In Memoriam – John Singleton (1968 – 2019)

In Memoriam – John Singleton (1968 – 2019)

Mais uma grande perda do cinema e da televisão

O Cinema e a TV perdem o talento do diretor e roteirista de Os Donos da Rua, que sofreu um derrame no começo de abril e faleceu essa semana em Los Angeles.

John Singleton esteve no Brasil há dois anos, durante a Rio Content. Não só para conversar com roteiristas e produtores brasileiros, mas também para apresentar ideias e conceitos nesse crescente mercado de novos conteúdos. Ele conversou rapidamente com Paulo Gustavo, da BesTV/Freakpop, mostrando as diferenças de seu trabalho autoral em Os Donos da Rua (1991), com trabalhos mais comerciais como a versão moderna de Shaft (2000) e +Velozes e + Furiosos.

Ele também falou sobre trabalhar nessa nova fase em que a televisão americana está vivendo, com séries cada vez mais parecidas com filmes de cinema. Um conteúdo mais denso e próprio para talentos como o próprio Singleton mergulhar e trazer para o grande publico, pequenas mas especiais obras de arte na telinha.

Filho de pais separados, John começou a se interessar por cinema ainda quando estava no colegial. Sua lista de diretores favoritos era de uma geração que fez Hollywood mudar seu rumo: Orson Welles, François Truffaut, Steven Spielberg, Akira Kurosawa, John Cassavetes, Martin Scorsese e Francis Ford Coppola. Assim como seus filmes favoritos, alguns dos grandes clássicos da telona como Ladrões de Bicicletas (1948), Os Incompreendidos (1959), Laranja Mecânica (1971), Tubarão (1975) e Touro Indomável (1980).

Assim que se formou no colegial, fez o curso de roteiro para cinema na Universidade do Sul da Califórnia onde acabou escrevendo o roteiro de Os Donos da Rua, filme que lhe deu em 1992, duas indicações ao Oscar, de Melhor Direção e Melhor Roteiro Original. Aos 24 anos de idade, John foi o primeiro afro-descendente a ser indicado como Melhor Diretor na história do Oscar.

A indicação abriu as porta para novos projetos e novos trabalhos em Hollywood. Ele produziu e dirigiu filmes mais atorais como Sem Medo no Coração (1993) e Duro Aprendizado (1995), bem como produções mais comerciais como Shaft (2000). Foi para a televisão que John Singleton entregou algumas preciosidades originais como a série Snowfall, para o canal FX, sobre a epidemia gerada pelo crack nos anos 80 em Los Angeles.

Inspirado no filme de Spielberg, A Lista de Schindler, Singleton escreveu e dirigiu O Massacre de Rosewood, sobre o ataque de um grupo racista numa pequena comunidade perto de Chicago, na década de 20. Produzido pela Warner Bros., o filme teve uma carreira internacional mas no Brasil, foi lançado apenas em home vídeo.

Como produtor, ele assinou dois documentários muito comentados: em 2014 fez Through a Lens Darkly: BlackPhotographers and the Emergence of a People (Pelas lentes Escuras: Fotógrafos Negros e a Emergência de um Povo; e no ano seguinte L.A. Burning: the riots 25 years later (Los Angeles em Chamas: os 25 anos dos tumultos na cidade).

Seus trabalhos recentes na televisão foram nas séries Billions, American Crime Story – O Povo contra OJ Simpsons, Empire – Fama e Poder e Snowfall. John Singleton estava mantido em coma no Cedars-Sinai Medical Center, depois que sofreu um derrame. Seus familiares decidiram no começo dessa semana que ele deveria ser desligado dos aparelhos. O cinema e a TV perdem um grande  e importante talento.

Comente via Facebook!
Categorias
FilmesNotícias

Ver também