Disney anuncia aquisição da 21st Century Fox por US$ 52,4 bilhões

Disney anuncia proposta para comprar a 21st Century Fox A Disney anunciou hoje que chegou em um acordo para a aquisição da 21st Century Fox por 52 bilhões de...
Disney anuncia compra da 21st Century Fox
Disney anuncia compra da 21st Century Fox

Disney anuncia proposta para comprar a 21st Century Fox

A Disney anunciou hoje que chegou em um acordo para a aquisição da 21st Century Fox por 52 bilhões de dólares. O acordo ainda está sujeito à aprovação pelo Departamento da Justiça dos EUA que recentemente moveu processo para bloquear a fusão entre AT&T e Time-Warner. Apesar de não estar finalizado, vamos dar uma olhada no que pode acontecer caso o acampamento do camundongo compre a firma do Rupert Murdoch.

Gigante do Streaming

A Disney anunciou que irá lançar ano que vem um serviço de streaming próprio para distribuir sua extensa biblioteca de filmes e séries de televisão no meio digital. O mercado de entretenimento está mudando rapidamente e distribuição tradicional gradualmente perde espaço. Muitos estúdios, inclusive a Fox, têm enfrentado dificuldades em se adaptar aos novos paradigmas do setor. Grandes empresas como Amazon, Netflix, Apple, Google e Facebook dominam a distribuição e empresas tradicionais de mídia são sujeitas a ceder em negociações.

Com uma plataforma de streaming própria com o gigantesco catálogo coletivo da Disney e da Fox, estaríamos diante do primeiro caso de uma empresa de mídia tradicional se estabelecendo por conta própria e enfrentando de cara a cara as novas distribuidoras digitais. A Disney anunciou duas plataformas próprias, a ESPN Plus, voltada para esportes que será lançada no começo de 2018 e uma segunda plataforma para distribuir conteúdo da Marvel, Lucasfilms, Pixar e Disney que será lançada no final do ano que vem. Vale lembrar que além dos serviços próprios, caso a aquisição seja aprovada, a Disney também será sócia majoritária do Hulu, um serviço de streaming com distribuição acionária entre a Disney, Warner, Fox e Comcast.

Televisão

A Disney já é detentora de canais como Disney Channel, Freeform e ABC que distribuem conteúdo produzido pela divisão televisiva do estúdio e subsidiários. Uma das propriedades na aquisição contempla toda a estrutura de estúdios de televisão da Fox e séries como Os Simpsons, Homeland, This is Us, Modern Family; além de todo o catálogo FX. Apesar de séries de sucesso, a produção de TV da Disney é relativamente pequena e recentemente sofreu uma grande perda quando, sua maior criadora de sucessos, Shonda Rhimes (Grey’s Anatomy, How to Get Away With Murder, Scandal), que teve todas as suas séries bancadas e distribuídas pela ABC, assinou um contrato de exclusividade com a Netflix. Com o catálogo da Fox, a casa do Mickey vai ter um dos mais extensos catálogos de séries.

A compra também vem com o canal National Geographic e FXX. O estúdio tem 22 emissoras regionais que distribuem esportes que deverão ser incorporadas na infraestrutura da ESPN tanto em mídia tradicional quanto streaming.

A Fox também detém controle sobre provedores de tv, Sky of Britain e Star of India, o que ajudará a consolidar retornos financeiros da Disney em mercados internacionais. Apesar de divisões altamente rentáveis, boa parte do retorno financeiro da Disney ainda se encontra nos EUA. Vale ressaltar que apesar da estratégia da companhia estar direcionada para investimentos agressivos no mercado digital e streaming, reter controle de empresas de serviço de emissora tradicionais é uma boa estratégia de diversificação e mitigação de riscos.

Reunião de família

Nos início dos anos 90, para evitar falência a Marvel distribuiu suas propriedades intelectuais entre diversos estúdios. Isto quer dizer que quando a Disney comprou a Casa das Ideias, ela só recebeu parte do catálogo de super heróis para adaptar para os cinemas. Alguns personagens que não foram utilizados eventualmente retornaram para o estúdio como o Demolidor, Justiceiro e Motoqueiro Fantasma, mas algumas das propriedades mais atraentes como Homem-Aranha, Quarteto Fantástico e X-Men permaneceram sob controle criativo da Sony Pictures e Fox.

Caso a compra da Fox passe, a Marvel Studios terá liberdade total para incorporar o Quarteto Fantástico e os X-Men no Universo Cinematográfico Marvel. Inclusive Kevin Feige já soltou alguns comentários sobre ter planos para os personagens.

Star Wars

A segunda grande aquisição da Disney após a Marvel foi a Lucasfilms que acompanhou o anúncio de um plano ambicioso de lançar um filme por ano da franquia. A única exceção é Star Wars: Episódio IV Uma Nova Esperança que a Fox co-financiou, produziu e distribuiu com um acordo de retenção dos direitos de distribuição em perpetuidade. A única forma da Disney ter controle total sob Star Wars, até para futuras estratégias de distribuição digital, seria adquirindo a Fox.

Filmes

É óbvio que um estúdio que existe desde 1935 irá ter um catálogo enorme. De clássicos como os primeiros filmes da Marilyn MonroeA Noviça Rebelde, até franquias gigantescas como Duro de Matar, Alien – O Oitavo Passageiro, Predador e Avatar. Apesar de algumas bilheterias monstruosas, a Fox simplesmente perdeu o fôlego nos últimos anos, e apesar de raros sucessos como Logan e Deadpool, boa parte do resultado nas bilheterias foi abaixo do esperado. O último filme do Wolverine foi um enorme sucesso de crítica e bilheteria, mas não ficou entre as 10 maiores bilheterias mundiais.

Especialistas apontam que a estrutura de produção cinematográfica da Fox, consideravelmente menor que a Disney, será convertida para produção de conteúdo longa metragem para plataformas de streaming, com as grandes produções e franquias com potencial incorporadas para produção pelos estúdios Disney.

O que não vai na compra

As emissoras Fox News, Canal Fox e FS1 Sports não farão parte do acordo. Rupert Murdoch, dono da Fox, anunciou que esta parte será repaginada e redefinida para refletir melhor mudanças no mercado de entretenimento e conteúdo.

E no fim

Ainda tem muito chão. Uma aquisição deste tamanho é gigantesca, muitas redundâncias operacionais surgirão e sempre existe a chance de inúmeras franquias queridas simplesmente não virem mais a luz do dia por não trazerem retorno financeiro desejado. Sempre existe a chance de alguns projetos mais ousados serem enterrados pela demanda de distribuição colossal da Disney (vide o caso de filmes menores e criativos como Deadpool e Logan, e tentem imaginar isso sob controle de Kevin Feige).

A lição principal aqui é entender que apesar do avanço de empresas como Netflix e Amazon, e a cantoria sobre o “velho” estar morrendo, vale lembrar que é um setor com muita grana, e muita experiência e é de se esperar que os “dinossauros” não iam ficar à mercê dos tubarões mais novos no mar.

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
FilmesNotíciasNotíciasSéries

Ver também