[CRÍTICA] Unidade Básica – nova série médica do Canal Universal

Produção nacional estreia dia 11 de setembro no Canal Universal, saiba tudo sobre a série Unidade Básica Não é de hoje que as séries médicas são sucessos absolutos. ER (1994...

Produção nacional estreia dia 11 de setembro no Canal Universal, saiba tudo sobre a série Unidade Básica

Não é de hoje que as séries médicas são sucessos absolutos. ER (1994 – 2009), Grey’s Anatomy (2005 – hoje), House (2004 – 2012), Private Practice (2007 – 2013), Chicago Hope (1994 – 2000), Dr. 90210 (2004 – 2008) entre outras, até o Brasil já explorou essa temática com produções nacionais como Mulher, exibida pela Globo de 1998 a 1999, e a Médicos do GNT que está em sua segunda temporada e que se passa dentro do Hospital Israelita Albert Einstein, um dos mais importantes do país. Agora chegou a vez dos postos de saúde serem palcos de uma trama recheada de drama e decisões difíceis dos profissionais. Em Unidade Básica acompanhamos o dia a dia dos médicos, enfermeiros e dos agentes comunitários que cuidam da saúde de centenas de pessoas de uma comunidade da periferia de São Paulo, capital. O destaque aqui é a medicina que se importa com a vida pessoal do paciente: esse é o foco da trama.

Estrelada por Caco Ciocler e Ana Petta, esta é a primeira série de ficção original do Canal Universal e estreia dia 11 de setembro às 22h. O elenco ainda conta com Carlota Joaquina, Vinicius Oliveira, Bianca Müller e Ivo Müller. Ciocler interpreta Dr. Paulo, um médico muito experiente que já trabalha na Unidade Básica há mais de 10 anos e a trama inicia com a chegada de Laura, uma nova médica, interpretada por Petta.

A Freakpop pode conferir os dois primeiros episódios desta produção assinada pela Gullane. Na noite de estreia, a audiência do Canal Universal assistirá estas duas primeiras partes na sequência. No primeiro episódio, Laura chega na UBS, participa de sua primeira reunião e se envolve com o caso de uma senhora que está com a diabetes elevada. Entre algumas revelações da personalidade do solteirão Dr. Paulo, o regulamento de solicitações de exames e a conduta dos médicos com a família, o piloto “Vera” oferta uma boa dose de drama, realismo, mas ainda assim tem seus deslizes com peculiaridades do sistema público de saúde que na ficção ganharam ajustes.

Já no segundo episódio, chamado “Juliano”, um paciente portador do vírus HIV engravida a sua esposa. Irresponsável e ao mesmo tempo frequentador de uma igreja evangélica, religião e medicina se encontram em uma problematização crível. Se o culto não curou Juliano, como que os médicos da UBS vão lidar com a família, o paciente e o pastor? Um episódio que arrisca e ousa ao expor a fé e a ciência na mesma tela, com uma resolução um pouco desconfortável para um público específico.

É impossível avaliarmos Unidade Básica em sua totalidade sem assistir a temporada completa – que será composta por 8 episódios de 30 minutos cada -, mas ficamos com um “gostinho de quero mais” para saber a história de Laura e como ela foi parar nesta UBS, compreender alguns comportamentos mais agressivos de Dr. Paulo, o porque do jeitinho mimado de Samara – uma estudante que está prestes a se formar – e se deleitar com Beth (Carlota Joaquina) que é quem, de fato, manda na UBS e tem um certo zelo especial, quase maternal, com Paulo.

A produção, como um todo, tem grande potencial de ser renovada para uma segunda temporada. O formato “um caso por episódio” é bastante atraente e os conflitos entre o corpo de trabalhadores da UBS não se distancia do que já assistimos em ER ou Grey’s Anatomy: a audiência gosta de um drama quando o assunto é medicina.

O que Unidade Básica tem que diferente das demais produções do gênero? Talvez meio novelístico demais em alguns momentos e menos médico quando precisa. O equilíbrio entre a medicina aplicada dentro da UBS e a medicina aplicada dentro da casa dos pacientes talvez sejam os elementos mais interessantes, porém, com meia hora de episódio fica difícil aprofundar os pontos mais atraentes.

Vale a pena? Sem dúvida! Recomendamos Unidade Básica com o seu programa especial neste próximo domingo e não esqueça de dividir sua opinião com a gente aqui no site ou lá no Facebook.

Küsses,

Comente via Facebook!
Tatá Snow

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
Críticas

Ver também