Hércules – Antes de ser um Deus, ele era um homem!

Hércules é um semi-deus ou um mercenário? Dwayne Johson (The Rock) dá vida a um dos semideuses mais conhecidos da mitologia grega. Hércules, o renegado filho de Zeus. Reza...

Hércules é um semi-deus ou um mercenário?

Dwayne Johson (The Rock) dá vida a um dos semideuses mais conhecidos da mitologia grega. Hércules, o renegado filho de Zeus. Reza a lenda que ele nunca conheceu seu pai divino e desde criança marcou a história da Grécia com aventuras recheadas de ação e sangue. Após completar os 12 trabalhos, o herói se tornou um viajante em busca de novas missões e suas recompensas em ouro. Acompanhado de seis impiedosos e sanguinários homens, Hércules firma sua saga de mercenário até sua eventual apoteose.

Antes de sua ascensão, ele era um homem comum assombrado pelo assassinato de sua esposa e três filhos. Um verdadeiro líder que por onde passa, conquista novos adoradores que espalham os contos de seus feitos. Sua fama é tanta que chega a ser convocado pelo rei de Trácia para treinar seu exército. Agora Hércules tem a missão de transformar camponeses em guerreiros para conquistar a paz nos vilarejos do rei. Como nem tudo termina em ouro e vinho, Hércules é traído, perde um de seus fiéis escudeiros e tem sua confiança abalada. O maior desafio não é mais combater os vilões e sim o de aceitar que por trás daquele homem existe um semideus.

O diretor Brett Ratner recria esta épica história com duas cenas de batalhas muito bem coreografadas e artimanhas criativas aplicadas às técnicas de guerra. Com belos takes fotográficos e uma direção aérea muito bem executada, o longa de quase duas horas te prende a atenção e faz de Hércules um grande herói. As piadas ficam por conta de Amphiarus (Ian McShane), um sábio mercenário que também é um oráculo. Entre suas visões, ele vê a própria morte. Dono de um dom particularmente confuso, ele não só consagra as conquistas ao lado de Hércules como também o ajuda com suas dúvidas e fantasmas pessoais. Em uma das cenas mais intensas do filme, ele ajuda Hércules com um discurso intenso que o leva a ser mais um Deus, do que homem.

“Não importa onde você for, um homem não pode escapar de seu destino: Quem é você? Você é um assassino? Um mercenário que vira as costas para os inocentes? Nós acreditamos em você! Nós temos fé em você! Lembre-se de seus feitos realizados, os trabalhos que superou! Você é só a lenda, ou será você, a verdade por trás do mito? Agora me diga, QUEM É VOCÊ?” – Amphiarus

Ainda no elenco temos Atalanta (Ingrid Bolso Berdal), uma amazona mestra do arco e flecha que bota muito espartano no chinelo. Tydeus (Aksel Hennie) que foi encontrado por Hércules ainda jovem quando sua família foi assassinada. E Autolycus (Rufus Sewell) um dos mercenários com uma personalidade muito gananciosa. Vale ressaltar que Sewell está em uma ótima interpretação, a tempos que ele não roubava a cena em um filme.

A premissa do filme é baseada na HQ Hércules: The Thracian Wars com roteiro de Steve Moore e arte de Cris Bolsin e publicado pela Radical Comics. O visual do longa é bem fiel aos quadrinhos.

A história em si do filme é desprovida de grandes reviravoltas e tem um final bem previsível, porém o longa entrega um Hércules carismático, em alguns momentos misterioso e um verdadeiro líder que no fim está em busca de sua paz interior. Hércules é um filme bem dirigido, que peca um pouco no figurino que aparenta ser frágil ou de brinquedo, mas tem um ritmo bem estruturado. O longa não é um épico que marcará a década e nem será lembrado por todos como uma grande referência cinematográfica, mas ele cumpre com o seu objetivo de relatar a história do herói além de atender os diálogos e cortes de cenas que temos nos quadrinhos.

Vale a pena ver o filme? Sim! Pela diversão, por ser formado por um bom elenco e para ver que o The Rock sabe fazer outros papeis além do policial emburrado. O filme estreia dia 11 de setembro em todos os cinemas brasileiros.

Até a próxima.

Comente via Facebook!
Tatá Snow

“Crítica” de cinema – prefiro ‘analista de entretenimento’, fanática por comédias românticas e viciada em Sex and The City. Ah…#TeamCap

Categorias
Criticas

Ver também