Veja nossa crítica de O Homem do Castelo Alto, a fascinante adaptação da obra de Philip K. Dick para a Amazon Prime Video. Um retrato assustador e incrível.

CRÍTICA | O Homem do Castelo Alto chega em sua temporada final

Veja nossa crítica de O Homem do Castelo Alto, a fascinante adaptação da obra de Philip K. Dick para a Amazon Prime Video. Um retrato assustador e incrível....

Adaptação do livro homônimo de Philip K. Dick, pela Amazon Prime que mostra o desastre do mundo dominado pelo nazismo está chegando ao fim.

A relação de Ridley Scott com a obra de Philip K. Dick não ficou apenas na adaptação para o cinema de Blade Runner – O Caçador de Androides. Há muito tempo ele tinha planos de adaptar outra obra um pouco mais polêmica do autor americano, que mostrava o que poderia ter acontecido com o mundo se a Segunda Guerra Mundial tivesse outro vencedor.

O Homem do Castelo Alto

Em 2014, Scott através de sua produtora Scott Free, responsável por séries de sucesso como The Good Wife e Numb3rs, fechou com a Amazon Studios uma parceria para produzir a adaptação de O Homem do Castelo Alto. A ideia original de adaptar o livro foi de Frank Spotnitz, roteirista de Arquivo X e Strike Back. O livro publicado em 1962 por Philip K. Dick mostrava uma realidade alternativa onde os Aliados tinha perdido a Segunda Guerra, fazendo com que os Estados Unidos fossem repartidos ao meio entre a Alemanhã de Hitler e o Japão do Imperador Hirohito.

Mas o clima entre os dois países sempre foi muito tenso, com armações políticas entre as duas potências, muito similar à realidade da época que K. Dick concebeu o livro. Além do clima de tensão, tanto alemães como japoneses tentavam achar e capturar o autor de um livro considerado subversivo, que mostrava o mundo numa realidade onde Alemanha e Japão tinham perdido a guerra.

Na adaptação, porém, a ideia do livro subversivo foi substituído por um filme contendo imagens de uma realidade chocante demais para os opressores da história. Começa então, uma caçada ao responsável por distribuir não só um, mas vários filmes curtos mostrando essas realidades. É numa dessas trocas de filmes que conhecemos Juliana Craine (Alexa Davalos, de Fúria de Titãs), peça fundamental em toda a história.

Juliana tenta se moldar à rotina de San Francisco, principal cidade do governo japonês nos Estados Unidos. Professora de Judô, sua vida muda radicalmente quando vê sua irmã assassinada pela guarda japonesa. Antes, ela descobre que a irmã fazia parte da Resistência americana e que era importante ela tentar localizar e falar com o Homem do Castelo Alto. Ao ver o conteúdo do primeiro filme, Juliana percebe que sua vida jamais será a mesma.

Três outros personagens se destacam na história. Do lado alemão, Obergruppenführer John Smith (Rufus Sewell, de Cidade das Sombras), uma espécie de secretario geral do Reich nos EUA, que trabalha e vive em Nova York. Do lado japonês, o ministro do comércio Nobosuke Tagomi (Cary-Hiroyuki Tagawa, de Perdidos no Espaço) e o Inspetor Kido (Joel de La Fuente, de Os Agentes do Destino). Cada um deles tem seu motivo particular para tentar capturar Juliana e descobrir um jeito de capturar o Homem do Castelo Alto.

A cada nova temporada, o conceito distópico criado para a série vai mergulhando na ficção científica, mesclando conceitos clássicos do gênero, mas de uma forma muito bem engendrada.

Os produtores foram muito habilidosos em usar o livro de K. Dick apenas como base para o desenvolvimento da série. Tanto que a primeira temporada é praticamente a adaptação do livro. A partir da segunda, muitos elementos são incorporados à trama, que transformam a história em algo muito diferente e ao mesmo tempo, misterioso. Afinal, os filmes serão mesmo o melhor jeito de influenciar uma mudança radical na América dominada pelo nazi-fascismo?

A história de O Homem do Castelo Alto vai chegar ao fim com sua quarta e ultima temporada, prevista para chegar ao final desse ano pela Amazon Prime Video. Os filmes terão um peso maior na trama? E a capacidade de Juliana de ver algo diferente no futuro? E como seus dois principais antagonistas seguirão suas vidas após o que foi revelado na terceira temporada?

Com todas essas perguntas para serem respondidas, a grande resposta para essa adaptação é que ela foi muito melhor do que simplesmente bem sucedida. Se fosse adaptada para o cinema, O Homem do Castelo Alto não conseguiria dar a dimensão exata do que Philip K. Dick queria mostrar quando escreveu o livro. Que o poder corrompe e o poder absoluto corrompe absolutamente.

Comente via Facebook!
Nota
9.5
Nota
O bom
  • Alexa Davalos surpreende com a evolução do seu personagem, de tímido a heroína da Resistência.
  • Ver o que poderia ter aconteceu com o planeta com a derrota americana é pior do que o apocalipse zumbi.
  • Adaptação perfeita da obra de Philip K. Dick e com direito a fundamentais licenças poéticas.
  • Direção
    10
  • Roteiro
    10
  • Elenco
    8
  • Enredo
    10
Categorias
CríticasSéries

Ver também