Pets a vida secreta dos bichos 2

CRÍTICA | Pets: A Vida Secreta dos Bichos 2

Ixi....senta que lá vem textão!

Pets: A Vida Secreta dos Bichos 2 não foca em uma trama só e se perde entre animais fofinhos

Em 2016, fomos apresentados ao primeiro longa dessa nova franquia da Illumination Entertainment, talvez um bom ar fresco para quem não aguenta mais os bichos amarelos e barulhentos de suspensório. Confessamos que Pets: A Vida Secreta dos Bichos surpreendeu, já que os bichos são carismáticos e o mundo mágico dos animais em casa, quando os donos saem de casa, foi apresentado de forma irreverente.

Três anos depois temos Pets: A Vida Secreta dos Bichos 2 e o resulto está longe de ser bom. Primeiro por que são várias tramas ao mesmo tempo e os roteirista se perderam na enxurrada de cenas repetitivas em volta da moral da história.

As crianças vão perceber? Não! Mas nos dias de hoje os adultos consomem animações também, e vamos analisar o longa como “gente grande”.

A história desta vez…

Max e Duke vivem bem com sua dona Katie, mas a jovem se apaixona, casa e tem um bebê. Duke está de boa com a chegado no pequeno, mas Max começa a ter comportamentos nervosos em função da presença do neném. Passa a ficar neurótico e extremamente preocupado com o bebê.

As problemáticas

Katie chega a levar Max no veterinário, mas é constatado que ele precisa relaxar. Então ela leva sua família e os dogs para viajar pro campo. Chegando lá, Max precisa lidar com várias situações que pedem que ele seja menos neurótico, forçando ele a ser mais corajoso. Esta é uma trama do filme.

Enquanto eles estão fora, Max deixa com Gigi seu brinquedo favorito para ela que cuide na sua ausência. No desespero, a apaixonada Gigi perde o tal brinquedo e precisa resgatá-lo de uma casa de uma idosa que tem váááááários gatinhos. Ela pede pra Chloe que a ensine a ser uma gata e assim acompanhamos a segunda trama do filme.

Em outro grupo paralelo, uma nova personagem quer resgatar um filhote de tigre albino de um circo comandado por uma figura malvada. O tigre é salvo e o resto dos personagens precisam ajudar a vida do felino. Esse núcleo é comandado pelo Bola de Neve, o coelho amalucado que garante boas risadas.

Funciona?

E assim Pets: A Vida Secreta dos Bichos 2 é uma enorme colcha de retalhos. Falta um arco central bem estruturado, falta uma “moral da história” melhor construída, falta foco, falta muito foco pois não sabemos qual das tramas é a mais importante ou relevante.

Você se importa com Max aprendendo a ser mais corajoso para cuidar do bebê? Não. Você se importa com Gigi salvando um brinquedo aleatório numa casa cheia de gatos? Não. Você se importa com o tao tigre resgatado? Não.

Pets: A Vida Secreta dos Bichos 2 não sabe pra onde a audiência precisa olhar e, além da ausência total de enredo, ainda falta o principal elemento numa animação: emoção.

Vale a pena?

O longa estreia dia 27 de junho nos cinemas. Vale a pena? Até vale, pois o longa é formado por vários curtas dos personagens que já conhecemos fazendo algo engraçado, mas quando você amarra todos eles, não é possível dizer qual o objetivo e verdadeira história da animação. Certamente você sairá do cinema lembrando de momentos específicos, apenas. E a criançada vai se divertir.

Não gostamos muito de explorar a competição, mas Toy Story 4 estreia dia 20 de junho.

Küsses,

Comente via Facebook!
Nota:
6
Nota:
O bom
  • Personagens carismáticos
  • Bons momentos de risadas
O ruim
  • Não existe uma linha de pensamento, é um filme com três histórias paralelas
  • Personagens
    7
  • Roteiro
    5
  • Enredo
    4
  • Produção
    8
Categorias
CriticasFilmes

Ver também