Interestelar – O novo filme de Christopher Nolan

Interestelar casa astrofísica com ficção científica. Em Interestelar, Christopher Nolan nos leva à um futuro que não parece tão distante. O meio ambiente entrou em colapso, a comida é escassa,...

Interestelar casa astrofísica com ficção científica.

Em Interestelar, Christopher Nolan nos leva à um futuro que não parece tão distante. O meio ambiente entrou em colapso, a comida é escassa, a sociedade regrediu para uma mentalidade agrária e a Terra está com os dias contados. Cooper, um ex-piloto e engenheiro da NASA leva uma miserável vida como fazendeiro, o único emprego que espera-se que todos trabalhem. Um dia, por causa de circunstâncias misteriosas, ele encontra uma instalação secreta da NASA e descobre a última operação para salvar a raça humana. Seres misteriosos criaram um buraco de minhoca perto de Saturno que levaria uma expedição para outra galáxia onde existem planetas com chance de sustentar vida humana. Uma missão já levou astronautas para cada planeta, agora Cooper deverá conduzir uma expedição para localizar qual planeta funcionaria.

Primeiro, vale ressaltar, que como qualquer filme do Nolan, o assunto foi pesquisado de forma obsessiva, as teorias espaciais de buracos negros, relatividade, buracos de minhoca, viagem interestelar e astrofísica realmente fazem sentido, e ainda mais interessante, para representar tantos fenômenos espaciais sem pender para o sensacionalismo e efeitos especiais forçados, o diretor faz jogos de câmera brilhantes para retratar com maior grau de fidelidade possível o que precisamos testemunhar.

Talvez, por ser um filme “cabeça”, repleto de explicações científicas, algumas pessoas percam o interesse, mas Interestelar é muito mais que isso. É uma história íntima sobre o poder da perseverança humana, sobre deixar de lado o egoísmo e prezar pelo coletivo, sobre como a união de amigos, familiares e amantes pode trespassar os mais longínquos pontos do universo. O longa homenageia grandes filmes de ficção científica de eras passadas como 2001: Uma Odisseia no Espaço, Encontros Imediatos de Terceiro Grau e A Viagem Fantástica, onde corajosos homens e mulheres da ciência, por meio da tecnologia e do conhecimento, exploravam o inexplorável e traziam o progresso e evolução da humanidade com suas descobertas e aventuras.

Nolan já foi acusado em seus filmes de ser um diretor frio que não liga para o elemento humano e que sempre opta por fazer seus personagens verbalizarem ao invés de expressarem o que sentem. Assim, o diretor acaba criando cenas pouco realistas, sua atenção obsessiva por detalhes as vezes impede a história de fluir de forma natural e torna a experiência menos satisfatória (vide Joseph Gordon-Levitt e suas infindáveis explicações em A Origem). Com um elenco liderado por uma interpretação de Matthew McConaughey que alterna entre ser o destemido piloto aventureiro e um pai que mostra vulnerabilidade ao simplesmente querer voltar para casa para rever os filhos, o elemento emocional entra na história de forma a humanizar a premissa complexa.

Em uma cena particularmente interessante, observamos como os livros de história foram rescritos para demonizar o avanço tecnológico e o conhecimento que, segundo pensadores do tempo, levaram à ruína do mundo. Nolan tenta mostrar o exato oposto, assim como o filme Lucy, Interestelar mostra que conhecimento e tecnologia são como ferramentas, nem bons nem maus, mas sim, elementos que devem ser usados com responsabilidade. Em um mundo onde diariamente nos deparamos com notícias sobre a depredação do meio ambiente e discussões bestas sobre política, este filme nos leva a pensar o quanto podemos conquistar se simplesmente deixarmos de lado os interesses egoístas para vermos o quanto conquistamos e podemos ainda conquistar.

Até a próxima!

Comente via Facebook!

Editor-chefe da Freakpop. Adora cinema, mas odeia a palavra cinéfilo. Leu quadrinhos demais na vida e tem uma capacidade muito limitada de entender a realidade. Tudo que não explica com Máquina Mortífera, explica com Highlander. Sabe tudo sobre Soul Reaver e Crônicas de Gelo e Fogo. Seu signo é estegossauro.

Categorias
Criticas

Ver também