O Ódio que Você Semeia disponível para aluguel online

CRÍTICA | O Ódio que Você Semeia chega nas plataformas digitais

Amandla Stenberg chegou chegando!

FOX lança O Ódio que Você Semeia nas plataformas digitais

No mesmo ano da estreia de Mentes Sombrias (2018), a atriz Amandla Stenberg de apenas 20 anos, protagonizou dois longas super engajados na questão racial e arrasou no quesito atuação em ambos. Enquanto Amor em Tempos de Ódio (2018) se passa na Alemanha da Segunda Guerra, O Ódio que Você Semeia é ambientado nos EUA dos dias de hoje e é daqueles filmes que todos deveriam assistir por conta da importância de seus temas.

No último, sob a direção de George Tillman Jr., a nossa eterna Rue de Jogos Vorazes é Starr Carter, uma adolescente que mora em um bairro conhecido por questões envolvendo violência e drogas, mas estuda em um colégio numa vizinhança rica onde os alunos são predominantemente brancos. Seus dois mundos se chocam quando ela presencia o assassinato de um amigo de infância nas mãos de um policial branco durante uma blitz.

Dividida entre testemunhar frente a um júri ou se manter fora dos holofotes, a menina se questiona sobre sua conduta perante ao racismo e daqueles a sua volta. Completam o elenco Regina Hall, Issa Rae, Anthony Mackie e Common.

Adaptando o best-seller de Angie Thomas, o filme é envolvente e extremamente atual, claramente inspirado no movimento do Black Lives Matter e na vida de tantos negros norte-americanos, incluindo dos próprios atores e produtores do longa.

Com o título em inglês sendo “The Hate U Give”, ele faz referência ao termo difundido pelo rapper Tupac, “THUG LIFE” ou “The Hate U Give Lil’ Infants F*** Everyone” (o ódio que você passa para as crianças f*** todo mundo). Ele representa o ódio que é transmitido ao negro seja pelo abuso da polícia ou pela falta de oportunidade de emprego, por exemplo, que levam muitos a recorrerem ao tráfico de drogas e às gangues.

Apesar da narrativa girar em volta da encruzilhada de Starr, o mais interessante é entender a dinâmica dos jovens que precisam sempre se modelar e agir de modo diferente de acordo com o ambiente em que estão, o chamado “code switching” (“mudança de código” em português) e como isso afeta sua personalidade e relações.

Essa dualidade ainda é mais evidente com a fotografia propositalmente utilizada. O filtro azulado com cores frias é predominante no ambiente da escola, enquanto o mais alaranjado, com tons quentes, é usado quando o cenário é o bairro da família Carter.

Cheio de cenas marcantes, vale ressaltar a sequência inicial na qual o pai de Starr (Russel Hornsby) a ensina e o irmão a como se portar diante de uma abordagem policial. É triste perceber que essas crianças irão vivenciar isso de uma maneira ou de outra e que infelizmente, “a conversa” (como eles se referem) é algo que já está incrustada em sua cultura. É impossível não se envolver em um filme que começa assim!

Outro momento de destaque é a conversa entre a protagonista e seu namorado (K.J. Appa, de Riverdale) sobre seu relacionamento inter-racial. Enquanto o garoto garante que ele não enxerga cor de pele como um motivo de segregação, dizendo que todos são de carne e osso, ela explica como ser negra influencia a maneira dela de ver o mundo.

O Ódio que Você Semeia traz uma perspectiva jovem à um tema importante e que carrega uma carga emocional tão grande, mas não restringe o público apenas ao juvenil, sua linguagem atinge todos. Desse modo, garanto que quem assistir ficará impactado e irá refletir sobre as situações vividas pelos personagens.

Assista O Ódio que Você Semeia nas plataformas iTunes, Google Play, Now e Looke.

Comente via Facebook!
Nota:
7.8
Nota:
O bom
  • Atuação forte e natural de Amandla Stenberg
  • Tema atual e importante
  • Perspectiva juvenil, mas com linguagem universal
  • Cenas impactantes e trama envolvente
O ruim
  • Muitos podem achar que o tema está saturado
  • Direção
    8
  • Roteiro
    8.5
  • Elenco
    7.5
  • Produção
    7
Categorias
CriticasFilmes

Ver também