Especial Terror: curta o Dia das Bruxas com qualidade! Happy Halloween!

Conheça o suprassumo dos filmes de terror e garanta um bom roteiro para esse Halloween Primeiro ponto: é bem provável que você não encontre lançamentos aqui. Segundo ponto: muito...

Conheça o suprassumo dos filmes de terror
e garanta um bom roteiro para esse Halloween

Primeiro ponto: é bem provável que você não encontre lançamentos aqui. Segundo ponto: muito aqui pode ser opinativo, então se torcer o nariz para algum título, por favor, passe para o próximo e deixe nos comentários qual você considera realmente bom. Dito isso, vamos ao que interessa!

Assim na Terra como no Inferno

Assim na Terra como no Inferno se passa em Paris e em suas catacumbas não muito agradáveis. E sim, algumas cenas realmente foram gravadas por lá. Explorando o universo da alquimia, Nicolas Flamel e a Pedra Filosofal (momento tão Harry Potter!), Scarlett (Perdita Weeks) e George (Ben Feldman) se unem a um grupo de trambiqueiros para explorar as catacumbas de Paris e encontrar respostas para os estudos do pai de Scarlett.

O ritmo é bem estruturado e os três atos conversam muito bem. Usa mais o suspense e a tensão como ferramentas para culminar em alguns sustos bem arquitetados e com desenrolar sutil. Pode ser um pouco confuso para quem nunca viu nada sobre alquimia, mas mesmo assim cumpre a que se propõe. A angústia de estar se arrastando em cima de ossos e a possibilidade de entrar no Inferno (gente, isso está no trailer e não pode ser chamado de spoiler) é bem palpável e nos deixa bem atentos em frente à tela da televisão. A jornada leva o grupo até as profundezas de Paris, onde enfrentarão seus piores medos. Sim, tem muito sangue em algumas cenas. Não, não é clichê e nem sádico, como Jogos Mortais. É um filme inteligente, com bom roteiro e atuações críveis.

A Casa da Colina

Pode escolher a versão: a de 1958, com o ótimo Vincent Price, ou a de 1999, com Geoffrey Rush. A mais recente é ótima e carrega grande parte dos principais elementos do terror: uma casa mal assombrada com passado sinistro, marido excêntrico, esposa lunática, convidados não tão aleatórios, cujas histórias se amarram no final (exceto uma, que só quem viu o bônus do DVD – ou VHS, consegue entender melhor), fantasmas sádicos e portas completamente fechadas.

Quando Steven Price (Rush) percebe que a comemoração de aniversário bizarra da esposa Evelyn (Famke Janssen) corre risco, resolve colocar mais lenha na fogueira: quem sobreviver para ver o dia amanhecer levará a bolada de U$ 1 milhão! Mas isso vai contra os planos do espírito do Dr. Vanacutt (Jeffrey Combs), um psiquiatra brilhante em sua época que enlouquece e faz experiências macabras com os pacientes, que uma bela noite se revoltam e tomam conta da Casa da Colina, matando toda a equipe médica – tão doida quanto o Dr. Vanacutt.

Ps: totalmente ignorem a continuação, “De Volta para a Casa da Colina”. É péssimo. Mesmo.

O Orfanato

Guillermo Del Toro pode não ter sido tão bem sucedido em A Colina Escarlate, mas ainda bem que existem filmes como O Orfanato em seu currículo. Laura (Belén Rueda) resolve voltar ao velho orfanato desativado em que viveu em sua infância para restaurá-lo e hospedar crianças com dificuldades mentais, junto com seu marido Carlos (Fernando Cayo) e filho Simón (Roger Príncep).

Solitário, Simón logo conta sobre seus amigos “imaginários” e brincadeiras. Algo que você valoriza será escondido. Se achar tem direito a um pedido. No começo do segundo ato Simón some e cabe à mãe Laura descobrir sobre os mistérios do orfanato e seus inquilinos fantasmas.

O ritmo é lento, como todo terror espanhol, mas não se engane: o clima de tensão é bem arquitetado e é bom prestar atenção a tudo, já que no terceiro ato as explicações são dadas. E o final é surpreendente. Vale muitíssimo a pena ver – e apagar o pretenso terror de A Colina Escarlate da cabeça.

Mama

Imagine duas meninas perdidas no meio da floresta. Como elas sobreviveriam? A história de Mama é uma daquelas de: já vi isso antes, mas não lembro onde. Só que, por incrível que pareça, funciona.

Victoria e Lily eram bem pequenas quando seu pai (Nikolaj Coster-Waldau), surta e as sequestra, tenta uma coisa bem feia e é morto. Sozinhas em uma cabana no meio da floresta são encontradas graças aos esforços de seu tio Luke (Nikolaj Coster-Waldau, na melhor reciclagem de ator com a desculpa de irmão gêmeo). Animalescas, só sobrevivem graças a uma entidade “criada” por elas, Mama.

As crianças são levadas para uma casa isolada pelo tio e sua namorada, Annabel (Jessica Chastain), que precisa segurar a onda quando eventos sinistros começam a acontecer. Parece que a Mama resolveu se mudar junto com as meninas…

O Chamado

Não assista essa fita! O que é relativamente fácil, quem ainda tem vídeo cassete por aí? Até o word nem reconhece mais a expressão “essa fita”, para ter uma noção. Enfim. A fita diabólica que mata quem a assiste é um refilmagem do filme Ringu, uma bela obra japonesa de terror. Aliás, os japoneses e tailandeses realmente dominam a arte dos gritos, mas isso ficará para um próximo post.

Em O Chamado, a jornalista Rachel (Naomi Watts) investiga a misteriosa morte de sua sobrinha e acaba descobrindo mais do que gostaria. Quando a vida dela e de seu filho Aidan (David Dorfman) são colocadas na reta por uma menina bem bizarra e seu poço, a super mãe precisa arranjar um jeito de acalmar Samara.

Vou finalizar por aqui com uma promessa: post exclusivo para terrores japoneses e/ou tailandeses. O povinho de olhos puxados manjam dos paranauês!

Good scares and Happy Halloween!

Comente via Facebook!
Categorias
FilmesListas

Ver também