[CRÍTICA] Sentimentos que Curam – Mark Ruffalo e Zoe Saldana em longa envolvente

Em ‘Sentimos que Curam’, Ruffalo e Saldana comprovam que o amor supera qualquer obstáculo Preparado para um filme leve, divertido, envolvente e apaixonante? Sentimentos que Curam é um longa que estreará...

Em ‘Sentimos que Curam’, Ruffalo e Saldana comprovam que o amor supera qualquer obstáculo

Preparado para um filme leve, divertido, envolvente e apaixonante? Sentimentos que Curam é um longa que estreará no meio da temporada de férias entre filmes mais agitados como Meu Passado Me Condena 2Divertida MenteO Exterminador do Futuro: GênesisMinion e Homem-Formiga. Enquanto a criançada está louca para ver estes filmes, vocês, pais e pessoas mais velhas, podem encontrar um pouco de sossego e emoção nos cinemas ao investirem em Sentimentos que Curam.

sentimento-que-curam-critica-freakpop-01

O ano é de 1978, Cameron (Ruffalo) e Maggie (Saldana) formam um casal apaixonado pais de duas filhas. Tudo parece ir bem, mas a depressão de Cameron o leva à um surto e consequente internação. Maggie precisa mudar sua vida enquanto o marido está na clínica, ela reduz os gastos, vai morar num apartamento e sofre com a ausência dele. Cameron, após se recuperar, começa a retomar sua vida em um lar próprio, quando Maggie ganha uma bolsa de estudos para estudar em Nova Iorque. Para que a esposa não perca a oportunidade de melhorar sua carreira, Cameron aceita o desafio de cuidar das filhas durante 18 meses vivendo Boston.

sentimento-que-curam-critica-freakpop-02

A distância é um problema, mas suas filhas bagunceiras, somado ao fato de Cameron ter que se adaptar à uma rotina, tornam esta fase ainda mais delicada.  Aos poucos, eles estreitam a relação, Cameron supera seus conflitos psicológicos e o telespectador se encanta, e porque não se identifica, com a trajetória deste pai que se esforça ao máximo para ser um bom educador e ao mesmo tempo eliminar sua depressão.

Com um tom cômico e dramático equilibrado, Sentimentos que Curam é uma boa proposta de filme para tocar as pessoas. A atuação de Mark Raffalo, mais uma vez, só comprova que ele é mal aproveitado em Hollywood e pouco reconhecido, mesmo sendo o Hulk nos filmes da Marvel.

Dirigido pela estreante Maya Forbes, o longa estreia dia 16 de Julho.

Küsses

Comente via Facebook!
Tatá Snow

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
Criticas

Ver também