Seis Super-Heroínas que Merecem seus Próprios Filmes

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulhere, pensamos em filmes de super-heroínas que gostaríamos de ver! Com movimentos como o #TimesUp, tudo indica que finalmente a voz das mulheres...
Seis Super-Heroinas que merecem seus próprios filmes

Em homenagem ao Dia Internacional da Mulhere,
pensamos em filmes de super-heroínas que gostaríamos de ver!

Com movimentos como o #TimesUp, tudo indica que finalmente a voz das mulheres no mercado de entretenimento será ouvido. Além disso, sucessos recentes como Mulher-Maravilha e Pantera Negra mostram que não só existe uma procura gigante por diversidade, como filmes que retratam diferentes tipos de pessoas podem ajudar a revitalizar o cinema e afastar aquelas discussões sobre o gênero de super-heróis estar cansando.

Capitã Marvel e Mulher-Maravilha 2 vem aí e recentemente a Marvel começou a avaliar a possibilidade de desenvolver um filme protagonizado pela Viúva Negra. Em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, vamos imaginar algumas ideias para filmes protagonizados por super-heroínas.

6. Gwenpool

Seis Super-Heroinas que merecem seus próprios filmes

Quem é: fruto te um momento na história da Marvel onde Gwen Stacy e Deadpool estavam em alta e diversas versões do personagem estavam brotando nos quadrinhos. Gwendolyn “Gwen” Poole pouco tem a ver com suas inspirações originais. Ela na verdade é uma garota que veio de um mundo paralelo onde o universo Marvel existe apenas nos quadrinhos (seria este… *gasp* o NOSSO UNIVERSO?!) e agora existe na Terra 616 (o universo da turma do Stan Lee). Apesar de não ter super poderes, nossa heroína super geek tem um conhecimento enciclopédico dos heróis e vilões ao seu redor e usa isso para sua vantagem.

Como seria o filme: Imagine uma mistura de A Mentira (2010) com Deadpool. Uma garota super esperta que surge no absurdo mundo de super-heróis e vilões e usa seu sarcasmo e conhecimento de todos os clichês imagináveis de quadrinhos para se tornar uma heroína. Coloque um vilão C (tipo o Batroc que já apareceu em Soldado Invernal) como seu relutante parceiro e crie uma “comédia-ação” bizarra, porém divertidíssima.

Direção: Phil Lord e Christopher Miller. Ambos são experts em criar comédia e oferecer metacomentário sobre a premissa do próprio filme. Veja exemplos como Anjos da Lei e Uma Aventura Lego. Eles seriam perfeitos para criar uma comédia que também analisasse e tirasse sarro dos elementos mais batidos do Universo Cinematográfico Marvel.

Atriz: Ariel Winter, a Alex do Modern Family, que já é veterana em interpretar a geek que sabe mais que todo mundo na sala e não tem medo de mostrar isso com sarcasmo e acidez.

5. Mulher-Hulk

Seis Super-Heroinas que merecem seus próprios filmes

Quem é: A prima do Bruce Banner que após um acidente ganha uma transfusão de sangue dele e termina recebendo poderes Gama se tornando a superforte Mulher-Hulk. Ao contrário do Hulk que se torna uma fera descontrolada, a Mulher-Hulk tem total controle de suas faculdades mentais e até mesmo continua atuando como advogada enquanto gigante e verde.

Como seria o filme: Se Superman em filme funciona como uma mistura entre metacomentário sobre a origem da figura do super-herói e alegoria à figura messiânica, a Mulher-Hulk é perfeita para abordar as diferentes facetas da mulher e os desafios que ela enfrenta na sociedade contemporânea. Enquanto Jennifer Walters, a personagem é tímida e assustada, quando ela aciona seus poderes de Mulher-Hulk, ela se torna indestrutível e superforte, porém sacrifica parte de sua identidade. Qual será a verdadeira mulher por trás da heroína? Existe também um contraste fascinante entre o Hulk masculino que cede totalmente à raiva e a Hulk feminina que consegue canalizar seu lado emocional para se tornar uma heroína mais efetiva. Tudo isso é claro, com cenas de ação de tirar o fôlego.

Direção: Patty Jenkins com Mulher-Maravilha criou uma história que celebra a feminilidade de sua protagonista e simultaneamente retrata a personagem como uma força da natureza em combate. A Mulher-Hulk seria uma personagem perfeita para ligar esta fórmula no 220.

Atriz: Anna Kendrick, ela tem a versatilidade necessária para alternar entre tímida e furiosa. Claro que precisaria de um belo CGI para transforma-la na gigantesca Mulher Hulk, afinal, ela é bem baixinha!

4. Aves de Rapina

Seis Super-Heroinas que merecem seus próprios filmes

Quem são: Por um tempo nos quadrinhos, Barbara Gordon deixou de ser a Batgirl após um confronto com o Coringa que a deixou numa cadeira de rodas. Sob a identidade de Oráculo, “Babs” se tornou a maior hacker do Universo DC e coordenou uma equipe de heroínas sob o comando da Canário Negro em campo. O time teve diversas super-heroínas como Caçadora, Gelo, Mulher-Gavião entre outras.

Como seria o filme: Imagine um As Panteras. Um time de super-heroínas agentes comandadas pela misteriosa Oráculo e enfrentando diversas ameaças no DCEU. Se existe uma coisa que Guardiões da Galáxia e Vingadores mostrou é que em qualquer filme com grupos de super-heróis o que cativa o público é o conflito entre os personagens e sua evolução como time. Imagine um time onde diferentes heroínas com passados e identidades distintas foram recrutadas e precisam aprender a trabalhar juntas para vencer o antagonista. Algo como A Escolha Perfeita, só que com socos no lugar de a cappella.

Direção: Susanne Bier. Ela dirigiu seis episódios de The Night Manager e mostrou que sabe coordenar um elenco de grande escala e pode muito bem brincar com a mistura de As Panteras + Velozes e Furiosos + A Escolha Perfeita que o filme precisa.

Atrizes: Existem dúzias de heroínas que entraram no time, mas vou listar aqui o elenco que gostaria de ver no filme: Batgirl (Cassandra Cain) como a nova geração da identidade, um contraste da personalidade de Barbara, já que Cassie é consideravelmente mais violenta, Canário Negro como líder de campo, a lutadora durona e veterana que bota as demais na linha, Caçadora como a heroína com um legado complicado (o pai dela é mafioso) e traz uma boa dose de sarcasmo, Lady Falcão Negro (Zinda Blake), uma ex-piloto da segunda guerra imortal que transporta o time e aguenta adora uma bela briga de bar, Katana que entraria no grupo em busca de redenção e uma nova vida após Esquadrão Suicida e Vixen como a nova integrante e ponto de vista da audiência.

Para as atrizes: Julia Roberts como Barbara Gordon, Jessica Henwick como Cassandra Cain, Sharni Vinson como Canário Negro, Stephanie Beatriz como Caçadora, Robin Wright como Lady Falcão Negro*, Karen Fukuhara como Katana, Zöe Kravitz como Vixen.

*Sim, sabemos que a Robin Wright já está no Universo DC, mas considerando a bagunça que anda o DCEU, vai doer ela fazer um segundo papel?

É importante que o filme termine com a Canário Negro se afastando do filme porque…

3. Canário Negro

Seis Super-Heroinas que merecem seus próprios filmes

Quem é: Se você só conhece a personagem das séries do Arrowverso, você provavelmente não consegue imaginar porque ela mereceria um filme próprio. É triste que ela foi tão mal adaptada em diferentes projetos de televisão, porque Dinah Lance não só é uma das mais mortíferas artistas marciais da DC, a ponto de derrotar no mano a mano figurões como o Batman e Lady Shivah, mas ela comanda tanto respeito que chegou a liderar a Liga da Justiça.

O filme: Imagine uma versão feminina de O Grande Dragão Branco. Dinah precisa retornar ao local onde ela realizou seu treinamento de artes marciais para cumprir uma antiga promessa. A promessa consiste em participar de um torneio de artes marciais que reúne alguns dos mais perigosos lutadores da DC. Assim como John Wick ou filmes dos anos 80, a premissa serve apenas para fazer um sensacional filme de artes marciais com cenas de luta de tirar o fôlego e muita criatividade. Dá para aproveitar a deixa para colocar entre os combatentes algumas figuras mais obscuras da DC como a Lince, Richard Dragon e uma das “al Ghul”. É claro que o filme precisa ter o confronto final contra Lady Shivah, a rival da Canário e a mais perigosa lutadora do Universo DC.

A diretora: Lexi Alexander, ela dirigiu Justiceiro: Zona de Guerra um dos filmes de super-herói mais malucos e violentos já feitos. Ela anda afastada dos cinemas e trabalhando em TV, mas assim como Jenkins, está na hora de Lexi mostrar seu olhar único para ação em um filme como esse.

Atrizes: Sharni Vinson voltaria como Canário Negro e Michelle Yeoh como Lady Shiva, porque não existe nada mais badass do que Michelle Yeoh.

2. Mulher-Gato

Seis Super-Heroinas que merecem seus próprios filmes

Quem é: A as vezes vilã, as vezes anti-heroína, as vezes esposa do Batman. A ladra mais famosa da DC Comics já enfrentou todo tipo de desafio e sempre sai ganhando, geralmente com um artefato roubado embaixo do braço e um comentário ácido na língua.

O filme: A tentativa fracassou da última vez porque ninguém entendeu como a personagem funciona e assim como no filme do Tim Burton, insistem em agregar um elemento sobrenatural à Mulher-Gato. O que faz a Mulher-Gato funcionar é que ela sempre tem um ás na manga e sabe manipular todos ao seu redor. Imagine algo como Atômica, onde Lorraine manipula todos ao seu redor para conquistar seu objetivo final. Agora imagine isso em Gotham City, onde no lugar de espiões temos super vilões insanos, a polícia de Gordon e o próprio Homem-Morcego. O filme pode brincar com as expectativas da audiência e subverter o esperado, flertando com um breve romance entre Selina e Bruce, mas revelando que no final das contas, era apenas mais uma jogada da personagem para sair com o roubo de deixar todo mundo comendo pó.

Atrizes: Já que Pantera Negra tem feito tanto sucesso, que tal celebrar a atuação histórica de Eartha Kitt na série dos anos 60 do Batman e trazer uma Mulher-Gato negra*? Alguém que sabe ser imponente e transborda inteligência, como a Janelle Monáe?

*Sim, sabemos que a Halle Berry já interpretou a Mulher-Gato, mas pelo bem da humanidade, vamos fingir que isso nunca aconteceu…

1. X-23

Quem é: Nos quadrinhos ela é a atual Wolverine, você deve lembrar dela em Logan, o clone do personagem principal que é profundamente impactada pelo sacrifício do herói.

O filme: O filme deveria continuar a pegada de Western de Logan. X-23 agora um pouco mais velha, talvez no começo da vida adulta, começa a refletir o legado de seu “pai” e o que ela deveria fazer de diferente. Usando sua fúria e força para o bem e se tornando a protetora de um novo grupo de mutantes. Ela poderia se tornar a relutante líder de uma nova resistência mutante que precisa proteger o Eden onde os portadores do Gene X vivem. Algo meio Sete Samurais, mas sem o sacrifício no final, porque franquias dão dinheiro.

Diretor: James Mangold, afinal, ele já dirigiu Logan e para que vamos mexer com algo que funciona?

Atriz: Dafne Keen, ela ainda é um pouco jovem, mas podemos esperar.

Esperamos que tenham gostado da brincadeira e desejamos a todas vocês um belíssimo Dia Internacional da Mulhere.

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categories
FilmesListas

RELATED BY