CRÍTICA | TWD – S07E04 – “Service”

RESPEITÁVEL PÚBLICO! BEM-VINDOS AO CIRCO TWD! Finalmente Alexandria aparece. Foram necessários três episódios para saber como estão as coisas na base de Rick. O motivo? Negan precisa seguir com sua...

RESPEITÁVEL PÚBLICO! BEM-VINDOS AO CIRCO TWD!

Finalmente Alexandria aparece. Foram necessários três episódios para saber como estão as coisas na base de Rick. O motivo? Negan precisa seguir com sua postura de apresentador de circo e suas frases pausadas e recheadas de trejeitos corporais. Senhoras e Senhores! O picadeiro The Walking Dead está aberto e agora vocês vão assistir uma hora de show, longos discursos e mais opressão.

Opressão. Tá aí uma palavra explorada até demais nesta sétima temporada. Como já dissemos, Negan mata, manda, orquestra, controla, manipula e domina a porra toda. Já estendemos AMC, mais uma vez, NÓS JÁ ENTENDEMOS. O que falta aqui, por hora, é um pouco mais de enredo e menos repetições. Esse caricato vilão fomenta nos fãs da série aversão e ódio. Em “Service”, não soubemos mais de seus objetivos. Não fomos apresentado ao seu controle das cidadelas, nada. Negan chegou em Alexandria, levou o que queria, amedrontou todo mundo, ameaçou a turma toda e reforçou seu recado: ELE é o chefe!

Por outro lado, em uma tentativa fraca de fazer uma metáfora sobre caça e caçador, Michonne saiu para treinar tiro com um rifle e errou seu alvo. Assim como Rick ficou o tempo todo com Lucille em mãos podendo matar Negan a qualquer instante, mesmo que isso ocasionasse na morte de todos, inclusive a dele. Matar o bad boy seria fácil demais, então aguentamos a enrolação do episódio que oscila entre a galerê de Alexandria puta com a presença do Negan e a falta de culhões de Rick.

A sensata Michonne, como sempre, tenta por um pouco de objetividade na cabeça de Rick, que está visivelmente abatido. É com uma “revelação” envolvendo Judith que o ex-big boss da tchurma tenta convencer sua atual namorada de que este será o jeito de viver daqui por diante: aceitando as regras de Negan.

Daryl – sem banho ainda- apareceu. Ele foi arrastado pela trupe de Negan como um cachorrinho e não pode ficar em Alexandria, mas sua presença serviu de reforço para…a opressão de Negan. Gente, sério, tá chato isso!

Ah, Rosita tá doidona. Descontrolada e mais faminta por sangue do que a Lucille.

É…não tem mais o que comentar sobre este episódio. A enrolação reina mais que o Rei de O Reino (ha-ha…péssima piada) e fim.

[alert type=red ]TEORIAS TWD [/alert]
  • Maggie está em Hiltop?
  • Carl vai, assim como nos quadrinhos, virar a casaca?
  • O Reino ajudará a controlar a base do Negan?
  • Existe um armamento escondido e Olivia refez o inventário para enganar o Negan?
  • O Padre voltou pacífico e cheio de mistérios, né?
  • CAROL, QUÉDÊ VOCÊ COM SUA PORRADARIA TODA MINHA FILHA? Tá fazendo falta.

Ai gente, tchau, até o próximo episódio.

Küsses,

Comente via Facebook!
Tatá Snow

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
Críticas

Ver também