ENTREVISTA | Diretores de O Negócio revelam detalhes da última temporada

O Negócio, da HBO, chega em sua quarta e última temporada. Confira a nossa entrevista com Gabriel Godoy e os diretores Michel Tikhomiroff e Júlia Jordão

O Negócio, produção nacional da HBO chega em sua quarta e última temporada

Entrevistamos o ator Gabriel Godoy (Oscar) e os diretores Michel Tikhomiroff‎ e Júlia Jordão da aclamada série da HBO, O Negócio. Na época, havíamos assistido apenas ao primeiro episódio e resolvemos esperar para que, o que foi revelado, fizesse mais sentido para os fãs que já conseguiram assistir sete episódios na HBO, dos 12 que encerrarão a jornada da Oceano Azul nas mãos da Karin (Rafaela Mandelli), Luna (Juliana Schalch), Magali (Michelle Batista) e Mia (Aline Jones).

Um resumão até o sétimo episódio de O Negócio

Até agora a quarta temporada caminhou para uma jornada totalmente inesperada. No final da terceira temporada, Karin resolveu escrever um livro sobre a sua vida. Logo, a prostituição ganhou um novo holofote. Já que dentro da carreira, a Oceano Azul foi criada como palco de uma profissão de luxo que atraiu, inclusive, diversos investidores de ramos distintos.

Com o sucesso da profissão, vieram os problemas pessoais. Karin foi julgada por ser garota de programa e esse gatilho a encorajou de debater a temática de forma mais aberta. Agora na última temporada, os fãs assistem o drama que isso virou.

Karin está na prisão e seus fiéis escudeiros não querem mais ajudar ela. O que virou uma briga a partir de um único dilema moral, se transformou em uma guerra com múltiplas frentes. O mercado se voltou contra a forma de Karin enxergar e expor a profissão, e ela caiu num golpe organizado por figuras conservadoras.

Michel Tikhomiroff‎ e Júlia Jordão comentam se era esse o futuro que eles planejaram

Michel comentou sobre o momento certo de tirar as personagens do “obscuro”. Elas ainda eram anônimas, de um ponto de vista pessoal e familiar. Logo no começo da quarta temporada, com a publicação do livro da Karin, as quatro protagonistas tiveram que contar para suas famílias sobre suas verdadeiras profissões. Este gancho, segundo o diretor, era promissor de um ponto de vista dos roteiristas, mas com o sucesso da série, conseguiram segurar para o momento certo. Enquanto isso, exploraram ao longos das três temporadas o sucesso da aplicação do marketing no mercado de luxo e alguns tropeços das vidas pessoais das protagonistas.

“A série se chama O Negócio, então o marketing é um dos aspectos e depois elas começam e a entrar em realmente estratégias e business. Então começam como empresárias de fato. Então, o primeiro passo a foi a coisa do marketing (…) e replicar isso no sexo pago. Mas é uma coisa que se esgota e tinha que evoluir.”.

E a comédia em O Negócio?

Ao serem questionados sobre um lado mais cômico apresentado no primeiro episódio da quarta temporada, Michel comentou que eles sempre tentam equilibrar os gêneros, mas que a comédia e o drama são mais aparentes. Ele apontou que a Karin carrega mais o drama, enquanto o Ariel carrega a comédia.

“Agora a comédia tá mais sublinhada e o drama, quando chegar, vocês vão tramas fortes.”

Com isso em mente, realmente entendemos o que o diretor quis dizer sem entrar em muitos detalhes. Apesar de um primeiro episódio mais engraçado, com situações atípicas, ao decorrer dos episódios, o drama foi tomando conta do clima da série. Agora no sétimo episódio, não há espaço para piadas. As questões moralistas estão em alta, temos uma ameaça eminente poderosa, advogados tentando salvar a Karin de novas humilhações e uma tensão no clima bastante tangível.

Apesar do enredo principal ser pesado, ainda nos divertimos com a comunidade de poliamor, um Ariel aparentemente apaixonado e um Yuri desesperado por tentar, novamente, ser um diretor de filme pornô famoso. O Negócio, em sua última fase, está mais estruturada, com clima de novelão pra apaziguar o drama central, porém recheada de elementos não explorados em outras produções como poliamor, transexualismo e prostituição na meia idade (um flerte ainda).

Oscar vai ter um arco dramático? 

Quando questionado sobre a vida pessoal do Oscar, Gabriel Godoy falou: “Continua assistindo a série.”. Com isso em mente, super entendemos. Nesta primeira metade da última temporada, a mãe de Oscar chega no Brasil como homem. Ele passou por todo o processo clinico de mudança de sexo e a aceitação de Oscar é bastante plausível.

O super trapaceiro e ingênuo Oscar ganha um momento só pra ele, com uma “nova mãe” em mãos e toda uma nova forma de enxergar esse universo. Surge um elemento interessante nos argumentos de sua mãe: o fato de Oscar ser noivo de uma garota de programa, trazendo mais uma discussão sobre preconceito para a série. Ponto positivo!

Como foi a evolução dos personagens desde o primeiro ano da série até agora? 

Michel Tikhomiroff‎ : “As características básicas das personagens é a espinha dorsal pra onde a gente vai evoluindo cada uma delas (…) e a aí a gente vai se aprofundando nisso. A Karin é visionária, ela tem esse lado cerebral e é fechada pra relacionamentos. Isso é de séries, os personagens tem algum defeito, alguma questão que eles ficam tentando eternamente resolver e nunca de fato resolve (fica no vai e volta) esse conflito eterno é o que mantém a chama dos personagens e da história viva. É o que dá munição para os roteiristas de ficar criando histórias atrás de histórias. (…) a gente não traiu a essência dos personagens, a gente realmente só ficou explorando a essência dos personagens de maneira honesta.” 

Júlia Jordão: “É muito humano. Se você parar pra pensar como você cinco atrás pra cá, você não deve ter mudado muito. Mudou, amadureceu, mas não muito. E o eu acho legal dos personagens é que eles tem isso também. A Luna tem essa coisa da mentira e cada temporada era sobre um lado do prisma da mentira. Qual é a verdadeira Luna? E na verdade são todas. E nesta temporada ela tem essa coisa de contar para os pais. É uma bomba-relógio. (…)”.

Até o momento não conseguimos saber como será o final desta trama, mas acompanhem aqui na Freakpop pois ainda traremos a entrevista com as quatro protagonistas e uma crítica final da quarta e última temporada de O Negócio. Deixem nos comentários o que vocês estão achando.

Küsses,

Categorias
EntrevistasSéries

"Crítica" de cinema - prefiro 'analista de entretenimento', fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah...#TeamCap

Relacionados