Feito na América é a redenção de Tom Cruise do ano

Feito na América novamente colocar Tom Cruise na cabine de pilotos para lutar contra o comunismo Feito na América é aquele típico filmão de bandidagem que tudo funciona direitinho....
Feito na America

Feito na América novamente colocar Tom Cruise na cabine de pilotos para lutar contra o comunismo

Feito na América é aquele típico filmão de bandidagem que tudo funciona direitinho. Temos um protagonista carismático, uma história verdadeira absurda (porém, de novo, verdadeira), uma direção frenética e um roteiro afiado. Depois da última vez que vimos o Sêo Cruise nos cinemas, nada melhor do que uma incrível redenção.

Mas antes, um pouco de história

A história de Barry Seal (Tom Cruise) é provavelmente a mais bizarra da história dos enormes narcotraficantes dos anos 80 e 90. Seal é um piloto comercial em alguma rota doméstica sem graça que tira um troquinho extra contrabandeando charutos cubanos em sua mala de piloto.

Essa pequena malandragem chama a atenção de “Schafer” (Domhnall Gleeson), um agente da CIA que oferece à Barry uma empresa de aeronáutica de fachada e um avião novinho para sobrevoar regiões da América do Sul e Central para fotografar campos de treinamento de comunistas. Entediado com sua vida monótona e enxergando uma oportunidade de oferecer mais para sua família, Barry aceita e passa seus dias desviando de tiros e sobrevoando as selvas do continente em busca de acampamentos.

Próxima parada: Medellín

Eventualmente, Barry é descoberto por dois rapazes que estão voltando a ficar conhecidos pelo público: Jorge Ochoa e Pablo Escobar. Ambos oferecem uma proposta para que o piloto leve seu produto para dentro da fronteira americana. E assim, os pântanos da Louisiana começam a chover tijolos de cocaína.

Calma, complica

Eventualmente, a Nicarágua é tomada pelos Sandinistas, um grupo socialista, e todos sabem que o Tio Sam odeia esse tipo de brincadeira no seu quintal. O governo americano decide adquirir armas de Israel para distribuir aos Contras, militantes em treinamento para derrubar o governo socialista do país. Adivinha qual protagonista de Feito na América é convocado para isso? Exatamente.

E complica ainda mais

Lembra do nosso amigo Pablo Escobar? Aparentemente ele achou uma excelente ideia pegar as armas que Barry estava contrabandeando. Então Seal entrega armas israelenses para colombianos, cocaína colombiana para os EUA e soldados da Nicarágua para a CIA. E nisso tudo, vai ficando podre de rico.

Feito na América

Tom Cruise carrega este divertidíssimo filme. O ator tem recentemente encontrado alguns papéis onde ele faz o canastrão perdido (vide No Limite do Amanhã ou o último Missão Impossível). Ele interpretando Barry Seal no estilo Tom Cruise fazendo Matthew McConaughey fazendo Chuck Yeager, capitaliza no carisma natural do ator e faz ele transformar a complexa trama em uma comédia ação divertidíssima.

A direção de Doug Liman ajuda consideravelmente, aproveitando o estilo documentário de guerrilha que o diretor desenvolveu em Identidade Bourne, ele traz aquele ar de filme de espionagem e torna as cenas de ação mais realistas.

Vale a pena?

Feito na América é um filme divertidíssimo, descompromissado e que foge um pouco dos incansáveis blockbusters genéricos que não param de estrear esse ano. Se você busca algo para renovar o paladar, fica a dica.

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
Criticas

Ver também