Fran Drecsher Hotel Transylvania 3

ENTREVISTA | Fran Drescher comenta dublagem em Hotel Transilvânia 3

Hotel Transilvânia 3 chegou nas lojas em DVD e Blu-ray!

Um papo descontraído com Fran Drescher, que já esteve na comédia The Nanny, saiu da TV para cuidar da saúde e hoje é a mulher do Frankenstein da franquia animada Hotel Transilvânia

Não, Fran Drescher não tem a voz anasalada que Fran Fine, personagem central da comédia The Nanny. Pelo contrário, ela fala com clareza sobre Hotel Transilvânia 3, onde interpreta novamente Eunice, a ex-noiva do monstro criado pelo Dr. Victor Frankenstein, hoje esposa fiel e batalhadora. Antes dessa personagem, Dresher já esteve num especial animado do seriado The Nanny e num episódio dos Os Simpsons.

Nesta entrevista, realizada para o lançamento pela Sony, de Hotel Transilvânia 3, em DVD e BD, Fran conta sobre o filme, sobre trabalhar com Genndy Tartakovsky, seu ativismo à frente de uma fundação contra o câncer, e sua vida após 18 anos de ter combatido a doença.

Paulo Gustavo Pereira: É uma honra falar com você hoje…

Fran Drescher: Obrigada, obrigada. Onde você está?

PG: São Paulo, Brasil.

FD:Que incrível. Eu tenho uma peça de arte feita por irmãos brasileiros que são muito populares em São Paulo. Os gêmeos.

PG: Ah sim, eu conheço eles.

FD: Ah conhece? Eu tenho uma das pinturas deles.

PG: Que legal, não sabia. Eu conheço você obviamente, por causa de The Nanny. The Nanny ainda está passando no Comedy Central…

FD: Sim, está em todos os lugares!

PG: E na semana passada eu te vi em Esse é o Spinal Tap…

FD: Que ótimo! É outro clássico.

PG: E claro, nos Os Embalos de Sábado à Noite também.

FD: Sim, outro clássico. Eu tive muita sorte. E agora eles estão usando minha voz novamente em Hotel Transilvânia, que acabou sendo uma ótima franquia para a família. Pessoas no mundo inteiro parecem gostar.

PG: E você gostou de fazer a voz da Eunice em Hotel Transilvânia?

FD: Sim, é maravilhoso. Adoro fazer parte de uma coisa que é tão voltada para a família, que tem uma ótima mensagem sobre tolerância e em não se deixar abater pelo medo. Eu gosto disso tudo e acho que é verdadeiramente engraçado. Temos ótimos talentos envolvidos, uma ótima companhia, a Sony, que a mesma que fez The Nanny. Gosto de trabalhar com eles também.

PG: Mas fazer esse tipo de trabalho é bem diferente de fazer The Nanny ou Happily Divorced? (série exibida pelo TBS)

FD: Sim. Quer dizer, é tudo basicamente atuação, mas é diferente poque tenho um cronograma diferente, é mais fácil, você pode ler suas falas e não precisa decorar nada. Às vezes,  você pode ir mais casual quando vai gravar. É diferente, mas tudo é atuação. E é tudo divertido e é outro lado do show business. Aqui eu atuo, escrevo, faço direção, produzo… No final, tudo criação.

PG: Você é uma pessoa muito talentosa.

FD: Obrigada.

PG: E fazer desenho animado não totalmente novo pra você. Em The Nanny teve um episódio em desenho animado…

FD: Ah sim, é verdade. Era uma história de natal e fizemos como um episódio especial. E os créditos de abertura também eram animados.

PG: Sim, muito boa a abertura. E você fez uma pequena participação em um episódio dos Os Simpsons.

FD: Sim, isso é verdade.

PG: O que você pensa desse tipo de animação como Hotel Transilvânia 3 para família?

FD: Eu acho que se for bem escrita, pode ser um bom entretenimento para pessoas de todas as idades. Acho que o ponto que Hotel Transilvânia toca, consegue entreter tanto crianças quanto adultos. Acho que a equipe que escreve e atua é mais conhecida pelos pais, pelos adultos da audiência do que pelas crianças. Ele tem um equilíbrio maravilhoso para ter apelo à audiências de todas as idades. Como The Nanny.

PG: E como foi trabalhar com Genndy Tartakovsky novamente?

Foto: Divulgação

FD: Ele é uma pessoa muito querida, sabe exatamente o que quer. Antes de trabalhar no primeiro filme, em 2012, conhecia seus trabalhos como o Laboratório de Dexter e Samurai Jack. Sabia que o resultado final seria fantástico. E olha o que aconteceu. Hotel Transilvânia virou uma franquia de sucesso.

PG: Sim, claro. Eu ouvi ou li em algum lugar que existe uma ideia de trazer The Nanny para a audiência de hoje

FD: Olha, estamos todos abertos à essa ideia, mas sinceramente nenhum canal veio nos procurar para fazermos isso. Então não sei. Nós estamos abertos à ideia, então quem sabe nos próximos anos se torne realidade.

PG: Quais são seus planos? Alguma outra animação?

FD: Eu estou bem ocupada com a organização que fundei chamada Cancer Schmancer. É mais um movimento, na verdade. E estamos tentando mudar o jeito como olhamos para nossas vidas e como isso impacta o que sentimos. E entender que quase todas as reclamações físicas que temos estão diretamente ligadas às escolhas que fazemos. Então esse é o intuito da nossa organização. E estamos com um programa bem progressivo para focar em adolescentes, com um video educacional comigo e Jamie Foxx e um monte de crianças, ensinando a elas que precisam se preocupar mais com o que compram e comem, o jeito que brincam. O que os pais trazem para dentro de casa.

PG: É um trabalho difícil de se fazer.

FD: Sim, é. É um trabalho difícil, mas muito gratificante. The Nanny me pôs nos refletores, fiquei famosa, tive câncer e sobrevivi para falar sobre isso. Sinto que as vezes algumas coisas acontecem comigo pq eu não vou simplesmente sentar e esperar passar. Eu vou desafiar, vou questionar e vou me mover em direção à uma nova luz. Como uma visionária, vejo muitas oportunidades de mudança, e acho que a forma como a maioria das pessoas vive hoje é totalmente insustentável. Razão pela qual estamos ficando tão doentes. E nos negócios de saúde, onde ficar doente é muito lucrativo não há incentivo para falar para as pessoas “pare de comer isso, pare de comprar aquilo. não viva desse jeito que você não ficará doente”.

PG: Incrível!

FD: Eles preferem te prescrever um remédio e ganhar dinheiro. Enquanto eles enriquecem, sua saúde fica mais pobre. A fundação Cancer Schmancer é sobre isso. Estou trabalhando em vários projetos, ainda sendo desenvolvidos para televisão. Filmei dois filmes no último ano, mas que não sei quando serão lançados, mas serão lançados em algum momento.

PG: É tudo um mistério.

FD: É, essa é a natureza do show business. Você nunca sabe.

É uma coisa muito interessante por que aqui no Brasil ainda lançamos filmes como o seu em DVD ou Blu-ray, mas eu não acho que esse seja o futuro. É muito legal que Hotel Transilvânia 3 seja lançado em DVD aqui no Brasil, e, claro, sua incrível participação no filme.

FD: Ahh obrigada.

PG: Espero que seus projetos continuem indo bem, principalmente a luta contra o câncer …

FD: Obrigada! Estou bem tem 18 anos e dando continuidade à nossa aula anual da Fundação. É um evento do dia inteiro aqui em Los Angeles, e se as pessoas compram um ingresso no site da  Cancer Schmancer eles podem me conhecer, conhecer os médicos. Tem lanches especiais e é uma incrível experiência que com sorte mudará suas vidas. Mas, se eles não puderem estar em LA, podem assistir ao vivo por streaming enquanto estiver acontecendo.


Agradecemos a SONY pela oportunidade de bater um papo com a atriz. E lembre-se: Hotel Transilvânia 3 já está disponível em DVD e Blu-Ray em todas as lojas do país!

Comente via Facebook!

Autor de dois livros, um sobre Série e outro sobre Desenhos Animados, Paulo Gustavo Pereira é jornalista há 34 anos, tem uma vasta experiência em reportagens, é editor-chefe do site BesTV e fã de carteirinha de Jornada nas Estrelas. Aqui na Freakpop, Gus – para os mais íntimos – dará muitas dicas bacanas sobre séries.

Categorias
EntrevistasFilmes

Ver também