Jogador Nº 1 | Simon Pegg esteve no Brasil para divulgar o longa

Simon Pegg revela que é extraordinário trabalhar com Steve Spielberg

Simon Pegg esteve no Brasil para divulgar o longa Jogador Nº 1 de Steven Spielberg

Durante a CCXP 2017, a Freakpop participou de um bate papo com o produtor, diretor, roteirista, ator, comediante e über nerd Simon Pegg. O ator, conhecido pela Trilogia Cornetto e Star Trek, esteve no Brasil para divulgar o novo longa de Steven Spielberg, Jogador Nº 1, que estreia dia 29 de março nos cinemas.

Super bem humorado, Pegg recebeu a imprensa para um bate papo sobre o filme. Na época, ainda não tínhamos assistido ao longa e por isso boa parte de suas respostas ainda foram vagas. O ator não entrou em detalhes sobre a trama do filme, mas revelou o que é ser nerd para ele e suas duas heroínas inspiradoras da infância. Confira a entrevista completa abaixo.

Simon Pegg em Jogador Nº 1

Mas antes de saber um pouco mais sobre o ator inglês, falamos sobre Jogador Nº 1, um dos lançamentos mais aguardados deste primeiro semestre de 2018. Simon comentou que é extraordinário trabalhar com Steven Spielberg. Ele contou que o processo de criação de Spielberg é fascinante. E completou: “É um grande diretor e isso fica claro não só pelo jeito como ele move a câmera, mas também pela forma como fala com os atores e consegue tirar o melhor deles em termos de atuação.” 

Sobre a tecnologia e todo ambiente virtual de Jogador Nº 1, Pegg comentou que Spielberg chegou a usar oito câmeras em uma das cenas para compor um clima mais documental. E que “ele sabe usar a tecnologia do melhor jeito possível.”.

E quando o assunto foi o seu personagem em Jogador Nº 1, Pegg revelou que Ogden Morrow é o co-criador do Oásis, o videogame da trama e que ele é como Steve Jobs enquanto Halliday (Mark Rylance) é o gênio do mundo virtual. Mas afirmou que seu personagem é um cara bom e que ele também está em Oasis, no passado e no presente. Mas acabou não entrando em mais detalhes.

Realidade Virtual

Ainda sobre o mundo virtual de Jogador Nº 1, Pegg foi questionado sobre a realidade virtual e aumentada estarem cada vez mais presentes na vida das pessoas, e ele logo comentou que a ideia de viver em um ambiente virtual está cada vez mais plausível e que não é difícil o mundo de 2045 estar tao diferente do que vemos em Jogador Nº 1.

Referências de Jogador Nº1

Então, aproveitamos para falar sobre as referências existentes em Jogador Nº 1 que, certamente, farão os fãs irem a loucura ao assistirem o filme. Simon Pegg comentou que algumas referências tiveram que ser diferentes do livro, por questões de direitos autorais e que se todos os direitos fossem pagos, o custo iria pra casa do bilhão…de dólares. E completou: “Pudemos usar várias coisas da Warner Bros., por ser um filme deles e a pedido deles. E existem muitos momentos incríveis que amo, parte da diversão é achar cada uma das referências. E quando vi o DeLorean, de De Volta para o Futuro, no trailer, mesmo sabendo que o carro estava no filme, fiquei tipo “oh, isso é incrível”. “

Cultura Pop em geral!

Aproveitando esse clima de Cultura Pop e tecnologia, Simon foi questionado sobre estar nas franquias favoritas dele. O ator comentou que nunca imaginou que participaria de Star Wars, Star Trek e Jogador Nº 1 e creditou o sucesso da produção Um Morto Muito Louco (1989), longa de baixíssimo orçamento, que lhe rendeu convite para Missão Impossível 3 e depois Star Trek – que é um dos roteiristas – e Star Wars. E afirmou: ” Tive muita sorte, participei de franquias que amo.”

Filmes de ficção-científica

E quando o assunto foi ficção-científica, Simon disse que quem quiser entrar nesse gênero precisa assistir Star Wars (1977 – atual), Blade Runner (1982) e Star Trek (série iniciou em 1966, primeiro filme estreou em 1979, reboot começou em 2009 e o quarto longa da nova franquia tem previsão de estreia em 2019). O ator também mencionou filmes como 2001 – Um Odisséia no Espaço (1968), Duna (1984) e Contatos Imediatos de Terceiro Grau (1977). Entre lançamentos mais recentes, sugeriu A ChegadaMinority Report (2002), que foi lançado há 11 anos e é dirigido por Spielberg. Só por esta lista já ficamos empolgados, assim como Pegg que terminou falando “Filmes como esses são ótimos para entender o gênero, mas vou parar por aqui, porque precisaria rever minha lista com cuidado. São muitos! (risos).”

As heroínas de Simon Pegg

E a cultura pop ainda rendeu no nosso papo. Simon Pegg revelou que na infância entre seus heróis estavam Barbarella (1968) e Princesa Leia (1977). E que um pouco antes, quando questionado sobre a presença de mulheres como protagonistas em ficção, ele comentou que acha super inspirador ver personagens femininos fortes e que em Jogador Nº 1 tem muitas reviravoltas interessantes neste sentido, já que no videogame o jogador se projeta como quiser e que, embora o personagem seja um, a versão no mundo virtual simboliza quem o personagem realmente é.

Ser geek é…

Para fechar, conversamos sobre “o que é ser geek” e Pegg logo mandou: “Ser um geek é ser um entusiasta e não se envergonhar de gostar de algo que pode ser visto como infantil. Ser geek é amar o que ama de forma aberta e dividir esse amor com outras pessoas que se sentem da mesma forma em relação a algo. É possível ser geek sobre qualquer coisa: esportes, carros, cultura pop. Não é só sobre heróis e naves espaciais, pode ser aplicado a qualquer coisa. É amar o que amamos e não sentir vergonha disso.”. 

Inspirador né? Agradecemos a Warner Bros. pela oportunidade de conversar com um dos maiores atores da atualidade e esperamos que Simon Pegg retorne ao Brasil em breve.

Jogador Nº1 está em exibição nos cinemas e você confere a nossa crítica sem spoilers aqui.

Küsses,

Comente via Facebook!

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
EntrevistasFilmes

Ver também