flertada na cena pós-crédito.

Vale a pena? “Estranhamente”, Caça-Fantasmas ao estrear nos cinemas não retroativamente destruiu a infância de ninguém e pode ser que nesta versão atualizada do clássico, uma nova geração seja conquistada. Deixa de lado a toxicidade das sessões de comentários da internet e vá se divertir sem dó.

Até a próxima!

P.S.: Sinceramente, se este é o tipo de “agenda feminista” que os machos de teclado tem tanto medo de serem expostos… bom, façam uma fila e devolvam suas carteirinhas de homem ok?

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
Criticas

Ver também