CRÍTICA | This is Us está disponível no FOX Play

A primeira temporada de This is Us está disponível no FOX Play Vencedora do Globo de Ouro de Melhor Série Dramática e protagonizada por Milo Ventimiglia, Mandy Moore, Sterling...
This is Us segunda temporada Brasil

A primeira temporada de This is Us está disponível no FOX Play

Vencedora do Globo de Ouro de Melhor Série Dramática e protagonizada por Milo Ventimiglia, Mandy Moore, Sterling K. Brown, Chrissy Metz, Justin Hartley e Chris Sullivan, This is Us (NBC) é exibida pela FOX aqui no Brasil. A segunda temporada estreia dia 2 de maio mas antes, confira o que achamos da primeira temporada de This is Us.

This is Us é uma série impactante

Lá na década de 80, um casal apaixonado aguarda a chegada de seus trigêmeos. Na noite do parto, um dos bebês falece e um bombeiro leva um recém-nascido abandonado para o hospital. A família adota a criança, e Kate (Chrissy Metz), Kevin (Justin Hartley) e Randall (Sterling K. Brown) crescem juntos. Até aqui, parece um novelão, né? Mas calma….

Uma das tramas mais simples que você poderia imaginar, carrega as questões mais relevantes para os dias de hoje.

Kate e Kevin

Os gêmeos sobreviventes são absurdamente grudados. Kevin praticamente vive pela irmã e vice-versa. Eles brincam e são zoados pelo lance de irmãos gêmeos terem uma conexão diferente de irmãos gerados separadamente.

Kate é obesa, tem um sonho, mas não corre muito atrás do quer. Kevin é um ator conhecido, porém seu papel o objetificou e eles está cansado dessa fama fútil. Ele se muda para outra cidade em busca de sucesso real no teatro. Enquanto isso, Kate preenche sua ausência com um rapaz que conheceu no em um programa de emagrecimento.

De um lado, Kevin tenta provar a si que é um bom ator e capaz de interpretar qualquer papel, do outro, Kate tenta superar a fome e se aceitar independente do que a balança acusa. Será que esses obstáculos tem correlação com o passado deles?

Randall

Randall, ainda bebê, foi abandonado no Corpo de Bombeiros. Ao ser adotado pela família Pearson, seus pais passaram por uma série de adaptações. Primeiro por que todo o seu comportamento era diferente dos gêmeos, segundo por que ele é afro-descendente.

Mesmo com pais amáveis e dedicados, as questões e cuidados necessários com Randall surgem na trama dando belíssimas lições sobre respeito, preconceito e adoção.

A problemática em This is Us

This Is Us evolui sua trama central da primeira temporada a partir do reencontro de Randall já adulto com o seu pai biológico, enquanto apresenta a fase da infância, pré-adolescência e juventude dos três irmãos. Em cada época, duas coisas nos fazem amar This is Us: os pais Jack (Milo Ventimiglia) e Rebecca (Mandy Moore).

Randall perde o chão quando descobre que sua mãe adotiva teve contato com o seu pai biológico por um bom tempo. E a partir daí, a problemática da família Pearson ganha espaço enquanto o rapaz tenta reaver o tempo perdido ao lado do “verdadeiro” pai.

Com uma estrutura diferente, This is Us revela sua narrativa aos poucos, trazendo todos os elementos dos irmãos de 30 e poucos anos que, apesar de suas diferenças enquanto adultos, são extremamente conectados ao amor por seu pai adotivo já falecido.

Prepare-se para chorar, por que This is Us é devastadora

Drama e mais drama

Quando você pensa que a série perderá a mão ou desviará demais para questões já saturadas no entretenimento, como a obesidade e descriminação ração, This is Us te surpreende com uma temática simples: o que os pais são capazes de fazer por um filho.

Todos os sonhos dos pais desta família são deixados de lado em prol das três crianças. Rebecca Pearson sonhava em ser cantora, Jack Pearson queria ser empreendedor. Juntos, eles tomam as decisões necessárias para que nada falte aos filhos. E um amor, até então inabalável, desmorona quando os filhos jovens já estão encaminhados.

Qualquer semelhança é mera ficção

O mais intrigante de assistir This is Us é que algum elemento em sua narrativa leva a audiência para algum momento da sua vida. Seja com as cenas de bullying, seja pelas divergências entre irmãos, seja por pais em crise no casamento, seja pela perda de um dos pais. This is Us é uma série humana e muito verdadeira em sua concepção.

Não existe um grande fenômeno ou reviravolta na história. E este é o charme da série.

Os diálogos e situações são de cume realístico e as problemáticas atemporais. Talvez seja uma das séries de 2016, que melhor envelheça ao longo dos anos.

Sterling K. Brown

E de volta ao Randall, base da primeira temporada. Sterling K. Brown interpreta um personagem intrigante. Além de ter que lidar com o retorno do pai, ele é o único filho da família Pearson que já é casado e tem filhos. Sua vida serve como um paralelo para a sua infância, levando a audiência à compreender sua forma adulta. Além disso, Randall é superinteligente e não consegue lidar com emoções de uma forma convencional, e vê-lo “quebrar” com a chegada de William H. “Shakespeare” Hill (Ron Cephas Jones) fará você, caro leitor, precisar de uma hidratação após tanto chorar.

Vale a pena?

SIM! A forma como Randall lida com a chegada do pai, o histórico de sua infância com os irmãos e a influência de Jack (Ventimiglia) em cada decisão tomada pelos filhos já adultos são elementos envolventes e marcantes.

De novo, This is Us é uma narrativa simples contada de forma inteligente. Os Pearson não são especiais ou diferentes, é justamente por eles retratarem uma família típica que a série foi e é um sucesso.

A chave final da trama da primeira temporada de This is Us está em Jack, um personagem memorável capaz de mexer com qualquer pessoa que resolva assistir a série. E olha que nós já conversamos com vários leitores e amigos sobre a temporada e, até agora, ninguém falou mal.

Aproveite o FOX Play para assistir a primeira temporada. A segunda fase dessa história estreia dia 2 de maio, às 22h15, no Canal FOX e na plataforma digital.

Küsses,

Comente via Facebook!

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
CríticasSéries

Ver também