Confira nossa crítica de Watchmen episódio 3 que introduz Laurie Blake à trama e explora um pouco mais o universo da HQ em 2019. Um bom roteiro aqui!

CRÍTICA | Watchmen – Temporada 01 – Episódio 03 – A filha do Comediante entra em cena

Confira nossa crítica de Watchmen episódio 3 que introduz Laurie Blake à trama e explora um pouco mais o universo da HQ em 2019. Um bom roteiro aqui!...

Watchmen – T01E03 – “She Was Killed by Space Junk”

O terceiro episódio de Watchmen foi o primeiro, até agora, a ser protagonizado por uma personagem da graphic novel. Aqui acompanhamos o que Laurie Blake (anteriormente Juspeczyk) decidiu se tornar em 2019. Para quem não acompanhou a HQ, um resumo rápido para explicar melhor a personagem:

Laurie Juspeczyk é a Espectral, foi uma super heroína que herdou o manto de sua mãe, Sally Jupiter. Sua mãe foi uma das super heroínas originais e uma figura pública bastante sexualizada. A trama da HQ começa com Laurie em um relacionamento amoroso com o Dr. Manhattan, mas ao longo da história ela se separa dele e começa um relacionamento com Dan Dreiberg, o Coruja.

No clímax da história, ela é teletransportada para Marte para convencer o Dr. Manhattan a ajudar a impedir que o planeta Terra se destrua em guerra nuclear. Neste momento ela aprende que é fruto de um estupro e seu pai é Edward Blake, o Comediante.

Na série

Em 2019, ela assumiu o sobrenome do seu pai e trabalha como agente do FBI. Se antigamente ela era relutante com o papel de heroína, agora parece ser bastante confortável como uma brutal agente do governo, muito semelhante aos trabalhos clandestinos do Comediante na década de 70. Ela parece ser especializada em capturar vigilantes que violam a lei anti-máscara. Sua nova missão envolve ir até Tulsa tentar desvendar a morte de Judd.

Rapidamente começa a perceber que a truculência da polícia da cidade para lidar com a Sétima Kavalaria tem arrumado mais problemas que solução e também nota que Angela está escondendo algo sobre a investigação do homicídio.

A trama do episódio avança pouco, mas é o tipo de episódio que se torna brilhante pela edição e direção. O episódio é dividido em pequenos capítulos, separados por uma piada contada por Laurie em uma estação de comunicação que envia ligações para Marte, a residência do Dr. Manhattan.

Ela conta uma piada onde três super heróis conversam com Deus, cada um reflete um personagem diferente de Watchmen. O Coruja com sua inventidade, Ozymandias com sua genialidade, e Dr. Manhattan com seu poder. O desfecho da piada envolve ela, sempre negligenciada pelos homens do grupo, como a única que sobreviveu à loucura dos anos 80. Claramente ainda sustentando um lado traumatizado e sombrio.

O que será que aconteceu com Dan Dreiberg? Claramente ele teve uma presença significativa neste mundo, muito de sua tecnologia é usado pela polícia, mas e seu relacionamento com Laurie?

Enquanto isso

Entendemos um pouco melhor a rotina excêntrica de Adrian Veidt, neste episódio finalmente confirmado oficialmente como tal. Ele é mantido confinado em um perímetro onde é vigiado por um vigilante chamado Gamekeeper. Não sabemos ainda se ele é parte de alguma agência governamental ou se é apenas mais uma invenção maluca do ex-super herói. O que sabemos é que ele controla até onde Veidt pode andar pela propriedade enquanto realiza seus experimentos sádicos.

Veremos como o antagonista de Watchmen vai se configurar nessa trama.

Até a próxima!

Comente via Facebook!
Nota:
8.8
Nota:
O bom
  • Ela mantém uma coruja de estimação. Meio na cara né?
  • Quem diria que a série ousaria em colocar a fantasia do Ozymandias em toda sua gloriosa estética anos 80?
O ruim
  • A trama poderia avançar um pouco mais.
  • Direção
    10
  • Enredo
    8
  • Elenco
    8
  • Roteiro
    9
Categorias
CríticasSéries

Ver também