CRÍTICA | O Mecanismo – Temporada 01

O Mecanismo traz a história por trás da Operação Lava Jato e vira série da Netflix Vivemos em um país politicamente polarizado. Parece que toda semana surge uma nova...
O Mecanismo na Netflix - Selton Mello investiga a Operação Lava Jato da Polícia Federal

O Mecanismo traz a história por trás da Operação Lava Jato e vira série da Netflix

Vivemos em um país politicamente polarizado. Parece que toda semana surge uma nova discussão, fato polêmico ou notícia que inflama ainda mais o fla-flu que assola as ruas, as redes sociais e os almoços de domingo. A nova série da Netflix, O Mecanismo, tem sido o ponto focal de diversas discussões e campanhas de hashtag nas redes sociais, especialmente devido ao seu tema central: a Operação Lava Jato. Será que a nova série do diretor José Padilha (Tropa de Elite, Robocop, Narcos), merece mesmo tanta atenção negativa?

Vamos por partes?

Antes de falar propriamente da série, vamos tirar algumas coisas da frente. Aqui na Freakpop, temos pessoas com crenças religiosas, políticas e sociais completamente diferentes. Nem por isso, discutimos ou brigamos por causa destes temas. Entendemos que devido a eventos recentes, muitas pessoas estão com os nervos à flor da pele. Entendemos também que alguns críticos e jornalistas do meio gostam de usar seus veículos e redes sociais para expor seu posicionamento político. Não concordamos, mas também não condenamos. Cada um tem seu público, e aqui nós preferimos manter este tipo de tema em outra esfera. Toda crítica e matéria que envolva assuntos politicamente sensíveis, nos esforçamos ao máximo para analisar com objetividade e evitar extremismos.

Falando nisso…

O que é a tal ‘Operação Lava Jato’?

Após o escândalo do mensalão, algumas delações apontaram para um doleiro chamado Alberto Youssef que supostamente estava no epicentro de diversos esquemas de propina. Em 2013, uma investigação da Polícia Federal identificou que o doleiro “doou” uma Land Rover para o ex-diretor de abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto Costa. Com a delação de ambos, a investigação tomou proporções assustadoras e foi se descobrindo um gigantesco esquema de corrupção envolvendo licitação de obras na Petrobrás, campanhas eleitorais e um sistema de pagamento de propinas sofisticado.

Desde então, grandes empresas, membros da alta cúpula do governo federal, milionários, e presidentes da república foram investigados. Muitos foram presos. O número de mandados de busca e apreensão, prisão temporária, condução coercitiva e prisão preventiva passou de mil. As investigações da Operação Lava Jato ainda seguem em novas fases. Uma quantia milionária de dinheiro adquirido ilegalmente foi ressarcido aos cofres públicos. O impacto das informações foi tamanha que isto até contribuiu para a crise econômica de 2014.

Naturalmente, a historia é bem mais complexa, mas você não quer aprender sobre isso nesse site né?

A história em ‘O Mecanismo’

Baseado no livro Lava Jato – o Juiz Sergio Moro e os Bastidores da Operação que Abalou o Brasil, do autor Vladimir Netto, a trama da série O Mecanismo conta de forma dramatizada a história das operações da Polícia Federal e do Ministério Público de Curitiba nas primeiras etapas da operação. Da captura do doleiro e seu comparsa da diretoria da Petrobrás, até a descoberta e prisão dos líderes do cartel das 13 maiores empreiteiras do país.

A história é uma versão bem dramatizada dos eventos. Todos os personagens, partidos políticos, empresas e órgãos públicos tiveram seus nomes alterados. Alberto Yousseff é Roberto Ibrahim, o juíz Sergio Moro se chama Paulo Rigo, ainda de quebra, conhecemos a “presidenta” Janete Ruscov e o ex-presidente bonachão João Higino. E a “Polícia Federativa” que investiga a “Petrobrasil”.

A ação se concentra na detetive Verena (Caroline Abras) que desvenda aos poucos o esquema de corrupção, e o ex-investigador da PF, Marco Ruffo (Selton Mello), que além de super inteligente, sofre de transtornos psicológicos. Uma espécie de Sherlock que dá os grandes saltos de deduções para acelerar a história.

Tudo isso sob o olhar cuidadoso de um juiz em Curitiba (Otto Jr.) que gradualmente leva o sistema judiciário brasileiro para águas não navegadas.

Mas a trama é fiel?

Sim e não. Em linhas bem gerais, O Mecanismo aborda a sequencia de ocorrências durante este período específico da Lava Jato, mas vale lembrar que a Netflix não é noticiário, e o José Padilha não é William Bonner. A série não é um documentário, mas sim um thriller policial.

Certas liberdades foram tomadas para tornar a narrativa mais interessante e dramática.

A série deve mais à American Crime Story com uma trama multi-facetada tentando contar de forma semi-coerente uma narrativa envolvendo dezenas de personagens do que qualquer coisa tirada das manchetes. Com uma pegada bem Law & Order, a história se resume em detetives, juízes e promotores públicos trabalhando juntos para desvendar o crime e colocar os bandidos por trás das grades.

E por que a polêmica?

A Operação Lava Jato dividiu opiniões, e naturalmente incomodou muita gente. Como falamos antes, a história toma liberdades com os fatos para aumentar a dramaticidade. Em um dado momento, o personagem inspirado no ex-presidente Lula cita uma frase atribuída a Romero Jucá. Isto levou algumas pessoas a considerar a série como uma propaganda anti-partidária ao PT.

Outras pessoas, criticaram que outros partidos envolvidos como o PSDB e o PMDB não aparecem ou são mencionados.

Porém, vale destacar que ao mesmo tempo, claramente deixam claro que o personagem inspirado em Aécio Neves também é extremamente corrupto e testemunhamos na série uma reunião do vice presidente “Samuel Themes” conspirando com partidos da oposição para deflagrar o impeachment, tirar a presidenta Roscov do poder e tentar controlar as consequências da investigação.

Ou seja. Antes de boicotarem ou louvarem, assistam e tirem suas próprias conclusões. É saudável cultivar um certo ceticismo com pessoas que tem opiniões inflexíveis e fanáticas que parecem dogmas.

A série em si

De longe, O Mecanismo é uma série policial sensacional. A complexidade do jogo de gato e rato entre os personagens é fascinante de acompanhar e a tensão escala no mesmo ritmo que o mistério vai crescendo. José Padilha aprendeu desde sua estreia na Netflix com Narcos e criou uma narrativa mais envolvente. O grande problema da série sobre Pablo Escobar é a falta de um confronto entre “mocinhos e bandidos” acabou drenando o investimento emocional da série.

Enrique Diaz e Selton Mello em O Mecanismo.

Ibrahim e Ruffo são conhecidos de infância e inimigos mortais na série.

As liberdades dramáticas ajudaram. Aqui, Roberto Ibrahim é o grande vilão da primeira temporada, e Enrique Diaz cria um personagem fascinante. Canastrão, arrogante e desprezível, o doleiro parece inabalável enquanto transforma seu cárcere em um reduto de férias, zomba a polícia e leva Ruffo à beira da loucura com suas escapadas.

Porém…

Nem todas as adições dramáticas funcionam. Ao centralizar o investimento pessoal em Ruffo, mas a ação em Verena, o ponto focal da trama fica confuso. O investigador renegado é movido por uma compulsão. Ele precisa solucionar o mistério a qualquer custo. Seu intelecto, personalidade disfuncional e relacionamento de antagonismo com Ibrahim, criam uma relação Sherlock / Moriarty bem interessante e com uma pegada brasileira bem-vinda. Mas pelo fato do personagem permanecer afastado da PF, acompanhamos Verena, que apesar de ser uma excelente heroína, tem seu desenvolvimento distraído por momentos desnecessários.

Além de cenas de sexo que não combinam com o tom narrativo estabelecido pela série, e parecem só estar presentes para cumprir a cota de nudez obrigatória de séries brasileiras, a personagem também é afastada da ação devido a uma cirurgia de remoção do útero. Não só esta problemática é introduzida de forma jogada no meio da série, mas seu desfecho frio e desinteressante só servem para tirar a heroína da jogada e dar algo para Ruffo fazer na próxima temporada.

Mesmo assim

O time de José Padilha, Daniel Rezende, Marcos Prado e Felipe Prado entregam uma temporada bem amarrada, com uma direção rara nas produções nacionais, diálogos ricos e personagens fascinantes. O próprio Ruffo já é um dos heróis mais interessantes desenvolvidos por Selton Mello. É um thriller policial envolvente, moderno e que não faz desfeita com produções internacionais.

Vale a pena?

O Mecanismo derrapa em alguns momentos no roteiro e com certeza merece parte da sua polêmica. O brasileiro tem uma dificuldade enorme em trabalhar a suspensão de descrença com produções nacionais. Duvidamos que os críticos mais histriônicos da série tiveram a mesma reação quanto à veracidade do julgamento de OJ Simpson ou o assassinato de Gianni Versace. Assista e tire suas próprias conclusões.

Até a próxima!

Série: O Mecanismo

Onde: Netflix

Lançamento: 23 de Março de 2018

Direção: José Padilha, Felipe Prado, Marcos Prado, Daniel Rezende

Elenco: Selton Mello, Caroline Abras, Enrique Diaz, Lee Taylor, Otto Jr., Leonardo Medeiros.

Gênero: Policial / Drama Político

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
CríticasSéries

Ver também