CRÍTICA | TWD – S07E03 – “The Cell”

Daryl é torturado em novo episódio de TWD P*P! A gente já entendeu que o Negan não é um cara legal. A gente já entendeu que ele tortura seus...

Daryl é torturado em novo episódio de TWD

P*P! A gente já entendeu que o Negan não é um cara legal. A gente já entendeu que ele tortura seus “funcionários”. A gente já entendeu que ele mata as pessoas que vão contra as regras dele. A gente já entendeu que ele comanda todo mundo. A gente já entendeu que ele é capaz de fazer qualquer coisa, física e psicológica em prol de seus interesses. Chega! Simplesmente chega!

O terceiro episódio foi totalmente irrelevante dentro da trama que todos estão no aguardo: até quando o Negan vai manda #neçaporratoda?! Em “The Cell”, Daryl está preso num quartinho escuro sendo alimentado por Dwight ganhando doses diárias de música ruim no último volume e um sanduba mequetrefe feito com ração de cachorro. Somos impactados algumas, várias, vezes com a mesma cena dos dois arqui-inimigos enquanto Daryl, aos poucos, demonstra sinais de fraqueza por suas precárias condições. OWWWW produção, dá pra dar um banho no moço? É muito óleo de bebê derramado em suas madeixas.

Bem, enquanto Daryl ganha uma “chance” de redimir ao comando de Negan, conhecemos um pouquinho mais da história de Dwight. O braço direito do vilão de cara parcialmente queimada tem um passado. Aliás, um passado alá Grey’s Anatomy onde sua ex-esposa acaba casando com Negan depois que a irmã da nova mulé do cara foi morta. OHHHHHHHHHHHHHHH! Mas porque caralhos Dwight aceita esse troca troca todo? Bem, assista o episódio…se você aguentar 45 minutos de enrolação e de mais uma prova que o capanga é obrigado a lidar.

O que mais aconteceu por aqui? Nada relevante. Não saímos do Santuário. Os Salvadores seguem ameaçadores. Lucille segue com sede de sangue. Não sabemos como as coisas estão em Alexandria e nem mesmo o Reino apareceu. O lance todo foi falar de troca de casais em um longo discurso entre Negan e Dwight que poderia ter ocorrido no palco do programa Mulheres.

Cara, este é o terceiro episódio de TWD da sétima temporada e, cada vez, a violência exagerada do primeiro episódio se perde e se torna irrelevante em uma trama que deveria e tinha tudo para compor a melhor temporada da série. Uma chatice sem fim. Temos a impressão de que a primeira parte dos 16 episódios vão, a cada nova ida ao ar, pincelar individualmente os personagens centrais até o maldito cliffhanger do mid season que vai chocar a audiência com alguma revelação bombástica.

Afff.

Nos vemos domingo que vem people.

Aguentem, aguentem firme ok? Estamos aqui por vocês, caros leitores.

Küsses,

Comente via Facebook!
Tatá Snow

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
Críticas

Ver também