[CRÍTICA] Um Senhor Estagiário – Um longa inspirador e adorável

Um Senhor Estagiário comprova que idade e sabedoria andam de mãos dadas O que você faria se fosse um aposentado viúvo de 70 anos? Provavelmente as respostas mais óbvias...

Um Senhor Estagiário comprova que idade e sabedoria andam de mãos dadas

um-senhor-estagiario-robert-de-niro-the-internO que você faria se fosse um aposentado viúvo de 70 anos? Provavelmente as respostas mais óbvias surgem na cabeça de forma rápida e espontânea. Viajar, descansar, jogar bocha, sair com os amigos, ler, paquerar seriam algumas opções, menos para o “jovem” Ben Whittaker (Robert De Niro). Cansado de curtir a vida e passear em diversos aeroportos, Whittaker descobre que uma startup de moda acaba de lançar um projeto de estágio para a terceira idade. Mesmo lhe faltando algumas desenvolturas tecnológicas, Ben prepara um vídeo inspirador e participa do processo seletivo da empresa comandada pela jovem Jules Ostin (Anne Hathaway).

Logo de cara, ele cai nas graças de toda equipe de seleção. Divertido, elegante e com um ótimo senso de humor, Whittaker é contratado e passa a ser um novo/velho braço na equipe de Ostin que, infelizmente, não dispõe de muito tempo e paciência para lidar com o estagiário. O veterano trabalhou 40 anos em uma empresa que fabricava listas telefônicas, e sua jornada em uma área de trabalho já descartada pelo tempo o levou à cadeira de vice-presidente. Qual seria a “carta na manga” de Ben para driblar a personalidade de Ostin e contribuir para a empresa? Como ele poderia usar sua aposentada experiência em uma empresa de e-commerce de moda?

Um Senhor Estagiário tem uma premissa intrigante e diversos elementos criativos para expor uma realidade vivida por muitas empresas: o choque entre gerações. Leve, interessante e pra lá de divertido, o filme naturalmente evolui a relação dos protagonistas de forma inspiradora e adorável. Acompanhamos, ao longo de quase duas horas de duração, lições e aprendizados de ambos os lados que fortalecem a ideia de que sabedoria é algo que se adquire com o tempo e experiência, e que ser workholic pode pôr a perder uma potencial estrutura de uma novata empresa.

O longa, que estreia dia 24 de Setembro no Brasil, merece toda atenção do público, principalmente por aqueles que são empreendedores, líderes, funcionários e, sem dúvida, consultores. Um Senhor Estagiário é uma imersão no mundo dos negócios que também respeita os elementos pessoais dos envolvidos, proporcionando, em formato da sétima arte, uma aula de como viver nesse mundo integrado, tecnológico e altamente evolutivo que vivemos em pleno século 21. Além disso, Hathaway dá vida a uma personagem forte, determinada e empolgante, mas que também erra, é sensível e que não sabe lidar com pressão. Qualquer empatia com as personagens, não é mera coincidência.

O elenco é formado por atores de diversas gerações. Rene Russo (O Abutre), Anders Holms (Workhalics), Andrew Rannells (Girls), Andam DeVine (A Escolha Perfeita 2), Celia Weston (Sem Reservas), Nat Wolff (A Culpa é das Estrelas), Linda Lavin (Viajar é Preciso), Zack Pearlman (The Intebetweeners) , o novato Jason Orley e Christina Scherer (Living with Uncle Charlie), complementam os núcleos de personagens. Dirigido por Nancy Meyers (Simplesmente Complicado, Alguém tem que Ceder, A Recruta Benjamin) oferece um longa bem enquadrado, com uma boa fotografia e uma edição final sem delongas e enrolações.

Produzido pela Waverly Films e  Nancy Meyers Film, Um Senhor Estagiário é distribuído pela Warner Bros. Pictures. Vale a pena conferir no cinema? Com toda certeza!

Küsses,

Comente via Facebook!
Tatá Snow

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
Criticas

Ver também