CRÍTICA | TWD – S07E02 – “The Well”

TWD volta à programação normal com um episódio morno… ZZZzzzZZZ Carol está doidona. No final da sexta temporada ela tira o dela da reta de Alexandria e resolve perambular...

TWD volta à programação normal com um episódio morno… ZZZzzzZZZ

Carol está doidona. No final da sexta temporada ela tira o dela da reta de Alexandria e resolve perambular por aí numa falsa tentativa de superar as vidas que ela tirou. Sim, as humanas e não as dos walkers. Morgan, aquele cara do bastão que ninguém sabe se ama ou odeia por sua cara perpetuamente sem expressão, está em dívida com a nossa musa salvadora da pátria. Ele sai a procura dela e a salva da trupe do Negan neste episódio. É neste momento que a galerê da roupa de futebol americano aparece e os levam para O Reino, um local comandado por um Rei e uma tigresa.

WHAT?

WHAT?

Mas antes de sua chegada ao local, e sono da beleza de 48 horas, Carol tem visões. A cada walker “morto” ela visualiza o corpo se regenerando à forma humana. Uma sequência curiosa de imagens leva o espectador a questionar o que está acontecendo com ela. Seria uma fuga por todas as vidas tiradas por ela? Seria loucura? Seria arrependimento? O ponto é: Carol não é a mais mesma e, desde o final da temporada passada, acompanhamos seu comportamento falso e, de certa forma, manipulador como um grito de desespero de se livrar do que já fora encorajada a fazer pelos amigos da “tchurma” do Rick.

De volta ao “Reino”, conhecemos o simpático Ezekiel e seus longos dreads bem tratados para quem tenta sobreviver num universo pós-apocalíptico. É do alto de um palco em um auditório de escola que ele senta em seu pseudo-trono e esbanja a paz do local, os fartos frutos colhidos da terra e semeia a paz mundial. Tá, parei. Acompanhado de Shiva (a Deusa hindu da destruição e não a marca de Whisky, ok?) e de seu fiel mordomo, Ezekiel só consegue manter o local em ordem porque… Negan leva 50% do que ele produz toda semana.

Tirando o ar de princesa Disney de lado, começamos a entender qualéquié do Negan e a força de seu comando. Morgan é convidado para treinar um jovem rapaz morador do Reino e também acompanha uma parte da equipe do Rei em uma caçada a porcos. Lá, ele recebe mais detalhes sobre a influência de Negan no local, além de ter uma primeira oportunidade de vingança.

O episódio foi morno sim. Longos diálogos do Rei que são explicados por ele mesmo em uma cena de revelações. Longas cenas do Morgan contemplando a vida e tentando digerir a oportunidade de ficar no Reino. Algumas piadas de péssimo gosto do mordomo de Ezekiel e um encontro entre a trupe do Rei e do Negan, que pincela futuros problemas e caos.

Tirando a Melissa McBride e seu show de atuação como a Crazy Carol, não sabemos como estão as coisas em Alexandria. Não sabemos se Abraham e Glenn já foram enterrados. Não sabemos nada, afinal, a FOX divulgou um teaser do segundo episódio com imagens que não foram ao ar. Bem legal, #SQN.

O que tiramos destes 46 minutos de TWD? Pô, estamos doidos para saber se a tigresa é real ou CGI.

Küsses,

Comente via Facebook!
Tatá Snow

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
Críticas

Ver também