Divergente

Ficção pós-guerra estreia no Brasil e fomos conferir a qualidade do filme dirigido por Neil Burger (O Ilusionista). Para quem não conhece a história, a trama gira em torno de...

Ficção pós-guerra estreia no Brasil e fomos conferir a qualidade do filme dirigido por Neil Burger (O Ilusionista).

Para quem não conhece a história, a trama gira em torno de uma Chicago pós-guerra, semidestruída e bem mal das pernas. Para conter os instintos, digamos, animalescos da humanidade e prevenir novas guerras, cinco sociedades foram formadas, todas com objetivos específicos. Enquadre-se em uma dessas facções, viva de acordo com seus conceitos e fique vivo. Não encaixar-se significa desastre. E no caso da protagonista, Beatrice “Tris” Prior, pode significar morte.

Shailene Woodley interpreta Tris, uma adolescente da Abnegação,  umas das 5 facções de Chicago. Tris sente que não se encaixa em sua facção de nascença, mas sente que deve ser leal aos pais e permanecer na Abnegação. Sempre com os olhos baixos, cabelos amarrados, vestes cinza, repudiando a vaidade e suas próprias necessidades. A Abnegação é a responsável por administrar as demais facções, ajudam os sem-facções (pessoas que não foram aceitasnão se encaixam em nenhuma facção), os mendigos da cidade futurística. Ao completar 16 anos, a então Beatrice precisa escolher qual será seu rumo em sua vida adulta – quase que como um ritual de passagem. E descobre que ela não pertence a apenas uma facção.

Quando Shailene ganhou o papel foi muito criticada, por ser bem diferente da personagem do livro. Mas a atriz deu conta do recado e interpretou uma Tris bem conflituosa e até mesmo sem sal, como a própria personagem é, já que ela é bem inocente, nunca teve muitas emoções na vida, não sabe lidar com atração, necessidade de sobrevivência e por aí vai.

Quatro, interpretado por Theo James, foi o que mais se distanciou do personagem, já que o ator é bem mais velho do que o Quatro do livro e mostra isso. Com um número limitado de expressões, Theo deu uma vertente bem canastra para Quatro, mas dou um desconto por ele ser tão lindo de se olhar!

A vilã, Janine Mathews, ficou perfeita na pele da veterana Kate Winslet. Junto ao time de vilões está o filho do Bruce Willis no último Duro de Matar, Jai Courtney, que poderia ser bem mais explorado no papel. Eric é um personagem mais complexo do que apresenta o filme. Entendemos que uma edição é necessária, que nem tudo pode ser mantido igual, mas algumas sutilezas da personalidade de Eric poderiam ser mantidas sem dados maiores. Peter, um candidato da Audácia, realmente escroto, competitivo e um merda ficou por conta de Miles Telles. Se não se lembra dele, aqui vai: melhor amigo do novo Kevin Bacon do remake de Footloose. Esperei o caipira dançarino em todas as cenas de Teller (veneno escorrendo).

Tris não se encaixa em apenas uma facção: tem potencial para a Abnegação, Erudição e Audácia. Claro que ela escolheu a que mais se distanciava do que ela conhecia, com novos desafios e novas experiências. Na Audácia ela aprende a se defender, entende sua coragem e mostra uma grande capacidade para o desastre, e descobre que a Erudição quer derrubar a Abnegação, tomar conta da sociedade e instaurar uma ditadura mais dura do que o sistema de facções já é. E para isso, precisa eliminar os Divergentes, pessoas que não conseguem ser controladas pelo sistema, tem domínio sobre a própria mente e são independentes. Não precisam de uma facção para sobreviver: possuem várias qualidades e capacidades. Todos os divergentes são mortos, sem dó e nem piedade.

Cenas regulares de luta, edição regular, Shailene muito bem no filme, Theo posando lindo e Kate divando de azul sempre. Ashley Judd é a mãe de Tris, quase não aparece, mas quando faz presença mostra ao que veio, apesar de suas cenas serem meio jogadas no ar.

Boa notícia? Apesar de várias semelhanças com Jogos Vorazes, como apontamos na resenha do livro, o filme conseguiu se distanciar da outra franquia, com uma profundidade diferente, conflitos diferentes e, principalmente, mocinhas diferentes. Se fosse dar uma nota para Divergente, em seu cenário de filme tranquilo, para passar o tempo, daria um 7,5.

Até a próxima,

Comente via Facebook!
Categorias
Criticas

Ver também