Freakpop Debulhando o Oscar: Lincoln

Faltando 1 mês para o Oscar, Brüce e Sam Bass vão ajudar você, caro leitor, a desbravar o complexo oceano de indicações de melhores filmes, diretores e o mais...

freakpoposcar

Faltando 1 mês para o Oscar, Brüce e Sam Bass vão ajudar você, caro leitor, a desbravar o complexo oceano de indicações de melhores filmes, diretores e o mais importante de todos… melhor edição de som. Se preparem para 1 mês de Nerd Reviews muito especiais!

Hora de falar de mais um concorrente pela estatueta: Lincoln!

lincoln-movie-poster 2

O filme  retrata os últimos meses de vida de Abraham Lincoln enquanto o mesmo lutava pela emancipação dos escravos e  uma forma de negociar a paz durante a Guerra Civil americana, e traz em profundidade a complexidade das maquinações políticas e a ocasional necessidade de fazer uso de meios corruptos para atingir tais  fins.

Assim como Django Livre e Argo, Lincoln é mais um filme que busca olhar para trás  para tentar redescobrir a identidade americana. Esperava-se que este fosse ser mais um “isca de Oscar” mostrando uma biografia pacata  e sem grandes novidades como Johnny & June, Ray, Ali, etc. Mas de forma genial Lincoln retrata como o sistema político sempre teve suas sujeiras, e mesmo dentro de tanta podridão, a pessoa certa ainda pode fazer o bem.

A mensagem se torna ainda mais poderosa quando observamos o recente conflito  entre democratas e republicanos sobre a questão dos direitos de homossexuais. Ver um filme onde os republicanos batalham pela igualidade de um parte  da população, que é considerada sub-humana, e  democratas se opondo, fica difícil pensar na política como algo tão simples quanto “bem x mal”.

E o filme em si? A atuação de Daniel Day-Lewis oferece uma de suas melhores caracterização até agora, seu “Lincoln” transborda sabedoria e o peso de suas decisões ditam todos seus movimentos físicos e políticos. A maquiagem utilizada é impressionante, e realmente parece que uma nota de 5 dólares aprendeu a andar e falar.

lincoln-2

Tommy Lee Jones tem a segunda atuação de destaque no papel de Thaddeus Stevens, um congressista mal humorado e boca suja que também luta pela emancipação. Sally Field como  Mary Todd Lincoln tem a responsabilidade de mostrar ao público toda a dificuldade e sofrimento que as exigências da época cobravam da vida presidencial, mostrando momentos de grande vulnerabilidade ou força implacável, onde o dever não permite que emoções sejam vistas.

Para o pessoal que acha que o filme vai ser um tédio, só com falatório e momentos “GOD BLESS AMERICA”, fiquem tranquilos, o esta arte cinematográfica não tem medo de expor a podridão da mentalidade americana e os preços da guerra. A parte mais interessante é o estilo em que o Presidente Lincoln busca os votos necessários para aprovar a 13ª  Emenda, juntando um grupo de aliados políticos, alguns pilantras espertalhões e até rivais em uma espécie de ‘Onze Homens e um Segredo’, só que ao invés de roubar um cassino, eles vão liberar escravos.

De todos os filmes que a Freakpop viu até agora, Lincoln parece o mais certo para levar a estatueta de melhor filme e se Daniel Day-Lewis não levar para melhor ator, podem perder o resto de fé que existe na Academia. (Aqueles velhos….)

Até a próxima e fiquem atentos para as demais  Nerd Reviews de filmes concorrendo ao Oscar de Melhor Filme! Para facilitar sua vida, que tal nos curtir no Facebook?

Categorias
Criticas

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Relacionados