[CRÍTICA] O Negócio – Terceira temporada estreia dia 24 de abril na HBO

Assistimos o primeiro episódio da terceira temporada de O Negócio da HBO Quase um  ano e meio depois, a HBO estreia a terceira temporada da sua produção nacional e original...

Assistimos o primeiro episódio da
terceira temporada de O Negócio da HBO

Quase um  ano e meio depois, a HBO estreia a terceira temporada da sua produção nacional e original O Negócio. Para quem não é familiarizado com essa sedutora trama, esta série conta a história de três garotas de programa que literalmente saem do sistema controlado por cafetões para serem donas de uma empresa de prostituição de luxo onde somente elas atendem os clientes, logo, bye bye cafetinagem. Confuso? Ousado? Com toda certeza!

[button color=”blue” size=”normal” alignment=”none” rel=”follow” openin=”newwindow” url=”https://www.freakpop.com.br/o-negocio-hbo-anuncia-terceira-temporada-da-serie/”]HBO confirma terceira temporada de ‘O Negócio'[/button]

Desde a primeira temporada O Negócio tenta se estabelecer entre uma grande aula de marketing e business versus cenas de sexo bem caprichadas. Como retratar putaria e dinheiro de forma realista sem conquistar a audiência somente pela nudez? Bem, essa árdua tarefa precisava de uma HBO no backstage. Mesmo com alguns furos didáticos, momentos onde claramente os livros de Philip Kotler foram deixados de lado, as duas primeiras temporadas conseguiram se firmar e atrair uma legião de fãs. A HBO honrou sua mais ousada “linha fina” de todos os tempos: Ninguém faz O Negócio como elas.

Chegamos então na terceira temporada. Para quem não se lembra, a história parou quando a Oceano Azul deixa de ser um luxuoso clube que serve champanhe para ser uma marca de champanhe. Karin/Joana (Rafaela Mandelli) e seus sócios conseguem expandir a presença de sua label de luxo para novos produtos. Charutos, equipamentos de academia e bebidas ganham rótulos ‘Oceano Azul’. A empresa cresce e eles entram na Bolsa de Valores. Sim, a prostituição agora abre os pregões.

Quando você pensa que os roteiristas de O Negócio vão parar por aí, o sinal vermelho acende. A terceira temporada dá mais um salto gigantesco na corrida de negócios das meninas. Se passam dois anos e a Oceano Azul é comprada. Magali (Michelle Batista) e Luna (Juliana Schalch) param de atender para curtirem seus milhões. acaba em um relacionamento sério com a grapa. Só com a grapa. Oscar (Gabriel Godoy) segue tentando triunfar com seus golpes nos milionários, e ao se sentir emasculado por Luna por não ser rico, eles terminam. Já Ariel (Guilherme Weber) tenta se enturmar com seus antigos colegas de trabalho, e falha. Depois tenta entrar para a alta sociedade e falha. Sua honestidade, que cresceu conforme os zeros em sua conta bancária, o incomoda e certamente teremos alguma reviravolta com o ex-cafetão.

Deixando as tramas secundárias de lado, que precisam desses elementos novelísticos, Joana/Karin segue como CEO e gerencia seus negócios pertencendo a uma holding bilionária. No primeiro episódio, nomeado Chief Executive Office, a audiência é reapresentada à Joana, a executiva por trás do império do sexo, e sua verdadeira personalidade. Agora ela usa suas artimanhas aprendidas com a prostituição para fazer mais dinheiro no mundo dos negócios, o que em um cenário fictício dá muito certo, até que a esposa de um colega de trabalho descobre que ela era conhecida por Karin. Joana se distancia, mais uma vez, de sua verdadeira identidade para deixar a Karin fazer O Negócio como só ela faz.

De puta de rua para CEO de uma empresa milionária e só agora o passado de Karin pode fazer a “casa cair”? Apesar da premissa absurda, hiperbólica, repletas de citações lendárias, jargões e que assegura que os livros de Kotler são meramente enfeites, O Negócio começa sua terceira fase com muitas qualidades cinematográficas. A fotografia, direção e atuações – exceto da Michelle Batista – deram uma guinada considerável. A série alcançou o esteriótipo fútil de As Patricinhas de Beverly Hills (1995) e mostrou muito fôlego para sustentar esse universo rico e mesquinho sem perder o pezinho do mundo real. Ufa! Rafaela Mandelli comprova seu talento, sobe no salto do diabo e a cada passo de sua personagem vemos o quanto ela é poderosa, ou no dialeto atual: lacradora! Com uma produção digna de HBO, a prostituição é palco em uma trama que em geral é crível e retorna para o canal no mesmo dia da estreia da sexta temporada de Game Of Thrones.

O Negócio estreia dia 24 de abril na HBO e você confere nossa crítica por episódio aqui na Freakpop.

Küsses,

Comente via Facebook!
Tatá Snow

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
Críticas

Ver também