“Stormborn” traz alguns problemas de adaptação de Game of Thrones

Game of Thrones sofre quando o roteiro não entende o que é um cliffhanger Game of Thrones – T07E02 – “Stormborn” Um cliffhanger é um recurso de roteiro onde...

Game of Thrones sofre quando o
roteiro não entende o que é um cliffhanger

Game of Thrones – T07E02 – “Stormborn”

Um cliffhanger é um recurso de roteiro onde um episódio é concluído com ar de suspense para criar no espectador a vontade de ver o desfecho. Infelizmente, este desfecho só é revelado no próximo episódio ou capítulo. Este recurso que você deve ter visto em incontáveis livros, quadrinhos, séries e novelas. A ideia é finalizar o episódio com uma revelação bombástica. Game of Thrones, infelizmente, erra as vezes na dose e cria finais de episódios mornos e mal amarrados. Um resquício que virou semi-recorrente desde os dias do Casamento Vermelho.

Pedra do Dragão e a linha do tempo absurda

Na Pedra do Dragão Daenerys confronta Varys sobre seu papel na queda de Aerys Targaryen, a ascensão de Robert e as tramoias para colocar Viserys no Trono de Ferro. Ela questiona a lealdade de um agente tão disposto a destronar monarcas que ele julga inconveniente. Temos aqui um vislumbre de um dos choques ideológicos mais interessantes de Game of Thrones. Varys é um dos poucos “jogadores” que parece genuinamente se importar com o povo e o rei ou rainha que possa de fato fazer a população prosperar. Daenerys costuma ameaçar com discursos pomposos qualquer um que questione sua lei, mas a “Aranha” se recusa a aceitar.

Ele promete que dirá diretamente à Mãe dos Dragões caso o reinado dela fuja de controle, mas novamente vemos que existe um elemento perturbador na forma de reinar que a jovem Targaryen segue. Ela tipicamente se define pelos seus grandes gestos, incendiar escravagistas, libertar escravos, fazer declarações bombásticas. Porém, falha nas nuances. Ela não garante a governabilidade após eliminar os escravagistas, não consegue manter os escravos seguros e alimentados e seus discursos perdem o efeito quando ela mesmo abandona seus “projetos” para novas coisas.

A ameaça de Varys é clara e dá um forte indicativo que estamos diante de uma origem de vilã. A Nascida na Tempestade é excelente para empolgar a audiência com seus gestos épicos, mas instiga o caos quando mostra sua incapacidade de manter seus súditos seguros ou seu reino próspero (vide Mereen e a Baía dos Escravos). Estas declarações pseudo-ameaçadoras de Daenerys são bastante cansativas e estão ficando um pouco repetitivas, pelo menos desta vez temos um contraste de pensamento interessante.

Um pouco depois Daenerys se reúne com Ellaria Sand e Olenna Tyrell. Tyrion compartilha os planos de retomada de Porto Real. A cena serve para garantir um momento onde Olenna e Daenerys interagem. A velha Rainha dos Espinhos usa a oportunidade para expor Kahleesi às intrigas e fofocas veladas que os nobres de Westeros adoram, mas para a audiência só serve para confundir ainda mais nosso senso de continuísmo. Afinal, quanto tempo passou desde que Varys foi até Dorne, Daenerys partiu de Mereen, chegou em Pedra do Dragão (com Varys a bordo) e ambas chegaram de Dorne? Confuso…

Na Cidadela, Jorah e Sam trazem torture porn para Game of Thrones

Depois de encontrar uma possível cura para escamagris, Sam decide aplicá-la secretamente em Jorah. A cena, sinceramente, não agrega muito. Vale reforçar aqui que o personagem agregou um arco de trama de outro personagem nos livros, mas não vem ao caso novamente tentar avaliar o que isto significará para o desfecho das Crônicas.

No Norte

Em Winterfell, as forças do Norte se preparam para a guerra. Jon Snow recebe uma convocação de Tyrion para conhecer Daenerys e uma carta de Sam falando que Pedra do Dragão possui uma gigantesca reserva de Vidro de Dragão, necessário para combater as forças do Rei da Noite. Os súditos ficam relutantes em deixar seu Rei ir para o Sul, mas Jon decide investigar. Ele deixa Sansa no comando e, como já é de costume entre os Starks, ameaça de matar Petyr Baelish caso ele tente algo engraçado com sua irmã.

O trailer apresentado na Comic-Con para o próximo episódio dá a entender que teremos o bombástico encontro entre Daenerys e seu possível “sobrinho”, então por ora deixaremos aqui quieto. Nota-se uma certa preguiça com as cenas com Lyanna Mormont e suas declarações. A produção de Game of Thrones tem um sério problema com repercussão online. Parece que desde que a personagem estreou na temporada anterior e ganhou uma legião de fãs, os episódios precisam mostrar a atriz fazendo algum discurso de guerreiro com outros personagens sorrindo em tom de aprovação.

No mar

Eis que chegamos no problema de Game of Thrones não entender o que é um cliffhanger. A frota de Yara Greyjoy navega rumo a Dorne para Ellaria reunir seu exército para sitiar Porto Real. A frota é interceptada por Euron Greyjoy que aniquila as forças rebeldes e captura Yara. O episódio conclui com os destroços e Theon vendo a chacina. A direção indica que nós, como audiência, devemos interpretar isto como um cliffhanger, mesmo um completamente desprovido de suspense e apenas com o intuito de instigar debates cansativos ao longo da semana.

Afinal, a promessa de lealdade que Euron prometeu a Cersei seria capturar sua sobrinha? Será que a presença de Dorne na série consegue ficar ainda mais anti-climática?

Só o tempo dirá…


 

REGRAS:

  1. Envie a(s) resposta(s) para o nosso inbox no Facebook.
  2. Cada participante poderá enviar somente 1 (uma) vez a(s) resposta(s).
  3. Cada resposta correta, vale 1 (um) ponto.
  4. Aceitaremos respostas até às 16h00 de 24/07/2017. (ENCERRADO)
  5. Até as 19h vamos divulgar aqui no post a relação dos competidores e seus pontos.
  6. Vence quem tiver mais pontos no final da exibição da temporada. Serão 3 (três) perguntas toda semana. Sempre às segundas.
  7. O vencedores ganhará um mega kit de Game of Thrones. Tem até alguns POP! Funko dos personagens. Em breve divulgaremos o prêmio completo.
  8. Boa sorte!

 

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
Críticas

Ver também