entrevista com Orla Brady sobre sua personagem Lydia em Into the Badlands e o que esperar da terceira temporada da série da AMC

ENTREVISTA | Orla Brady fala sobre Into the Badlands

Orla Brady, a Lydia de Into the Badlands, fala um pouco sobre sua personagem, a série e o que esperar da terceira temporada Para a atriz irlandesa Orla Brady,...

Orla Brady, a Lydia de Into the Badlands, fala um pouco sobre sua personagem, a série e o que esperar da terceira temporada

Para a atriz irlandesa Orla Brady, não importa o desafio, atuar é sua paixão, assim como animais e moda. Aos 57 anos, fez sua carreira nos dois lados do Atlântico, ora trabalhando em produções americanas como Fringe e Revelations, ora trabalhando em séries como Simbad e Dr. Who.

Aliás, sua mãe é fanática pela série do Senhor do Tempo e quase se derreteu quando a filha a levou para o set de filmagem de um dos episódios da série. Curiosamente, em Into the Badlands, que o canal AMC exibe, ela teve que deixar de lado a atuação para pegar firme no treinamento físico que era necessário para interpretar Lydia, uma verdadeira guerreira.

Foi durante um intervalo das filmagens dos últimos episódios da terceira temporada de Into the Badlands, que ela conversou com a Freakpop sobre Lydia e a série da AMC:

Into the Badlands é uma série com bastante ação e artes marciais, um estilo raro para séries norte-americanas. Como você se preparou para o papel?

Desde a primeira temporada nós fazemos um treinamento físico intenso antes de começarmos a gravar. Não era fácil por que nunca teve um papel que me exigiu fisicamente como esse vem fazendo. Tem dias que até fico cansada (risos). É um treinamento intenso mas no final, o que conta é o que mostramos na frente da câmera. É importante entender que nós, atrizes, sempre estamos buscando personagens fortes como a Lydia. É uma bênção quando temos esse tipo de personagem que, pra mim, é muito mais normal do que forte. As mulheres são fortes e e isso que trazemos para nossos personagens.

Antes de você começar a filmar Into the Badlands você assistiu algum tipo de filme de artes marciais, com os de Bruce Lee?

Eu assisti para me preparar para o primeiro ano da série, por que não estava familiarizada com o gênero de maneira alguma. Na verdade, quando eu fiz o teste para o papel e consegui, eu não sabia que existia um gênero Artes Marciais. Vi que Lydia era uma personagem diferente e desafiadora. Li o roteiro e vi as cenas com luta, e percebi que era uma produção diferente. Via alguns filmes como Operação Dragão e O Tigre e o Dragão, para entender um pouco mais como essas cenas entravam dentro da história. Não sou muito fã de lutas, e nem imaginava personagens femininas lutando para se destacar dentro da série. Felizmente não é nada disso. Lutar é sobreviver. São as mulheres usando dessas habilidades para conseguir chegar até o final do dia. Achei interessante por que no final de tudo, é uma luta inteligente, da mente sobre a força.

Vemos que ela aos poucos está deixando de lado ser apenas uma coadjuvante dos personagens no poder para consolidar seu próprio pedaço das Badlands, como você enxerga essa jornada da personagem?

Acredito que nessa história, as mulheres são a força por de trás dos homens. A ascensão ao poder foi um trabalho em grupo. Sua habilidade vai além de conseguir se defender ou sobreviver. Ela sabe como articular politicamente nessa nova fase de sua vida, e vai usar isso em favor do coletivo. Por que ela sabe que sozinha não vai conseguir fazer nada. Pra mim, sua jornada é a de descobrir que ela é mais importante do que ela pensava que fosse. E você vai ver isso em vários episódios.

Into the Badlands -Lygia - Orla Brady - AMC

Into the Badlands é uma série muito interessante não apenas por usar artes marciais, mas por ver essa distopia americana de uma forma diferente. E os fãs da série? O que acontece quando você se encontra com eles em algum evento? Como é falar diretamente com eles sobre Lydia e Into the Badlands?

Amo essa pergunta porque por muito tempo na minha carreira como atriz,  nunca interagi diretamente com fãs, pela diversidade dos trabalhos que faço. De vez em quando alguém cruza na rua e diz, que me viu em Fringe, ou algo assim. Essa série tem um apelo muito grande e é muito vista pelo público jovem. Durante a Comic-Con de San Diego, conversei com vários deles e eles são muito fascinados pela série e por Lydia. Eu adorei esse contato, amei mesmo. Para mim, conversar com os fãs é uma experiência maravilhosa e espero repetir várias vezes.

O que você pode nos dizer sobre a terceira temporada?

Sem spoilers (risos)! A questão principal dessa temporada é que o fardo parece muito mais pesado do que os personagens conseguem carregar. Eles estão cansados dessa luta continua para sobreviver nessa terra de ninguém. A Viúva (Emily Beecham) já não pode contar com a ajuda de Tilda (Ally Ionnides) ou de Waldo (Stephen Lang), pedindo ajudar para mim e para Nathaniel Moon (Sherman Augustus), o antigo regente que perdeu a mão para Sunny (Daniel Wu). Os combates continuam existindo mas algo mais forte que as lutas, vai unir vários personagens em busca de algo mais forte, mais humano. Vai ser uma temporada longa também, com 16 episódios. Já fechamos os oito primeiros e agora estamos filmando o resto da temporada.

Você pode mandar uma mensagem para seus fãs aqui no Brasil para assistir into the Badlands…

É um prazer falar com vocês aí do Brasil. Adoro a ideia de que vocês estão se juntando a nós para ver a nova temporada que está muito emocionante. Amamos vocês e a força que vocês estão dando para nossa série. Espero poder dizer isso pessoalmente para vocês, brasileiros, aí no Brasil…

 Já vou fazer o pedido para o pessoal do AMC…

 Peça mesmo (risos)!

A terceira temporada de Into the Badlands atualmente passa no canal da AMC nas segundas-feiras às 23h30.

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Autor de dois livros, um sobre Série e outro sobre Desenhos Animados, Paulo Gustavo Pereira é jornalista há 34 anos, tem uma vasta experiência em reportagens, é editor-chefe do site BesTV e fã de carteirinha de Jornada nas Estrelas. Aqui na Freakpop, Gus – para os mais íntimos – dará muitas dicas bacanas sobre séries.

Categorias
EntrevistasSéries

Ver também